MENU
BUSCAR
DISCUSSÕES NAS REDES

Vereadora Malu Fernandes se defende de críticas sobre uso de carro oficial da Câmara

Diante de acusações de “boas ações falsas”, a vereadora explica que abriu mão do carro oficial para serviços da Saúde só neste mês, mas precisou pedir o veículo reserva para seguir com os trabalhos

Silvia Chimello Publicado em 20/09/2021 às 18:34Atualizado em 20/09/2021 às 19:27
Vereadora explica uso reserva de carro oficial / Divulgação/ CMMC
Vereadora explica uso reserva de carro oficial / Divulgação/ CMMC

A vereadora Malu Fernandes (SD) reage e diz que não procede as informações que estão circulando em grupos das redes sociais, questionando a decisão dela de abrir mão de carro oficial a que tem direito na Câmara de Mogi para que seja usado pela Secretaria de Saúde na busca ativa das pessoas que ainda não terminaram o processo de vacinação.

Na publicação, Jhonatas Lustosa, do grupo “Fiscaliza Mogi”, sugere que “essas boas ações são falsas. Ele relata que após o vereador José Luiz Furtado (PSDB) ter decidido abrir mão do veículo disponível aos parlamentares, “visando economia dos recursos da Câmara”, a vereadora Malu também disponibilizou o carro oficial destinado a ela para serviços da Secretaria Municipal de Saúde, porém coloca em dúvida as intenções da vereadora, alegando que ela está pedindo para usar o carro reserva da Casa

“Ocorre que a vereadora, dispôs do carro oficial, mas está solicitando o uso do carro reserva. Não podemos aceitar essas ‘boas ações’ falsas.  Se abriu mão, deveria abrir totalmente, pedir carro reserva é vergonhoso, isso ajuda ou ameniza o que? Essa vereadora, já se mostrou totalmente voltada aos interesses da Prefeitura, falta agora, valer dos interesses dos munícipes e ser transparente em seus interesses e ações. Não existe almoço grátis”, disse ele., mostrando as duas imagens de requisições para uso de carro oficial feitas pela vereadora.

Malu Fernandes se defende, declarando que o post é “totalmente enviesado, favorecendo um parlamentar, em detrimento de outro. A mando de quem essas fotos foram tiradas e divulgadas? O uso do carro é direito do parlamentar”, argumenta.

Ela fez uma publicação nas suas redes e encaminhou uma resposta à reportagem confirmando que decidiu entregar o carro oficial da Câmara neste mês de setembro para que pudesse ser utilizado pela Secretaria de Saúde na busca ativa das pessoas que ainda não terminaram o processo de vacinação. Porém, explica que na semana passada solicitou o carro reserva para poder visitar alguns equipamentos públicos. “Não seria ágil fazer isso de Uber ou transporte público. Então, solicitei um carro reserva da Câmara para TRABALHAR”, e não para uso pessoal.

“Li algumas críticas com relação a isso e entendo. Infelizmente, já tivemos um histórico ruim de uso do carro oficial para fins particulares e de forma exagerada na Câmara, levando as pessoas questionarem a utilidade do carro oficial na rotina dos vereadores.  Entendo a falta de confiança com os representantes políticos, mas quero deixar bem claro que se for necessário pedir emprestado o carro reserva uma outra vez para fazer MEU TRABALHO, eu farei.  Eu não uso carro oficial para fins particulares. Atendo pessoas no meu gabinete, mas prefiro MIL VEZES atende-las no seu próprio bairro, porque nosso gabinete é itinerante e pra isso, uso sim o carro da Câmara, sem medo de dizer.

Segundo ela, os papéis sobre a rota de carro são documentos internos e se um cidadão pedir cópia, pode ter, porque é de interesse público. “Mas, ninguém solicitou. Não são publicados no site da Câmara. Ou seja, alguém tirou foto justamente para fazer essa publicação”, acrescenta, sugerindo se tratar de questão política.

O presidente da Câmara, Otto Rezende (PSD) esclarece foram dois carros oficiais emprestados por 30 dias através de ofício que a Secretaria Municipal de Saúde encaminhou ao Legislativo “Normalmente emprestamos, caso algum vereador possa disponibilizar (como aconteceu com Malu). Após isso, foi feito um pedido do carro reserva pela vereadora”, confirma, acrescentando ainda que isso não deveria ser motivo para polêmica, já que os veículos são mesmo destinados aos trabalhos legislativos no município.

ÚLTIMAS DE Cidades