MENU
BUSCAR
ARTIGO

Quase igual à chuva

"Fale o Estado o que quiser, mas o pedágio não trará nenhum benefício válido para Mogi".

Diego CápuaPublicado em 26/05/2021 às 19:42Atualizado há 19 dias
Divulgação
Divulgação

Você já tentou ou conhece alguém que tentou evitar que uma chuva caísse? Se sim, sabe que isso é uma tarefa quase impossível e hoje nossa cidade está em uma luta que muito se aproxima disso, pois, o Estado, quando quer por um pedágio, age quase igual uma nuvem de tempestade. Mas não é impossível resistir a esse mal para nossa cidade. Assim como quanto a chuva, precisamos nos tornar como vendavais, espalhando essa nuvem de prejuízos e retrocesso para longe.

Fale o Estado o que quiser, mas o pedágio não trará nenhum benefício válido para Mogi. O pacote de “vantagens” oferecido é na verdade maquiavélico, pois prejudicará imensamente a cidade, visto que será um desincentivo para instalação de empresas, aumentará o custo dos produtos mogianos e para os mogianos e, principalmente, terá um custo elevado para o cidadão Mogiano, o qual, para se locomover para alguns bairros ou, mesmo, para se chagar a algumas cidades vizinhas, precisará arcar com um custo correspondente a manutenção não apenas de nossa estrada, como de vias do litoral paulista.

Sim mogiano, o custo do pedágio não é para cuidar de nossa via apenas. Sabendo que há uma grande movimentação na Mogi-Dutra, a esperta ARTESP irá incluir nela uma parte do custeio referente a outras estradas, sendo que nossos cidadãos foram escolhidos como os palhaços da vez que vão bancar a manutenção de vias que muitas vezes sequer transitaremos.

A Mogi-Dutra é nossa, foi construída com o esforço do cidadão Mogiano e, apesar do custeio do Estado na duplicação, com base nos impostos que são gerados na cidade, ninguém pode cobrar nada de nós pela obra que foi feita. Falem o que quiser, mas uma rodovia em que percorremos a totalidade dela em aproximadamente 40 minutos, única via de acesso a muitos bairros e forma mais rápida a áreas carentes e industrial, nada que seja oferecido vale uma tarifa de R$ 5,00.

Vale muito bem lembrar o quanto Mogi é boa na luta. Quem não se lembra da tentativa de instalação do lixão? Foi um período de muita união, com uma participação massiva deste jornal, da OAB e de outros entes da cidade, os quais não deram um minuto de sossego às empresas e autoridades que desejavam esse empreendimento. Precisamos acabar com a paz daqueles que querem instalar o pedágio em Mogi e fazê-los entender que o custo político não valerá a pena.

Já pagamos muito aos nossos governos a título de tributos e não podemos, de forma alguma engolir esse pedágio.  Por isso, não vamos apenas ignorar os pedidos do Estado, mas vamos mandar a cada pedido vinculado a essa maléfica obra um proeminente NÃO. Chega de sermos abusados. Precisam de mais dinheiro, parem de desviar das obras públicas ou cessem com os cabides de emprego. Pedágio, Não!

Diego Cápua é advogado

ÚLTIMAS DE Colunistas