Entrar
Perfil
PARA CURTIR

Como forma de protesto, artistas de Mogi organizam a 'DesVirada Cultural'

Programação da Frente Popular Pela Cultura de Mogi das Cruzes promete 24 horas de atrações ininterruptas, simultâneas, descentralizadas e gratuitas entre 30 e 31 de julho

Heitor Herruso
16/07/2022 às 07:22.
Atualizado em 16/07/2022 às 15:07

De maneira inovadora, atividades durante 24 horas, com atrações simultâneas que serão levadas a diferentes bairros com linguagens como teatro, música, circo, samba e outros (Divulgação)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
PARA CURTIR

Como forma de protesto, artistas de Mogi organizam a 'DesVirada Cultural'

Programação da Frente Popular Pela Cultura de Mogi das Cruzes promete 24 horas de atrações ininterruptas, simultâneas, descentralizadas e gratuitas entre 30 e 31 de julho

Heitor Herruso
16/07/2022 às 07:22.
Atualizado em 16/07/2022 às 15:07

De maneira inovadora, atividades durante 24 horas, com atrações simultâneas que serão levadas a diferentes bairros com linguagens como teatro, música, circo, samba e outros (Divulgação)

Com nomes de destaque da música nacional, a Virada Cultural 2022 aconteceu no final de maio último. Entre outros artistas que fazem a cabeça do público, se apresentaram Planet Hemp, Ludmilla, Luísa Sonza, Djonga, Glória Groove e Barões da Pisadinha. Todos em São Paulo. Nenhum em Mogi das Cruzes. A cidade acabou excluída da agenda, diferente de anos anteriores quando pôde entrar na festa. 

Por esse abandono – e também por outras questões-, a Frente Popular pela Cultura de Mogi organiza, como forma de protesto e de suprimir o vazio que abalou a classe artística e também a população, a “DesVirada Cultural”, que promete 24 horas de atrações ininterruptas, simultâneas e gratuitas à cidade, entre 30 e 31 de julho.

“É uma provocação que nasce após cidade não ter participado da virada”, resumem os organizadores, que assim como nas propostas do evento original, defendem a  “descentralização da cultura e pluralidade das linguagens artísticas”. 

Em um manifesto que foi adiantado a O Diário, e que em breve será disponibilizado a toda a sociedade, o grupo explica melhor. “Realizamos a Desvirada Cultural numa provocação à classe de trabalhadores de cultura, ao Poder Público e à sociedade civil, quanto à evidente importância do investimento público no setor cultural, como cerne essencial ao desenvolvimento dos aspectos simbólicos, cidadãos, sociais, entre outros”.

A introdução vai além e fala do “desdobramento das pesquisas, produções, criações e difusões dos fazeres artísticos e culturais: no teatro, circo, dança, música, literatura, artes plásticas, fotografia, cinema, assim como as manifestações Culturais de Matrizes Afrodiaspóricas, afro-Caipiras ou afro Brasileiras como os grupos de Congados, Marujadas, Moçambiques, Folia de Reis, Capoeira e Rodas de Samba. Atendendo ao princípio cidadão, ao resguardo da igualdade de gênero, populações periféricas, rurais ou urbanas, afro-diáporicas, povos indígenas, ciganos, caipiras, população LGBTQIA+, grupos religiosos diversos, entre outros”.

Extenso, o texto segue como uma crítica a Prefeitura de Mogi, em especial à Pasta de Cultura: “Entendemos que a política implementada pela Secretaria de Cultura de nosso município vem ao enfoque da fragilização das leis, programas e mecanismos de fomento, na qual poderiam amparar de forma continuada a cultura como um todo, potencializando os mecanismos legais, como o Sistema Municipal de Cultura, Plano Municipal de Cultura, Programa de Fomento à Arte e à Cultura, Programa Diálogo Aberto, e Lei de Incentivo à Cultura”.

Em breve, todo o manifesto, que faz críticas também ao manejo de dispositivos como a Lei de Incentivo à Cultura (LIC) e o Programa de Fomento à Arte e à Cultura (Profac), poderá ser lido nas redes sociais da Frente Popular. O que já está disponível, com exclusividade nestas páginas, é a plural e diversa agenda cultural (veja programação completa abaixo).

Voltando a falar da Desvirada Cultural: o evento promete atrações de circo, dança, teatro, música, cinema, artes visuais, oficinas, contação de histórias, momentos sociais e muito mais. A primeira das atividades será às 18 horas do sábado dia 30, e a partir daí terá início a agenda de 24 horas de atrações ininterruptas e simultâneas, que acontecem de maneira gratuita em diferentes bairros da cidade, com encerramento às 18 horas do domingo dia 31.

São 29 atrações dispostas em 12 endereços: Largo do Rosário, Espaço Cultural Ousadia (rua Nossa Senhora do Carmo, 79 - Centro), Largo da Catedral (rua Dr. Paulo Frontin – Centro), Curso Popular Maio de 68 (rua Dr. Paulo Frontin, 365 - Centro), Beco Bar (rua Coronel Souza Franco, 928 - Centro), Espaço Cultural Stúdio F (rua Shozo Sakai, 218 - Vila Nova Cintra), Casa do Jequitibá (rua Barão de Jaceguai, 914 - Centro), Largo Bom Jesus, Espaço Afrontarte (rua Dolores de Aquino, 554 – Jundiapeba), ONG Makaúba (rua Rodesia - Jardim Santos Dumont II), Espaço Terra de Almofadas (avenida Dona Antonia Maria de Souza, 650 – Vila Lavínia), Espaço Severina Café e Arte (rua Coronel Souza Franco, 953 - Centro).
Além de ser uma provocação, como citado antes, o evento “também nasce para desvirar tudo isso que está acontecendo, criar movimentos, ações”, define, com orgulho, Carla Pozo, que esteve à frente da organização da agenda, que é pensada para “todas as idades” e por isso envolve desde “contação de histórias à festival de rock e MPB”.

“Só não conseguimos escola de samba”, brinca ela, que está à disposição para incluir novas atrações na programação. “Está aberto o convite para todos os artistas da cidade que queiram participar. É só entrar em contato com a gente pelas redes sociais da Frente Popular pela Cultura, ou com os participantes e espaços de cultura que compõem a programação”.

Já ao público, o chamamento é outro, para o entretenimento e diversão: “As pessoas vão se deparar com um ato de alegria, com gosto de quero mais”. A esperança é de que o ato faça com que Mogi volte a integrar a lista da Virada Cultural no próximo ano.

 Programação

 30/0718h Ato de manifesto e cortejo – Em frente ao Casarão dos Duque 19h Performance ‘Corpo-edifício’ - Núcleo 11- Boygi, com os artistas Luiz Gustavo Coroni e Júpiter Campos - Largo do Rosário 20h às 22h  Cinema com a Combuca da Judite – Circuito nos bairros 20h Sarau Ousadia (cenas teatrais do grupo Ousadia, poesia com Carla Pozo e João Soares, palhaçaria em dupla com Nica e Neco, microfone aberto e mais) – Espaço Cultural Ousadia 22h Performance ‘Obelisco’ - Clara Trupi de Ovos y Assovios – Largo da Catedral de Santana 23h Sarau de Arte Drag – Cursinho Popular Maio de 68 23h às 11h – Festival com bandas regionais autorais, cinema e performance de Du Ramsés24h00 – Apresentação rapper Marcos Favela – Cursinho Popular Maio de 68  31/0701h  Mostra de Cinema - ‘Tripofobia’ (Direção de André Juarez Parolin), ‘Nervo’ (Direção de Pedro Jorge e Sabrina Maróstica), ‘Serráqueos’ (Direção de Rodrigo Campos), ‘Bonita’ (Direção de Mariana França), ‘Clausura’ (Direção de Mariana França e Gildo Antonio), ‘Nunca Estarei Lá’ (Direção de Rodrigo Campos), ‘Reexisto’ (Direção de Lethicia Galo e Rodrigo Campos) e ‘Amabile’ (Direção de Rodrigo Campos) – Cursinho Popular Maio de 68 01h30  Sandra Vianna e Rui Ponciano – Cursinho Popular Maio de 68 02h  Videodança (‘Memórias’ – Beatriz Pozo e Núcleo 11-Boygi) – Cursinho Popular Maio de 68 02h30  TUMC - Apresentação teatral com Mariana Pozza e Felipe Silva – Cursinho Popular Maio de 68 10h  Aula aberta de circo para toda a família – Espaço Cultural Stúdio F 12h  Abertura exposição de fotos ‘Diafragma’ – Natália Castro – Casa do Jequitibá 14h  Dança Cigana – Largo Bom Jesus 14h às 17h Coletivo Itapety – arrecadação de doações (roupas e alimentos) – Largo Bom Jesus 14h Cia. Lá vem Elas com 'A Guerra das Patentes' e 'Laços' - ONG Makaúba 14h30 Contação de História com Denise Andere - ONG Makaúba 15h Dança Cigana - ONG Makaúba 15h Música com o trio Tupsyturvy – Casa do Jequitibá 15h Mina de Riso – Espaço Afrontarte 15h Contação de História com Denise Andere – ONG Makaúba 15h Mostra de Cinema - ‘Tripofobia’ (Direção de André Juarez Parolin), ‘Nervo’ (Direção de Pedro Jorge e Sabrina Maróstica), ‘Serráqueos’ (Direção de Rodrigo Campos), ‘Bonita’ (Direção de Mariana França), ‘Clausura’ (Direção de Mariana França e Gildo Antonio), ‘Nunca Estarei Lá’ (Direção de Rodrigo Campos), ‘Reexisto’ (Direção de Lethicia Galo e Rodrigo Campos) e ‘Amabile’ (Direção de Rodrigo Campos) – Cursinho Popular Maio de 68 16h Circo – Circolo Livre de Atuadores em ‘O Parlatório do Palhásofo Platinho’ e  Cia Lá Vem Elas com ‘A Guerra das Patentes’ e ‘Laços’ – Largo Bom Jesus 16h Apresentação musical – Sandra Vianna – Espaço Severina Café e Arte 16h  Oficina de aquarela com Enzo Ferrara (20 alunos) – Espaço Afrontarte 16h Oficina de fotografia utilizando os recursos disponíveis do celular e conceitos básicos com Beatriz Ataídio (20 alunos) – Espaço Afrontarte 16h Contação de História com Lilian Assis – Espaço Terra de Almofadas 17h Jabuticaqui – Largo Bom Jesus 17h Apresentação musical – Brenô – Espaço Severina Café e Arte

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por