A professora mogiana Raelen Brandino Gonçalves, 33 anos, que leciona na educação infantil na rede pública municipal de Mogi das Cruzes e de São Paulo, foi premiada nacionalmente com o projeto "Querido Diário", desenvolvido com os alunos da Escola Municipal Profª Therezinha Soares, na Vila Brasileira.

O trabalho está entre os 100 projetos vencedores do Prêmio Educacional Infantil: boas práticas educacionais durante a pandemia", divulgados na última semana. Ela concorreu com outros 700 projetos inscritos de todo o País e ficou entre os 34 premiados no Estado de São Paulo.

No ano passado, que foi atípico e marcado pela pandemia e aulas online, a educadora apostou na iniciativa com o objetivo de fazer com que as crianças expressassem ideias, desejos e sentimentos sobre vivências, por meio da linguagem oral, escrita e desenho.

"Elas registravam diariamente o momento do dia que mais gostavam na escola, enquanto houve aulas presenciais, escrevendo, após vivências concretas (brincadeiras, experiências), e no final de semana faziam o registro com a família do momento mais significativo, apresentando em roda de conversa na segunda-feira”, conta a professora, moradora do Jardim Santa Tereza.

Interrompida pela pandemia, em março do ano passado, a atividade foi retomada a distância em agosto. O momento “Compartilhando o Diário” ganhou espaço no grupo de WhatsApp. As crianças registravam o momento que mais gostavam da semana, enviavam vídeo ou foto explicando e isso era postado no grupo. A proposta era semanal, mas a criança poderia enviar mais de um registro.

“A família foi fundamental no acompanhamento e por meio do diário observamos como as crianças se expressavam, a participação, desenvolvimento da oralidade e da criatividade. Na pandemia, foi fundamental que as crianças pudessem expressar o que pensavam, sentiam, seus gostos e medos ampliando o vínculo familiar, sem perder a  ligação com a escola”, conclui Raelen.

A professora avalia que a premiação é uma motivação diante da dificuldade imposta pelo distanciamento, além de estreitar os vínculos família e escola.

O prêmio para as 100 práticas selecionadas corresponde a R$ 1 mil, com o objetivo de aprimorar o trabalho desenvolvido, além de um curso de 40 horas promovido pelo Instituto Singularidades com foco na BNCC e Educação Infantil.

Sobre Raelen

Doutoranda e mestre em Educação (Universidade Federal de SP);  especialista em Educação Inclusiva e Deficiência Intelectual (PUC-SP); Psicopedagogia Clínica e Hospitalar e Alfabetização (Unicid); Ética, Valores e Cidadania na Escola (USP); Didática e Gestão do Ensino Superior (UMC); Planejamento, implementação e gestão do ensino a distância (UFF); e graduada em Pedagogia (UMC) e História (Centro Universitário Claretiano).

Em Suzano

Três professoras da rede municipal de ensino de Suzano venceram a premiação nacional de boas práticas educacionais durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), na última semana. Os projetos “Mascote da Turma” e “Leitura na calçada”, criados por elas, concorreram com mais de 700 outros inscritos de todo o País (leia mais).