MENU
BUSCAR
UMA BUSCA ESPIRITUAL

Padre Alessandro Campos percorrerá o Caminho de Compostela em outubro

Em busca das descobertas que tornaram famoso o Caminho de Santiago de Compostela, O religioso fará a rota durante 22 dias

Darwin ValentePublicado em 18/09/2021 às 12:20Atualizado há 1 mês
Eisner Soares
Eisner Soares

O padre cantor Alessandro Campos está se preparando para viver um dos maiores desafios e uma das mais ousadas experiências espirituais de todos os seus 39 anos: caminhar pelos 869 km que separam Saint-Jean-Pied-de-Port, nos arredores de Paris, na França, até a Catedral de Santiago de Compostela, na Galícia, região noroeste da Espanha. Durante todo o mês de outubro, o religioso irá percorrer uma rota totalmente desconhecida, em busca das descobertas que tornaram famoso o Caminho de Santiago de Compostela, composto por experiências sensoriais, responsáveis por mudar radicalmente a vida de muitos peregrinos e que inspiraram escritores e outros artistas a contar as histórias vividas ao longo de todo o trecho em filmes e livros como “O Diário de Um Mago”, primeiro best-seller do hoje mundialmente famoso brasileiro Paulo Coelho.

A principal preocupação de padre Alessandro será alcançar o destino final de sua viagem e, com isso, cumprir uma promessa feita às vésperas do Natal do ano passado, quando, pela segunda vez, alcançou uma grande graça divina, num momento de um verdadeiro drama em família, marcado pelo desespero do próprio religioso e de alguns de seus parentes mais próximos.

LEIA TAMBÉM: Conheça o Caminho de Santiago de Compostela pela experiência de quem já o percorreu

Um desafio enorme para um sedentário que só agora, quase às vésperas da partida, optou por se preparar fisicamente realizando longas pedaladas por caminhos e trilhas de Mogi das Cruzes, pela manhã e à tarde, sempre acompanhado do primo Jorgito e da secretária Zélia. A ideia inicial de contratar um personal trainner para ajudá-lo no preparo físico acabou esquecida, à medida que o tempo foi passando e Alessandro se envolvendo cada vez mais em sua rotina de apresentador de televisão e de cantor prestes a lançar um novo álbum com músicas sertanejas e caipiras de hoje e de ontem.  

E é preparado dessa forma que o padre espera percorrer uma média de 35 a 40 km diários, suficiente para que possa alcançar seu destino ao final de 22 dias, ficando os outros oito dias para descansar e conhecer melhor a região da Compostela, participando de missas e outras celebrações católicas, tradicionais naquela parte da Espanha. 

Sua passagem de volta está marcada para o dia 1º de novembro e ele não admite sequer imaginar a possibilidade de estender a viagem além do período pré-estabelecido.

Na atual fase de preparativos, padre Alessandro tem sido alvo da curiosidade de fãs e da preocupação de suas “velhinhas”, como ele denomina as idosas que costumam frequentar seus programas, shows e viagens pelo País e exterior. No geral, todos querem saber sobre os preparativos para a grande aventura e se ele irá encarar sozinho todo o percurso da viagem. Na verdade, ele ainda não decidiu se vai levar o baterista de sua banda, Tiago Gomes, que se apresentou para acompanhá-lo, tão logo ficou sabendo do trajeto a ser cumprido. Uma opção a ser considerada, caso ele resolva levar em conta os conselhos da grande maioria.

Afinal, nos planos do religioso está o envio de informações para este jornal e um resumo diário da viagem à Editora Globo, que pretende aproveitar o sucesso de “Eu Não Aguento Mais”, que vendeu, segundo o padre, mais de 3 mil exemplares, e já lançar novo livro contando a experiência do Caminho de Santiago de Compostela, quando Alessandro ainda estiver concluindo sua viagem, em terras espanholas.

  A promessa: Alessandro Campos prometeu fazer o Caminho de Santiago de Compostela pela saúde da sobrinha

Às vésperas do Natal do ano passado, padre Alessandro chegava à casa de sua família, no Jardim Santa Tereza, em Braz Cubas, no começo da madrugada, após a apresentação de seu programa de televisão, em São Paulo, quando encontrou a irmã Daiane, aos prantos, trazendo nos braços a filha Rebeca, à época com pouco mais de 1 ano. Ao tentar acalmá-la, o padre ficou sabendo o motivo de tanto desespero: uma médica que examinara a menina antes da aplicação de uma vacina, diagnosticou-a como portadora do Transtorno do Espectro Autista (TEA), ou simplesmente autismo, algo que afeta o modo como a pessoa percebe o mundo e interage com  as outras pessoas.

Sempre agarrada ao tio, a pequena Rebeca já estava no colo de Alessandro quando ele buscava contornar a situação:

“Uma médica não pode dar um diagnóstico como esse sem fazer exames, só olhando a criança. Amanhã vamos buscar o melhor médico para examinar a menina. E se realmente for isso, vamos encarar e criá-la com todo amor do mundo. Pior seria algo mais grave”, disse o religioso.

O coração de mãe, no entanto, falava mais alto e Daiane não parava de chorar. O padre apelou. “Vamos trocar de roupa e comer um hot dog no Largo Primeiro de Setembro”. A viagem inesperada teve efeito calmante.

Mas no caminho entre Braz Cubas e o centro de Mogi, Alessandro rezava, com a pequena Rebeca ainda agarrada a ele.

Por volta de 3h30 da madrugada, todos voltaram para casa, cientes de que o dia seguinte seria longo na busca de um médico que pudesse reexaminar a menina.

As imagens do desespero da irmã acompanharam padre Alessandro até sua residência, onde ele não conseguiu pegar no sono, apesar do dia muito movimentado e cansativo. O final da madrugada encontrou o religioso ajoelhado ao lado da cama:

“Eu comecei a chorar e a rezar. Pedi ao Pai que fosse feita a vontade d’Ele, mas se achasse que eu merecia receber mais uma graça, que assegurasse a saúde plena para Rebeca”, conta o religioso, lembrando a última vez que fizera um apelo tão forte e dramático a Deus: havia sido quando sua avó, dona Joana, hoje com 96 anos, estava entre a vida e a morte, no leito de um hospital da cidade. Mesmo debilitada, devido aos primeiros sintomas do Mal de Alzheimer, ela se recuperou e, duas semanas depois, estava cantando junto com neto em seu programa de televisão.

Junto ao dramático apelo, veio a promessa: fazer o Caminho de Santiago de Compostela, a pé, como forma de retribuir a benção que seria alcançada.

Padre Alessandro ouviu falar do Caminho de Santiago, pela primeira vez, quando ainda era seminarista. Já como padre e famoso, acompanhando um grupo de católicos em uma viagem à Turquia, um guia voltou a falar com ele sobre o mesmo assunto, chegando a se emocionar e chorar durante a conversa. Idêntica reação de seu amigo, o empresário Antonio Russi, dono do Shopping Itapema, em Santa Catarina, que também nunca conseguiu contar até o final a sua experiência pessoal na viagem para Compostela. A emoção não deixava. A opção pelo Caminho de Santiago veio quase instintivamente, talvez por conta dessas histórias acumuladas no subconsciente.

No dia 23 de dezembro, antevéspera do Natal de 2020, a preparação da ceia natalina estava difícil na casa do religioso. Além do inesperado diagnóstico de Rebeca, existia ainda no ar o sentimento de luto e o abalo provocados pela perda da tia Cida, ocorrida havia menos de um mês. A irmã Daiane e o marido Allan haviam levado a filha a uma médica mogiana indicada como a principal especialista em autismo da cidade, que concordou em atender a menina, mesmo às vésperas da festa natalina.

“Fiquei em casa, nervoso e orando muito. Tinha certeza de que a médica iria dizer que a menina não tinha nada. Mas torcia para que isso ocorresse. Ansioso, liguei para minha irmã no celular e ela atendeu chorando... só que desta vez, de alegria. Todos os exames não apontaram quaisquer problemas. Nosso Natal, a partir daquele instante, ganhou um novo sentido. E eu passei a buscar a data ideal para pagar a promessa, que veio agora, na fase final da pandemia, antes da retomada dos shows ao vivo e das viagens, a partir de novembro”, disse o religioso a este jornal.

 

A preocupação com a saúde da sobrinha Rebeca, na foto com os pais, Daiane e Allan, irmã e cunhado de Alessandro, o levou a prometer fazer o Caminho de Santiago de Compostela, a pé; ao lado com o também padre, Jonathas Pereira Diniz, da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, em Sabaúna, após treino de bicicleta até o distrito, como preparativo para a viagem programada para o próximo mês

  Conheça o caminho

Percorrer o caminho de Santiago de Compostela não é mais um desafio que move apenas peregrinos tomados por sua fé e devoção cristã.

O percurso se transformou também em roteiro turístico e cultural, passando por cidades e cenários que costumam ficar para sempre guardados na memória de quem se dispõe a enfrentar centenas de quilômetros por dias seguidos.

 Roteiro traçado pelo padre

Dia 23 de dezembro de 2020 – Padre Alessandro promete fazer o Caminho de Santiago de Compostela, ao pedir a Deus pela saúde da sobrinha Rebeca, hoje com 2 anos e meio.

Dia 23 de setembro de 2021 – O religioso viaja para o Amazonas para inaugurar, ao lado de frei Hans, a Fazenda Nossa Senhora da Piedade, da Igreja Católica, em Maués

Dia 28 de setembro - Padre Alessandro retorna a Mogi, apresenta à noite, seu programa na tevê, ao vivo.

Dia 29 de setembro – Viagem para Paris

Dia 30 de setembro– Chegada e descanso em Paris

Dia 1º de outubro – Início do Caminho de Santiago de Compostela

Dia 22 de outubro – Previsão de chegada à Catedral de Santiago de Compostela

Até dia 30 de outubro – Visitas a igrejas da região da Galícia, na Espanha 

Dia 1º de novembro – Padre Alessandro retorna a Mogi das Cruzes

ÚLTIMAS DE Cidades