Mudanças esperadas após o falecimento do padre Francisco Deragil, em 8 de dezembro passado, foram anunciadas pelo bispo diocesano de Mogi das Cruzes, bom Pedro Luiz Stringhini, na tarde desta sexta-feira (8). A troca de locais de trabalho envolve os padres Claudio Antonio Delfino, que assumirá a Paróquia Nossa Senhora Aparecida e São Roque, em Braz Cubas, e Dorival Aparecido Moraes, que passará a responder pela Catedral de Santana, no Centro.

A decisão do bispo foi tomada após ouvir a opinião dos membros do Colégio de Consultores e do vigário geral da Diocese de Mogi das Cruzes, monsenhor Antonio Robson Gonçalves.

Claudio Delfino era o paróco da Catedral, e teve a gestão à frente da principal igreja da Diocese marcada pela execução de projetos que visavam concluir as obras de restauração e reformas do prédio que, por suas dimensões, exigiu tempo e recursos financeiros. Ainda há fases do plano de serviços a serem concluídas. 

Já o padre Dorival deixará o Santuário Diocesano do Sagrado Coração de Jesus, localizado no Alto do Ipiranga, um dos templos mais "queridinhos" das noivas mogianas, por causa de suas características - a escadaria no acesso principal, além da riqueza de detalhes, como os enormes lustres, e de luzes no interior do prédio.

Além disso, Dorival, que chegou a Mogi das Cruzes após uma passagem de sucesso pela cidade de Poá, tornou o Santuário Sagrado Coração de Jesus como um dos mais concorridos, por causa da missa de Nossa Senhora Rosa Mística, todo dia 15 do mês, às 19h30.

Em algumas ocasiões, centenas de pessoas disputavam um lugar no interior da igreja, e telões chegaram a ser colocados do lado de fora, para atender a todos os participantes.

A chegada de Dorival tende a otimizar os recursos humanos e materiais para se dar um novo impulso às obras na Catedral de Santana. Ele tem fama de ser um bom articular político em torno das causas que abraça. Aliás, no próximo dia 15, a missa em louvor à Rosa Mística será em novo endereço: no mais antigo templo de Mogi das Cruzes.

No comunicado sobre a mudança, a Diocese de Mogi das Cruzes não divulga, ainda, quem deverá assumir o Santuário Sagrado Coração de Jesus.

 Covid-19

Essa dança de cadeiras ocorre por um motivo triste para a comunidade católica: a morte em dezembro passado do padre Francisco Deragil, aos 53 anos, quando estava em um momento muito especial da carreira religiosa - ele concluía uma construção de fôlego, uma das maiores igrejas da cidade, a de Nossa Senhora Aparecida e São Roque, e foi vítima da Covid-19.

Havia uma grande expectativa sobre a nomeação do novo condutor dessa paróquia, que atende as comunidades de Braz Cubas, que estão entre as mais férteis da cidade, com a realização de feitos, como a segunda maior Festa do Divino Espirito Santo de Mogi, e celebrações que costumam reunir milhares de pessoas.

Estará por ali, nas proximidades, aliás, o Santuário de Nossa Senhora Desatora dos Nós, a ser erguido na avenida das Orquídeas.