MENU
BUSCAR
EMOÇÃO

Padre Alessandro volta no tempo, em Bilbao, ao reencontrar Irmã Maria

Religiosa foi incentivadora da vocação do sacerdote durante o tempo em que viveu no Brasil, atuando pela congregação Instituto Amor Misericordioso

Darwin ValentePublicado em 18/10/2021 às 15:02Atualizado há 2 meses

Durante a passagem por Burgos, padre Alessandro Campos decidiu interromper, por algumas horas, a sua caminhada rumo à Catedral de Santiago de Compostela para um compromisso muito especial. Esquecendo-se por algum tempo as caminhadas pelo tradicional caminho, o religioso viajou perto de duas horas de ônibus até a cidade vizinha de Bilbao para um encontro com uma pessoa que representou muito em seu passado e no seu ingresso no seminário para tornar-se padre.

Alessandro foi rever a Irmã Maria Gonzales, integrante da congregação Instituto Amor Misericordioso, originária da Espanha, que viveu 37 anos no Brasil, a maior parte desse tempo em Mogi das Cruzes, e que se viu obrigada a retornar às suas origens, perto de uma década atrás, para o tratamento de um câncer de mama.

“Irmã Maria foi uma das pessoas que acompanharam minha vida desde pequeno”, relembra padre Alessandro, ao demonstrar um carinho especial com aquela que o viu crescer. “Quando fui para o seminário, fui para a congregação dela, os Filhos do Amor Misericordioso. Ela é uma pessoa muito especial em minha vida e não poderia, de forma alguma, deixar de passar para dar um abraço nela, pois não sei quando terei novamente esta oportunidade. Foi muito bom estar com ela, conviver um pouco, celebrar, pois não sei quando poderei fazer isso novamente”, contou padre Alessandro a este jornal.

O reencontro com Irmã Maria foi marcado pelo afeto mútuo. Os dois conversaram longamente recordando a época em que viveram em Mogi das Cruzes, cada um relembrando os fatos mais recentes de suas atividades.

Parecia até um encontro de mãe e filho, onde ambos se divertiram relembrando histórias do passado, tomando sorvetes e saboreando outras comidas e bebidas oferecidas pela anfitriã. Não faltaram orações e cânticos religiosos.

Depois de algum tempo juntos, padre Alessandro Campos foi até a capela da congregação onde vive Irmã Maria e, trocando o traje esporte por uma batina, surpreendeu a todos celebrando uma missa no idioma espanhol, incluído até mesmo o sermão improvisado durante o ritual.

A emoção tomou conta de todos durante a celebração, em especial durante a comunhão, quando o padre ofereceu a cada uma das pessoas presentes, inclusive à Irmã Maria, a hóstia consagrada, que representa o corpo de Cristo.

Depois da missa, padre Alessandro e Irmã Maria voltaram a protagonizar, sempre juntos, uma sessão de selfies, feita com o celular do próprio religioso.

“Achei bonito o carinho do padre com aquela que o viu crescer. Foi realmente emocionante”, anotou Tiago Gomes, o baterista da banda que acompanha os shows de padre Alessandro e que divide com ele e Claudio Silva, o “Zum”, a trajetória pelo Caminho de Santiago de Compostela. A interrupção da viagem para que o padre pudesse encontrar Irmã Maria arrancou outro comentário de Tiago: “O padre sempre sendo grato à sua história. Isso é fenomenal nele, que nunca esquece suas origens, mesmo quando está fora do País”, pontuou.

“Foi um domingo inesquecível”, assegurou padre Alessandro, ao retornar para Burgos, após passar a maior parte do dia ao lado de sua antiga conselheira, no interior da sede da congregação Instituto do Amor Misericordioso, que também tem uma longa história de trabalho em obras sociais a favor de pessoas carentes. Trata-se de um instituto fundado pela religiosa espanhola, beata madre Esperança de Jesus, em meados do Século XX, em Roma, na Itália. Hoje, o trabalho de formação de padres e de ações sociais se estende por várias partes do mundo. 

Em Mogi das Cruzes, por exemplo, desde 1982 existe, no distrito de Braz Cubas, o Instituto Amor Misericordioso, que atende crianças carentes da região do distrito de Braz Cubas. Integrantes da congregação também são contratadas para dar suporte religioso/administrativo para o Instituto Anna de Moura, que também atende a crianças e jovens do distrito, com ensino profissionalizante.

A Irmã Maria chegou a atuar como diretora do “Anna de Moura”, como recorda o atual vice-presidente, Elias Tomé da Silva Pires, lembrando também que foi lá que padre Alessandro recebeu suas primeiras aulas de violão.

Deixando para trás o reencontro com parte de seu passado, o religioso e seus dois amigos retornaram, no início da noite de domingo (17), para Burgos onde, nesta segunda-feira (18), pela manhã, retomou sua viagem pela estrada que deverá conduzi-los até a próxima parada, 25 km adiante: a cidade de Arroyo Sambol e, mais 11 km à frente, até Castrojeriz.  É fé na estrada e pé no caminho.

ÚLTIMAS DE Cidades