Mogi das Cruzes registrou 361 novos casos de Covid-19 na semana passada - entre 9 a 15 de novembro -, de acordo com dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde. O número é 122% maior do que o notificado pela pasta nos sete dias anteriores, quando 162 mogianos testaram positivo para a infecção provocada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Essa é a primeira alta após três semanas em queda. 

Observação: A Prefeitura informa que "no dia 3 de julho, foi identificado um laboratório que fez, num único dia, o lançamento de 250 casos positivos de mogianos, referentes a coletas realizadas entre os dias 16 de maio e 27 de junho. No dia 13 de agosto, a Secretaria Municipal de Saúde recebeu 406 novos casos lançados pelo sistema oficial do Governo do Estado referentes a registros represados desde o mês de abril. Deste total, 8 casos foram registrados em abril; 21 em maio; 68 em junho; 169 em julho, 45 em agosto e 95 sem registro de data de coleta. Na primeira semana de setembro a Secretaria Municipal de Saúde recebeu 305 novos casos lançados pelo sistema oficial do Governo do Estado referentes a registros represados desde o mês de julho".

Os óbitos na cidade também cresceram, porém, de forma menos expressiva: foram 11 mortes atreladas â Covid-19 entre 2 a 8 de novembro. Já entre os dias 9 e 15, foram 14. 

Em paralelo, o índice de recuperação da Covid-19 em Mogi das Cruzes chegou a 87,6% na noite desta segunda-feira (16). Entre 10.287 contágios do novo coronavírus notificados pela Saúde desde o início da pandemia, 9.019 são referentes a pacientes que conseguiram superar a infecção. O volume fica acima da média das 10 cidades que integram o Alto Tietê, atualmente estagnada em 80%, de acordo com dados das Vigilâncias Epidemiológicas.

Mogi das Cruzes chegou nesta segunda-feira a 453 óbitos provocados pela doença, que corresponde a uma taxa de letalidade de 4,4%. Considerando toda a região, esse número é ligeiramente maior, em 4,6%.