Morreu na noite desta quarta-feira (24) o ex-vereador de São Paulo Masataka Ota, aos 63 anos, vítima de um câncer. Ele era marido da deputada federal Keiko Ota e pai de Ives Ota, assassinado em 1997.

Ota tratava de um câncer e estava internado no hospital Sírio Libanês, na capital. Segundo a biografia dele na Câmara de São Paulo, Masataka Ota nasceu em 1956, em Tomigusuku, Okinawa. Ele é naturalizado e chegou com a família ao Brasil com apenas um ano.

Ele era casado com a deputada federal Keiko Ota há mais de 30 anos e pai de três filhos: Vanessa, Ives e Ises.

O ex-vereador ficou conhecido por coordenar, desde 1997, o Movimento Paz e Justiça Ives Ota, criado por ele e sua mulher em consequência da tragédia, que envolveu seu filho.

Aos 8 anos, Inves foi sequestrado em casa, na zona leste de São Paulo, em agosto de 1997. Por ter reconhecido um dos homens, que era policial militar e fazia bico como segurança em uma loja da família, o garoto foi morto na madrugada do dia seguinte. Mesmo depois da execução, o grupo continuou negociando o resgate. Os três envolvidos no caso foram condenados.

Na época, ele ficou frente a frente com os assassinos de Ives e os perdoou. Com isso, ele afastou o sentimento de ódio e rancor pelo crime. Ainda em 1997, organizou abaixo-assinado contrário à proposta de redução da pena para crimes hediondos de 30 para 15 anos. Em seguida, foram coletadas cerca de 3 milhões de assinaturas em todo o país e até no exterior. O documento foi entregue em 1999 ao Congresso Nacional.