Corpo do advogado João Braga, de 71 anos, é sepultado em Mogi

João braga atuava na barraca do Divino. (Foto: Arquivo)
João braga atuava na barraca do Divino. (Foto: Arquivo)

CARLA OLIVO
Um homem muito dedicado à família, ao trabalho, aos amigos e a tudo que fazia na Cidade. Assim o advogado mogiano João Braga, 71 anos, é lembrado por aqueles que com ele conviveram. Ex-presidente do Clube de Campo de Mogi das Cruzes, diretor aposentado do Cartório Criminal do Fórum local, coordenador da barraca do afogado da Festa do Divino Espírito Santo, participante ativo da Santa Casa de Mogi, do Banco de Olhos e da Loja Maçônica União e Caridade IV, segundo os mais próximos, “ele estava sempre presente”.

Braga lutou contra dois tumores malignos no cérebro com metástase no pulmão até a manhã do último sábado, quando morreu no Hospital Assunção, em São Bernardo do Campo, onde estava internado há duas semanas. O corpo foi sepultado no domingo (19), no Cemitério São Salvador, em Mogi, após homenagens no Velório Cristo Redentor.

“Ele participava bastante das ações do Clube de Campo e ajudava a todos, foi secretário durante minhas duas gestões como presidente de lá. Depois, me sucedeu de maio de 2003 a maio de 2005. Por causa de sua função no Fórum, sempre trabalhava nas eleições e tinha forte envolvimento em várias atividades na Cidade”, contou o titular do 1º Tabelião de Notas e Protestos de Mogi, Roberto da Silva Pires, 77 anos.

Também amigo de longa data de Braga, o jornalista aposentado Waltely Aquino de Oliveira Junior, 64, conta que todos que conheciam Braga o admiravam. “Ele realmente era o cara. Meus filhos o admiravam como se ele fosse da família. Perdemos uma grande pessoa, tinha paz de espírito, fé, energia positiva e levava isso com aqueles com quem conversava. Acompanhava tudo de perto na barraca do afogado e substituiu o Airton Nogueira, que morreu no ano passado, também vítima de câncer. Agora estamos órfãos”, lamenta Oliveira Júnior.

Viúvo, Braga perdeu a mulher, Célia, há sete anos, e deixa o filho João Frederico.


Deixe seu comentário