Entrar
Perfil
PERDA

Policial civil aposentado, Toninho Gaguinho morre aos 65 anos

Corpo está no Velório Municipal Cristo Redentor; velório será às 10 horas desta quarta-feira (13), no Cemitério Parque das Oliveiras; ele ficou bastante conhecido em Mogi por seu trabalho.

Carla Olivo
13/09/2022 às 16:23.
Atualizado em 14/09/2022 às 07:02

Toninho Gaguinho morreu nesta terça-feira (13), aos 65 anos; sepultamento será amanhã (14), às 10 horas, no Cemitério São Salvador (Reprodução - Facebook)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
PERDA

Policial civil aposentado, Toninho Gaguinho morre aos 65 anos

Corpo está no Velório Municipal Cristo Redentor; velório será às 10 horas desta quarta-feira (13), no Cemitério Parque das Oliveiras; ele ficou bastante conhecido em Mogi por seu trabalho.

Carla Olivo
13/09/2022 às 16:23.
Atualizado em 14/09/2022 às 07:02

Toninho Gaguinho morreu nesta terça-feira (13), aos 65 anos; sepultamento será amanhã (14), às 10 horas, no Cemitério São Salvador (Reprodução - Facebook)

Familiares e amigos do policial civil aposentado Antônio Carlos Alves de Mello, conhecido pelo apelido Toninho Gaguinho, acompanham o velório que acontece desde as 17 horas desta terça-feira (13), no Velório Municipal Cristo Redentor, no Parque Monte Líbano, em Mogi das Cruzes.

O sepultamento está marcado para as 10 horas de quarta-feira (14), no Cemitério Parque das Oliveiras, também na cidade.

Aos 65 anos, o mogiano morreu nesta terça-feira (13), na capital paulista, onde estava internado. Segundo o delegado titular do 1º Distrito Policial de Mogi, Francisco Del Poente, há alguns dias, o policial havia sofrido um infarto e foi socorrido na Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes e depois removido ao Hospital do Servidor Público, em São Paulo. "Ele tinha grave comprometimento das artérias e foi sumetido à cirurgia. Veio um agravamento e não resistiu", lamentou.

O delegado destacou o trabalho de Toninho como policial civil. "Ele atuou muitos anos na nossa Seccional da região do Alto Tietê, era corajoso, trabalhador, chefe de família e tinha esta marcada de ser destemido. Enfrentou o crime no momento certo, fez prisões significativas e deixa o seu legado. Em nome da Polícia, apresentamos os pêsames aos familiares. Perdemos mais um combatente contra a criminalidade", disse em entrevista a O Diário

Ivone Mello, irmã de Toninho, também lembrou de sua dedicação ao trabalho. "Sempre foi um apaixonado pela profissão de policial civil. Era meu irmão mais velho, me incentivou a cursar a Faculdade e, graças ao incentivo dele, sou psicóloga há quase 30 anos", contou.

Assim que souberam da morte, familiares e amigos de Toninho usaram as redes sociais nesta terça-feira (13) para lamentar a perda do policial civil aposentado, que ficou bastante conhecido na cidade por seu trabalho. 

O administrador de empresas e cerimonialista Hildo Félix foi um dos que fez postagem na internet: "Lamento imensamente pela perda irreparável. Que nosso bom Deus, na sua infinita bondade e sabedoria, possa confortar você e todos de sua família nesse momento extremamente delicado".

O jornalista Paulo Quaresma também falou de sua relação com o policial civil: "Quando atuei na imprensa de Mogi, sempre fui muito bem tratado pelo Toninho, que conhecia desde o início dos anos 90. Que Deus e Jesus o recebam na luz no plano espiritual - onde a jornada continua - e confortem os corações de todos neste momento doloroso de separação".

Toninho deixa esposa, cinco filhos e nove netos.

  

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por