MENU
BUSCAR
EM FALTA

Vacinas acabam em Santa Isabel; Alto Tietê não sabe quando receberá novas doses

Enquanto Santa Isabel interrompeu a campanha de imunização, Ferraz segue sem imunizantes e Mogi informa que só tem doses para idosos com mais de 85 anos e segunda aplicação de profissionais da saúde

Fábio PalodettePublicado em 22/02/2021 às 18:25Atualizado há 4 meses
Divulgação / Governo de São Paulo
Divulgação / Governo de São Paulo

Mesmo com os estoques zerando, as cidades do Alto Tietê ainda não receberam prazos sobre o envio de novas doses da vacina contra o coronavírus. Nesta segunda-feira (22), a prefeitura de Santa Isabel interrompeu a campanha de imunização, após esgotar os estoques. Já Ferraz de Vasconcelos segue desde a semana passada sem imunizantes para continuar a aplicação da 1ª dose no município e Mogi das Cruzes informa que só tem doses para idosos com mais de 85 anos e segunda aplicação de profissionais da saúde (leia mais abaixo). 

O último lote de imunizantes que Santa Isabel recebeu foi no dia 9 de fevereiro. A cidade não foi informada pelo Ministério da Saúde ou pelo Governo do Estado quando será entregue a nova remessa. "Assim que a cidade receber novas doses a campanha será retomada imediatamente, seguindo a ordem dos grupos prioritários", informa a nota da administração. 

O governo do Estado informa que novidades sobre o envio da vacina serão divulgados ao longo da semana.  A direção do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) aguarda informações oficiais. 

O Governo do Estado São Paulo, porém, garante que a partir do dia 1º de março a imunização será ampliada para todas as pessoas com idade entre 80 e 84 anos. 

A falta de respostas começa a levantar dúvidas na região. A Secretaria de Saúde de Mogi não informou o número de vacinas em estoque, mas disse que só possui doses suficientes para idosos com mais de 85 anos que não tenham recebido a primeira dose, além da segunda dose para os profissionais da linha de frente. 

O Estado informou que “à medida que o Ministério da Saúde viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação contra a Covid-19 serão divulgados pelo Governo de São Paulo. O Instituto Butantan já entregou quase 10 milhões de doses a todo o país e, nesta terça (23), inicia a oferta de mais um lote de pouco mais de 3,4 milhões de vacinas”.

Mais informações devem ser divulgadas nesta terça-feira (23), segundo antecipado pela secretaria a O Diário

 Mogi das Cruzes

A imunização contra a Covid-19 em Mogi prossegue para idosos com 85 anos ou mais que ainda não tomaram o imunizante. A Secretaria Municipal informa que a ampliação da vacinação contra a Covid-19 para trabalhadores de saúde e novas faixas etárias de idosos agora depende do envio de novas doses pelas esferas estadual e federal. 

Profissionais de saúde que atuam no município com 25 anos ou mais puderam tomar a vacina nesta segunda-feira (22) graças ao gerenciamento das doses adotado pela Secretaria Municipal de Saúde, já que os lotes recebidos são especificados pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica do Estado para cada grupo assistido. Cerca de 300 profissionais foram imunizados nos Postos Vila Natal e Alto Ipiranga.

O atendimento continua para idosos com 85 anos ou mais, que podem receber a dose em qualquer unidade de saúde, de segunda a sexta-feira, das 8 às 16h30, enquanto houver estoque. Até o final de sexta-feira (19), o município havia aplicado 3.466 doses em idosos. Somente entre pessoas com 90 anos ou mais, foram 1.390 primeiras doses já aplicadas. 

Segundo dados da Saúde, Mogi das Cruzes já aplicou um total de 17.958 doses de vacina contra a Covid-19, sendo 15.300 primeiras doses e 2.658 segundas doses, que são ministradas na própria unidade de saúde onde atuam os profissionais da linha de frente. Entre os públicos que já receberam a primeira dose da vacina estão trabalhadores da saúde (11.803 primeiras doses); 3.490 idosos e 7 indígenas. 

Pré-cadastro

O pré-cadastro no site Vacina Já economiza 90% no tempo de atendimento para imunização., segundo destacado em comunicado do Estado. O formulário eletrônico leva um minuto para ser preenchido. Já nos postos de vacinação, a coleta de informações dura, em média, dez minutos.

“A ferramenta ajuda a agilizar o atendimento e a evitar aglomerações. Não é um agendamento e o uso não é obrigatório para receber a vacina, mas utilizá-la contribui para melhorar a dinâmica dos serviços de saúde e o atendimento”, informa o Estado

ÚLTIMAS DE Cidades