Entrar
Perfil
VEJA DETALHES

Sesc Mogi abre com meta de receber 30 mil pessoas por mês no futuro

A partir deste sábado (6), Mogi das Cruzes contará com a unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc), pleiteada pela cidade há mais de duas décadas

Carla Olivo
06/11/2021 às 07:14.
Atualizado em 06/11/2021 às 07:24
Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
VEJA DETALHES

Sesc Mogi abre com meta de receber 30 mil pessoas por mês no futuro

A partir deste sábado (6), Mogi das Cruzes contará com a unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc), pleiteada pela cidade há mais de duas décadas

Carla Olivo
06/11/2021 às 07:14.
Atualizado em 06/11/2021 às 07:24

A partir deste sábado (6), Mogi das Cruzes contará com a unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc), pleiteada pela cidade há mais de duas décadas por lideranças, como o Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região do Alto Tietê (Sincomércio) e o Movimento Sesc Mogi, Nós Queremos, com apoio de O Diário.

Após a inauguração oficial, às 11 horas, com a direção da unidade, autoridades de Mogi e região, e convidados, haverá a abertura ao público, a partir das 14 horas, mediante agendamento aberto nesta semana.
Para marcar o início das atividades em Mogi, o Sesc São Paulo apresenta a exposição “Ausente Manifesto: ver e imaginar na arte contemporânea”, com curadoria de Cauê Alves e Pedro Nery, resultado da parceria com o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), que inclui outras atividades conjuntas programadas para acontecer nos próximos dois anos.

A exposição reúne 35 obras do acervo do MAM e de seu Clube de Colecionadores, com artistas como Adriana Varejão, Antonio Dias, Ernesto Neto, José Damasceno, Lenora de Barros, Marepe, Nelson Leirner, Nuno Ramos, Regina Silveira, e outros.

Vários artistas foram convidados para intervenções visuais nos espaços do Sesc. A fotógrafa, ilustradora e artista Sheyla Ayo, junto com duas artistas de Mogi, Lígia do Céu e Sarah Key, fará um trabalho no muro do campo da unidade. O artista paulistano Fábio Menino realizará intervenção nas paredes externas dos vestiários. Na edificação próxima ao Centro de Educação Ambiental, a arquiteta e artista Laura Loli desenvolverá um de seus trabalhos relacionados às pesquisas sobre a paisagem natural e ao uso de pigmentos extraídos da terra. O ilustrador e designer Edson Ikê também irá propor um trabalho em lambe-lambe numa parede perto do espaço da ginástica multifuncional.

Com área de 27.827 metros quadrados e 2 mil m² de construção, onde anteriormente funcionava o Centro Esportivo do Socorro, a 45ª unidade do Estado de São Paulo conta com espaços como o Galpão de múltiplo uso, para shows, espetáculos e exposições; o Centro de Educação Ambiental, que realizará oficinas, vivências e outras atividades na área de educação para sustentabilidade; o Espaço de Tecnologias e Artes; o Espaço de Brincar e Juventudes, voltado às crianças; além de piscina, sala de ginástica, duas quadras poliesportivas, espaços livres para eventos e recreação e um café. Há ainda pista de caminhada.

“O Sesc já está há algum tempo em Mogi através de algumas atividades, mas recebemos a doação da área da Prefeitura em meados do ano passado e, desde então, começamos com algumas intervenções, que foram intensificadas em janeiro deste ano, para instalação da unidade”, conta a gerente do Sesc Mogi, Denise Mariano, destacando que a equipe é formada por 55 funcionários.

Denise Mariano (Eisner Soares)

Segundo ela, há conversas com parceiros, como as secretarias de Cultura e Esportes, para compor a programação com a participação de artistas locais. “Temos perspectivas de realizar algumas atividades em conjunto e isso deve acontecer, inclusive, no âmbito regional, porque o Sesc está em Mogi, mas viemos para fazer o atendimento em todo o Alto Tietê. Já temos cerca de 7 mil matrículas de pessoas residentes apenas em Mogi, fora de outras cidades da região”, destaca Denise, acrescentando que, quando estiver em funcionamento pleno, a unidade deve receber cerca de 30 mil pessoas por mês.

Neste primeiro momento, por conta da pandemia de Covid-19, a piscina será utilizada para atividades esportivas e cursos oferecidos pela unidade. 
O público apenas poderá acessar o Sesc Mogi mediante agendamento, que está dividido em duas partes: visita guiada aos espaços da unidade; e visitação da exposição. Ambos podem ser feitos pelo aplicativo Credencial Sesc SP e pelo site sescsp.org.br/mogidascruzes. Para entrar no Sesc é necessário apresentar comprovante de vacinação contra a Covid-19 (pelo menos a 1ª dose) e usar máscara de proteção facial.

A direção já prepara a segunda fase do Sesc Mogi, que contemplará a construção do campo de grama sintética, serviços na área de saúde, como a Carreta Odontológica, quadra de areia, projeção de pista de skate, entre outros espaços. Este projeto está em fase de contratação, com expectativa de conclusão até o primeiro semestre de 2022.

O Sesc Mogi fica na rua Rogério Tácola, 118, no Socorro. O funcionamento é de terça a sexta-feira, da 13 às 22 horas, e aos sábados e feriados, das 9 às 18 horas. Mais informações: 4728-6200 ou sescsp.org.br/mogidascruzes.

 HISTÓRIA
Serviço faz 75 anos com 45 unidades

Com 75 anos de atuação, o Sesc conta com uma rede de 45 unidades no Estado de São Paulo e desenvolve ações com o objetivo de promover bem-estar e qualidade de vida aos trabalhadores do comércio, serviços, turismo e para toda a sociedade. É mantido pelos empresários do setor.

  

Programas reúnem várias áreas

Atividades oferecidas pelo Sesc Mogi fazem parte do planejamento das demais unidades, com destaque para cultura, esportes, lazer, saúde, educação e recreação

(Reprodução)

As ações desenvolvidas em outras unidades do Sesc também acontecerão em Mogi das Cruzes, que conta com programas físicos esportivos, trabalho social com idosos, exposições, apresentações artísticas e culturais, nas áreas de saúde, alimentação, turismo social, diversidade cultural e direitos humanos, educação para sustentabilidade, valorização social e atividades voltadas a bebês, crianças, adolescentes e jovens nos Espaços de Brincar,  Curumim e Juventudes.

“É uma unidade múltipla, eclética e os programas são os que acontecem em outras unidades do Sesc. Já tivemos várias unidades provisórias, mas nenhuma com uma condição tão especial como essa de Mogi. Tivemos a sorte de contar com uma infraestrutura mais bem montada e pudemos reaproveitar todas as instalações. Demos nova roupagem e condição de uso para atender nossos programas. É algo diferenciado, até pela forma que a unidade será aberta, pelo caminho da arte, com uma exposição de arte contemporânea exclusiva e preparada para a cidade, nos moldes das grandes exposições da Capital, outras partes do país e do mundo, com artistas consagrados brasileiros e internacionais, já que eles têm presença também fora do Brasil”, enfatiza o diretor regional do Sesc-SP, Danilo Santos de Miranda.

(Eisner Soares)

(Eisner Soares)


Ele destaca que a programação também irá valorizar a cultura local  e regional, tanto de artistas que produzem na cidade e já são consagrados como daqueles que estão iniciando e precisam ser incentivados.
“Teremos espaço para isso e já é nossa tradição valorizar a integração com a comunidade e os condutores de cultura locais. A equipe está cuidando para que a programação seja enriquecida com artistas locais. A estratégia é valorizá-los, assim como o intercâmbio com aqueles já consagrados local e globalmente. A ideia do local e global é fundamental para fazer esta integração. Não existe desenvolvimento cultural quando só se valoriza, aprecia ou realiza ações levando em conta um aspecto. Isso não é cultura. A cultura é indispensavelmente integradora e necessita de intercâmbio, seja na troca pura e simples de conhecimento para valores ou para que as pessoas sejam mais conhecidas, a fim de que haja oportunidade para mais gente”, ensina.

(Eisner Soares)


Segundo Miranda, a experiência do Sesc em bairros da capital paulista e em cidades onde atua torna-se rica na transformação efetiva da comunidade. “O Sesc é uma instituição educativa, no sentido da educação permanente, contínua e informal, que se dá pelo contato com a ação cultural ampla nas diversas linguagens”, avalia.

 Comunidade pode ter acesso às atividades

(Eisner Soares)

Criado e mantido pelo empresariado do comércio, serviços e turismo em 1946, com destinação voltada a seus trabalhadores, o Sesc mantém atividades e programações direcionadas à toda comunidade. Será assim na unidade mogiana, com acesso gratuito e agendado por meio do aplicativo credencial Sesc SP ou no site sescsp.org.br/mogidascruzes.

“Os trabalhadores do comércio, serviços e turismo têm vantagens do ponto de vista de pagamentos, reservas e vagas. Há uma obrigação legal para se cumprir isso, assim como acontece no Sesi (Serviço Social da Indústria), destinado aos funcionários das indústrias. Mas nosso compromisso vai além, o Sesc é aberto à comunidade e temos uma série de programas voltados para todo mundo. Pouquíssimas ações são destinadas exclusivamente a este grupo de trabalhadores e seus dependentes. No geral, a programação cultural, esportiva, de lazer, recreação, convivência e alimentação é aberta à comunidade”, explica o diretor regional do Sesc-SP, Danilo Santos de Miranda.

(Eisner Soares)

Pessoas que trabalham com registro em carteira profissional, estagiários e desempregados há 24 meses, e aqueles que se aposentaram em empresas do ramo de comércio de bens, serviços e turismo, podem ter a Credencial Plena do Sesc. Basta acessar o aplicativo Credencial Sesc SP ou o site centralrelacionamento.sescsp.org.br para agendar atendimento e ir presencialmente fazer o documento gratuitamente no Sesc Mogi a partir desta terça-feira (9). 

A credencial oferece descontos nas atividades e serviços pagos.

 Unidade definitiva fará homenagem a Airton Nogueira

Fundador e ex-presidente do Sincomércio de Mogi e Região iniciou luta para trazer o Sesc à cidade há 20 anos

HOMENAGEM Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc-SP, destaca iniciativa de Airton Nogueira, que era do comércio (Arquivo O Diário)

A unidade definitiva do Sesc Mogi, que deve ser construída nos próximos anos na própria área ocupada hoje pela provisória, contará com uma homenagem ao fundador e ex-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região do Alto Tietê (Sincomércio), Airton Nogueira, que morreu em 16 de dezembro de 2016, e iniciou a luta para a vinda do Sesc à cidade, há mais de 20 anos.

A informação foi divulgada pelo diretor regional do Sesc-SP, Danilo Santos de Miranda, que começou a coletiva de imprensa para apresentação da unidade, na última quinta-feira (4), falando da iniciativa de Nogueira para trazer o Sesc a Mogi, que ganhou apoio de O Diário e lideranças da cidade. 

“Ele merece nossa consideração, respeito e valorização, mas em uma unidade provisória, como esta, apesar de ter sido tão bem instalada, não temos a intenção de fazer esta homenagem. Na definitiva, certamente. Temos este pleito registrado e será objeto de deliberação do nosso conselho na hora certa”, explica.

O projeto da unidade definitiva do Sesc Mogi deve ser apresentado à Prefeitura em até três anos após o início das atividades, com estimativa de 5 a 6 anos para ser concluído.

“A unidade provisória trata-se da adaptação de um espaço que fizemos com carinho, atenção e cuidado, mas ainda não é a unidade definitiva, que virá, e para isso é necessário um projeto arquitetônico mais amplo e uma ação abrangente, com belíssimo ginásio de esportes, teatro com muitas produções para receber de 300 a 350 pessoas, espaço de convivência maior e áreas de infraestrutura e alimentação mais completas. Esta é a unidade que temos na cabeça como ideal e vamos chegar lá”, destaca Miranda.

 Sesc vem depois de muita luta

Elizabeth Brasil Carvalho Nogueira (Arquivo O Diário de Mogi)

“Visitei o Sesc de Mogi e achei muito bonito. Está a cara do Sesc, que segue um padrão nas unidades. Só por tudo o que vi e o carinho que o Sesc tem com as crianças, jovens, adultos e idosos, as oficinas, a parte recreativa e quadras, gostei muito. Esta é a primeira fase e ainda terá mais a ser feito, mas está ótimo. O Airton (Nogueira, ex-presidente e fundador do Sincomércio, falecido em 2016) batalhou por isso. O Sesc já tinha concordado em vir para Mogi, após  muita luta, mas exigiu o Centro Esportivo do Socorro para se instalar. Estava tudo certo e, de repente, o prefeito da época não concordou mais com aquele local. O Sesc recuou, passou anos abrindo unidades em outras cidades e Mogi ficou para trás. Até que o então prefeito Marcus Melo oficializou a doação da área no ano passado. Infelizmente, o Airton não viu isso, mas de algum lugar está vendo e feliz”. (Elizabeth Brasil Carvalho Nogueira)

 Unidade valoriza tradições

Adriano Leite (Arquivo pessoal)

“Depois de muita luta e mobilização popular, poder contar com uma unidade do Sesc em Mogi das Cruzes, coloca nossa região em destaque no cenário cultural e esportivo do Estado, valorizando nossas tradições e memórias. Em setembro, tive a oportunidade de conhecer a unidade que já dispõe de uma excelente estrutura para atividades culturais, esportivas e ambientais, além de contar com planejamento de expansão em curto prazo. Certamente, toda essa estrutura será muito bem utilizada na promoção de práticas sustentáveis para a população, que complementam as políticas públicas empregadas em cada município.” (Adriano Leite, secretário-executivo do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê - Condemat).

 Um abraço na alma

Mateus Sartori (Arquivo O Diário)

“Ao adentrar no Sesc Mogi das Cruzes, assim como todas as outras unidades da instituição, o local parece nos receber com um abraço na alma. O espaço físico reutiliza a antiga estrutura existente respeitando o espaço, as árvores e a história do local. Para aqueles que como eu, na infância, utilizaram o centro esportivo para suas atividades de lazer, com certeza verão o potencial que aquele espaço sempre teve.
Além das atividades que o Sesc nos oferecerá, e serão muitas, é preciso um olhar mais profundo e a longo prazo daquilo que a nossa nova unidade buscará em sua trajetória: possibilitar e ampliar o convívio e a troca de experiências, ampliar nosso repertório estético e artístico, criar novas oportunidades, revelar talentos e, a cada dia, proporcionar caminhos para que sejamos pessoas melhores. Sesc, seja muito bem-vindo!” (Mateus Sartori, ex-secretário de Cultura de Mogi e gestor cultural).

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por