MENU
BUSCAR
PROTESTO

Quatro ônibus partiram de Mogi rumo à São Paulo para manifestar em favor de Bolsonaro

Cerca de 200 bolsonaristas se reuniram no Centro Cívico, em Mogi das Cruzes, antes de irem à Avenida Paulista; veja fotos

Heitor HerrusoPublicado em 07/09/2021 às 13:04Atualizado há 15 dias
Eisner Soares
Eisner Soares

Vestidos de verde e amarelo, enrolados em bandeiras do Brasil e usando chapéus das forças armadas, cerca de 200 bolsonaristas se reuniram no Centro Cívico, em Mogi das Cruzes, nesta manhã. Deste ponto de encontro partiram, em quatro ônibus, para a Avenida Paulista, em São Paulo. Lá, participam de manifestações a favor do governo federal e contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

Os dois ônibus que reuniram pessoas de Mogi das Cruzes, de Biritiba Mirim e de Salesópolis somam-se a outro grupo, este liderado pelo ativista Sylvio Marques, dos Conservadores de Mogi das Cruzes, que partiu em trens em direção à capital mais cedo.  

LEIA TAMBÉM: Contra Bolsonaro, Grito dos Excluídos reúne cerca de 200 pessoas no Centro de Mogi

Além da força da voz, todos eles prepararam placas e cartazes, com dizeres “patriotas” em português e em inglês. Marcam presença frases de efeito de Jair Bolsonaro, como “O Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” e também mensagens que pedem “o fim do comunismo” no país” e mostram que a intenção dos manifestantes é contrária a ditadura.

Se a época fosse outra, daria para inferir que estariam se deslocando rumo à um jogo de futebol da seleção brasileira, já que o “uniforme” é semelhante ao dos jogadores: verde e amarelo. Um dos participantes levou um violão, para embalar as frases.

Bem organizados, todos dividiram o valor dos ônibus, compraram água e não pareciam ter intenção de intervenção violenta. Havia gente sozinha, mas também famílias e até mesmo adolescentes.

Animados, os bolsonaristas atraíam a atenção de quem passava no entorno do Shangai. Durante a permanência de O Diário no local, pelo menos dois veículos - um caminhão e uma viatura do Corpo de Bombeiros – buzinaram e acenaram para o grupo.

Falando em carros, além dos quatro ônibus também participam pessoas em seus próprios carros. A maioria dos veículos é de luxo, como BMWs e SUVs de grande porte. De acordo com o organizador, Wellington Leite, a ideia é permanecer em São Paulo “até as 18 horas”.

Em território paulista, pedem por “liberdade”, reforçam o “não ao comunismo”. A camiseta de um dos manifestantes estampava “O Brasil que queremos só depende de nós”. É isso o que eles defendem, junto de outras milhares de pessoas, neste 7 de setembro.

ÚLTIMAS DE Cidades