MENU
BUSCAR
Após Denúncias

Meio Ambiente de Itaquá multa empresa em mais de R$ 29 mil

Lavanderia de tecido jeans estava despejando água suja com os produtos tóxicos de tintura dos tecidos diretamente no afluente.

O DiárioPublicado em 04/05/2021 às 12:13Atualizado há 9 dias
Além do valor, a empresa possui um prazo de 30 dias para regularizar a situação de degradação / Divulgação - Prefeitura de Itaquá

A Guarda Ambiental de Itaquaquecetuba recebeu uma denúncia anônima de uma empresa que despejava produtos tóxicos no curso de um córrego. A ação aconteceu nesta segunda-feira (3) no bairro Jardim Tropical.  A empresa foi autuada pela Prefeitura Municipal.

A empresa é uma lavanderia de tecido jeans que estava despejando a água suja com os produtos tóxicos de tintura dos tecidos direto no afluente. Após constatação pela equipe técnica da Secretaria de Meio Ambiente, o proprietário foi multado em R$ 29.090. Já a diretora de fiscalização de Posturas, da Prefeitura, Vilsania Soares, o notificou.

Além desse valor, a empresa possui um prazo de 30 dias para regularizar a situação de degradação ao meio ambiente, ou seja, para a remoção dos canos encontrados aos quais vem diretamente deste local ou providenciar uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), caso não haja as adequações necessárias, pode ter suas atividades suspensas, bem como a perda do licenciamento ambiental da empresa.

De acordo com o secretário-adjunto do Meio Ambiente, Siclanei Castaldi, esta ação é muito importante, pois o córrego contaminado pode trazer problemas por todo o trajeto que ele naturalmente faz. “Essa poluição gera prejuízos enormes ao meio ambiente. Estamos aos poucos reconstruindo nossa cidade e não podemos deixar que isso aconteça”, esclarece Castaldi.

Já o secretário de Segurança Urbana, Anderson Caldeira, explica que este crime ambiental foi descoberto com a ajuda da população que realizou a denúncia anônima. “Chegamos até esta ocorrência porque a população participou ativamente. A denúncia deve ser feita sempre que acontecer algo errado e não precisa de identificação, uma vez que mantemos sigilo para resguardar o denunciante”, explica Caldeira.

Para sanar possíveis dúvidas, os agentes envolvidos recolheram uma amostra da água com a coloração azul e outra com a parte que antecede o despejo da toxina. As duas serão encaminhadas para análise.

Qualquer ação contra o meio ambiente, seja com a flora ou fauna, é crime ambiental e deve ser denunciado para a Guarda Ambiental no número 153.

ÚLTIMAS DE Cidades