MENU
BUSCAR
ARTIGO

Fome do mundo

Há fome por educação, saúde, segurança, poder e ganância. O conceito de fome por alimentos perdeu o significado e boa parte da nação brasileira está faminta. o mesmo está acontecendo Em vários países

Olavo Arruda CâmaraPublicado em 02/06/2021 às 19:55Atualizado há 12 dias
O Diário
O Diário

Na situação atual em que se vive não é mais possível falar somente em fome alimentar. Em diálogo com o amigo Francisco Del Poente que sempre trocamos ideias, chegamos a triste conclusão: “Hoje já não se pode mais falar em fome por alimentos ou fome física, porque há outras necessidades dos famintos, devido a precariedade de tudo que se tem e está acontecendo em todos os países".

Quais as fomes que estão presentes? Há fome por educação, saúde, segurança, poder e ganância.

O conceito de fome por alimentos perdeu o significado e boa parte da nação brasileira está faminta o mesmo está acontecendo em vários países. Quantas modificações nos comportamentos das pessoas, famílias, escolas e das instituições! Uma nova era está surgindo com comportamentos que nunca se viu. O pior são os medos para enfrentar a situação.

 Além dos mais há fome pelo poder e grande parte dos políticos está mentindo, manobrando os recursos financeiros dos orçamentos públicos e desviando os valores para outros interesses pessoais e políticos.

 Quais são as palavras mais utilizadas hoje nas redes sociais? “ Fake News”!

 Em todos os setores estão presentes os famintos: “laboratórios, clínicas, hospitais, médicos, farmácias e lideranças que disputam interesses comerciais e financeiros”. 

Deve-se destacar a existência de guerras por vacinas.

 Obviamente não se pode generalizar, pois, em todos os segmentos há gente honesta e idealista que procura o bem de todos. 

Mas, não deve esquecer-se dos oportunistas, malandros e aventureiros que estão se aproveitando da pandemia para enriquecimento.

 Há esperança? Sim! As crianças de hoje poderão ser a luz para o mundo. É possível, pois parte das crianças aos dois anos já estão em creches ou escolas, recebendo novas orientações diferentes do tempo dos adultos de hoje. 

As crianças, tão novinhas, mas já estão manipulando tabletes e celulares. É um novo mundo surgindo. É um mundo de destruição, mas também um mundo criativo. Analisem o futuro dos povos e anotem as desgraças e quantos desafios que se têm pela frente para tentar modificar a vida na terra. 

Os verdadeiros cidadãos devem iniciar o bom combate. Qual será o combate? Idealismo e cidadania são questões maiores para melhorar os povos! Agindo assim ajudará a elevar o grau de consciência dos humanos. 

O que nós esperamos sinceramente é o futuro  do mundo seja dominado pelas crianças de hoje, adultos amanhã. 

Olavo Arruda Câmara é advogado e professor, mestre e doutor em Direito e Política

ÚLTIMAS DE Colunistas