A Secretaria Municipal de Saúde de Mogi das Cruzes não recebeu previsões do Governo do Estado sobre o envio de mais lotes da vacina contra o coronavírus para a cidade. Em meio a dúvidas, ainda não há novas definições do início da imunização de outros grupos ou faixas etárias. O próprio Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) também não foi informado oficialmente sobre prazos.

A pasta informa que a cidade já vacinou 10.928 trabalhadores da saúde contra a Covid-19 até a noite desta terça-feira (16). Deste total, 846 já tomaram a segunda dose. 

O Diário solicitou informações sobre o número de doses no estoque da Prefeitura de Mogi das Cruzes e aguarda retorno.

LEIA TAMBÉM: Ferraz de Vasconcelos segue sem vacina contra a Covid-19 para a 1ª dose

O atendimento continua para idosos com 85 anos ou mais, que podem receber a dose em qualquer unidade de saúde, de segunda a sexta-feira, das 8 às 16h30, enquanto houver estoque. A adesão desse grupo tem sido um sucesso, com 2.822 pessoas já vacinadas. Outros grupos e faixas etárias serão divulgados conforme a chegada de novas remessas.

Na última semana, os hospitais e pronto atendimentos da cidade iniciaram a aplicação da segunda dose para os primeiros profissionais da linha de frente do combate à pandemia e que receberam o imunizante Coronavac, do Butantan. O trabalho está sendo executado internamente pelas unidades, da mesma forma como ocorreu com a primeira dose, e, para isso, Mogi das Cruzes recebeu 5.240 segundas doses.

A primeira pessoa a ser vacinada contra a Covid-19 em Mogi, o enfermeiro Davi Chaves de Oliveira, já recebeu a segunda dose de Coronavac. Ele trabalha desde 2018 no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes, em Braz Cubas, onde funciona o Centro de Referência do Coronavírus, e representou os profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia. “Fui agraciado ao ser o primeiro profissional vacinado na cidade. A palavra é gratidão: por mim e por meus colegas que estão na linha de frente”, afirmou. 

De acordo com o Plano Nacional de Imunização, a vacinação contra o novo coronavírus será realizada por etapas que serão informadas e realizadas de acordo com o envio de novas remessas de vacina pelo Governo do Estado. Apesar do avanço da vacinação, a população precisa manter todos os cuidados na rotina, como uso de máscara, distanciamento social e higiene das mãos.

 

Cidades sem vacina

O movimento municipalista, por meio da Confederação Nacional de Municípios (CNM), divulgou nota solicitando rapidez nas campanhas de vacinação. De acordo com o grupo, existe o risco que a vacinação seja suspensa na maioria dos municípios do país. Veja o documento:

"Em nome dos gestores locais que assistem e vivem desesperadamente a angústia e o sofrimento da população que corre aos postos de saúde na busca de vacinas contra a Covid-19, manifestar sua indignação com a condução da crise sanitária pelo Ministério da Saúde e solicitar a troca de comando da pasta. A entidade tem acolhido relatos de prefeitas e prefeitos de várias partes de país, indicando a suspensão da vacinação dos grupos prioritários a partir desta semana, em consequência da interrupção da reposição das doses e da falta de previsão de novas remessas pelo Ministério".

 

Casos 

Nas últimas 24 horas, a região registrou 11 mortes de pacientes infectados pelo novo coronavírus e Mogi das Cruzes está muito próxima de ultrapassar as 700 vítimas fatais. A cidade possui 694 óbitos e lidera o ranking regional da pandemia da Covid-19. No Alto Tietê, 2.281 pacientes faleceram

No balanço geral, após Mogi das Cruzes, aparece Itaquaquecetuba, com 417 óbitos, Suzano, 359; Ferraz de Vasconcelos, 211, Poá, 151; Arujá, 123; Santa Isabel, 101; Guararema, 52; Biritiba Mirim, 46; e Salesópolis, 27 (leia mais).