MENU
BUSCAR
Descanso aos pés; exercício para a voz

Padre Alessandro encontra brasileiros e canta em praça de cidade na Espanha

Passagem por Los Arcos é marcada pelo encontro com grupo do Sul do País que acabou em show de música sertaneja em praça pública; religioso também visita igreja

DARWIN VALENTEPublicado em 12/10/2021 às 19:36Atualizado há 14 dias

Após uma noite de sono em um camping localizado junto ao caminho a ser trilhado, o dia do padre cantor Alessandro Campos, na rota para a Catedral de Santiago de Compostela começou cedo. E após 28 km de caminhada, a próxima parada foi a cidade de Los Arcos, onde o religioso e seus dois acompanhantes - Thiago Gomes, e Claudio Silva, o “Zum”, integrantes de sua banda e equipe de trabalho – puderam dar um descanso aos pés, onde tiras de esparadrapo ajudavam a esconder o resultado de calos e bolhas que foram causados pelos calçados usados pelo padre no início da caminhada.

Padre Alessandro tem dores no joelho durante peregrinação

Veja como foi o domingo de peregrinação do padre Alessandro Campos

Padre Alessandro mostra marcas da peregrinação e manda mensagem a Mogi

Padre Alessandro Campos e a partida para Santiago. Assista!

Usando confortáveis chinelos, o padre aproveitou as horas do final da tarde para conhecer melhor a cidade e suas características muito próprias e, durante um passeio pelo centro, uma surpresa.

O religioso foi reconhecido por um grupo de viajantes do Sul do País, que também aproveitavam a comida de um pequeno restaurante com mesas sobre as calçadas. 

Depois das tradicionais tietagens, com fotos e vídeos, alguém apareceu com um violão. E era tudo que se precisava para o padre fazer um pequeno show, lembrando músicas sertanejas de conhecidas duplas brasileiras. E vieram sucessos da dupla Milionário & Zé Rico, cantados em dueto com os seus dois acompanhantes, além da inevitável “Saudade de Minha Terra”, clássico de Goiá e Belmonte, que foi acompanhado até mesmo pelos sulistas, quase sempre mais adeptos de músicas regionalistas.

Terminado o encontro com os brasileiros, padre Alessandro foi visitar uma antiga igreja da cidade, onde se destacavam altares entalhados em madeira tratada e bancos também de madeira, onde se viam registros a serem seguidos para o distanciamento social em virtude da pandemia. Pela primeira vez o religioso apareceu usando máscara, mesmo com a igreja totalmente vazia. Durante as caminhadas, em espaços abertos e desertos, a marcha dispensava o uso da cobertura sobre a boca e o nariz.

No interior do templo, um tanto escuro, o padre se ajoelhou e rezou diante do altar principal, pedindo proteção para o que terá de encarar pela frente: mais de 600 km até a esperada chegada na Catedral de Santiago de Compostela, na região da Galícia, no noroeste da Espanha. A próxima parada em uma cidade de maior porte será em Lograño, mas antes, os três viajantes irão passar por Vero.

Um detalhe: padre Alessandro foi feliz ao escolher o caminho francês para Compostela. Existem inúmeras outras opções, como a rota que sai de Portugal, com saída do Porto (250 km), ou o Caminho da Prata, com partida em Sevilha, num outro extremo do território espanhol (980 km); o Caminho Aragonés, com partida em Samport, no Valle del Aragón, na Espanha (960 km); há também o Caminho Primitivo, que sai da cidade de Oviedo, a capital das Astúrias, no norte da Espanha (315 km); além do Caminho do Norte, que parte de Irún, também na Espanha (825 km).

O trajeto francês, utilizado pelo padre e seus acompanhantes é muito bem sinalizado e com boa infraestrutura (pousadas, paradouros e restaurantes). Por ele circulam mais 200 mil pessoas a cada ano, ou seja, praticamente 75% do total de peregrinos que se dirigem para Santiago de Compostela.

ÚLTIMAS DE Cidades