Há uma enorme interrogação em relação ao futuro da ligação rodoviária Mogi das Cruzes-Bertioga. Atualmente sob o guarda-chuva da rodovias controladas pelo DER, ela está prestes a passar a ser administrada pela iniciativa privada e vir a fazer parte do pacote de estradas paulistas sob responsabilidade de concessionárias que, por sua vez, passam a responder diretamente à Agência de Transporte do Estado de São Paulo, a Artesp (que assumiu o lugar da Dersa) sob o comando do vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM). O plano de terceirização da Mogi-Bertioga é o mesmo que inclui várias estradas do Litoral Sul e Norte de São Paulo e que traz, em seu bojo, o atemorizante pedágio para a Mogi-Dutra, também incluída no processo. Com tal possibilidade iminente, há uma certa indefinição do DER quanto ao futuro da via. Os dirigentes do órgão evitam fazer qualquer comentário sobre o tema, limitando-se a dizer que todos os projetos em andamento para a estrada devem continuar sendo feitos e transferidos para a futura concessionária, quando o processo estiver concluído. Mas há no ar certaa preocupação com a perda do comando sobre as vias. Hoje, por exemplo, há projeto para contenção de encostas da Mogi-Bertioga sendo feito pelo Instituto Geológico do Estado, visando detalhar os pontos críticos da Serra do Mar - algo que, aliás, sempre cobramos aqui neste espaço. Este é um dos trabalhos que, segundo o DER, “não vai se perder”, pois deve ser transferido à futura concessionária. E como ficariam os custos desse estudo? Enfim, o certo é que enquanto as definições não acontecem, não se tem notícia de ações preventivas reais acontecendo na estrada, ainda que o período de chuvas mais intensas esteja muito próximo de chegar para preocupação de todos aqueles que usam a estrada durante o verão.

“Serviço padrão”

Moradores do Conjunto Toyama flagraram e colocaram em uma rede social um trato empurrando para dentro de uma área de vegetação junto à Mogi-Salesópolis, restos de limpeza do acostamento feito anteriormente por funcionários públicos. A assessoria da Prefeitura rebateu, dizendo que era uma espécie de “serviço padrão”. Que o material era juntado para a “destinação final”, em seguida. Os moradores não concordaram com a explicação.

Profissional

O farmacêutico mogiano Paulo Henrique de Oliveira foi homenageado, ontem, no Sírio Libanês, na Capital, como “Profissional do Ano” pela ONG “Brasil Líderes”. Ele destacou-se por auditorias na área da saúde, em meio à pandemia, e pelo desenvolvimento de um App que diagnostica sintomas da Covid-19.

Grupos políticos

Mogi das Cruzes, Guararema, Barueri, Caieiras e Cotia foram apresentadas, na edição desta terça-feira (3) do “Estadão”, como exemplos de cidades onde grupos políticos  buscam manter o comando que exercem há décadas. Guararema  ganha um maior destaque  pelo fato de familiares do falecido prefeito, Sebastião Alvino, terem dividido a direção da cidade, há décadas, com pessoas de seu círculo de amizade.