Entrar
Perfil
IMUNIZAÇÃO

Lotes com vacinas contra a Covid-19 estão temporariamente interditados em Mogi

Secretaria Municipal de Saúde aguarda orientações do Governo do Estado para manipulação das doses, após falta de energia em unidades básicas de saúde

Mariana Acioli
20/01/2022 às 19:21.
Atualizado em 20/01/2022 às 19:21

Secretaria de Saúde de Mogi afirmou ainda não identificar perdas com dos imunizantes (Divulgação - Pixabay)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
IMUNIZAÇÃO

Lotes com vacinas contra a Covid-19 estão temporariamente interditados em Mogi

Secretaria Municipal de Saúde aguarda orientações do Governo do Estado para manipulação das doses, após falta de energia em unidades básicas de saúde

Mariana Acioli
20/01/2022 às 19:21.
Atualizado em 20/01/2022 às 19:21

Secretaria de Saúde de Mogi afirmou ainda não identificar perdas com dos imunizantes (Divulgação - Pixabay)

Os lotes de vacinas contra a Covid-19 armazenados nas unidades básicas de saúde e que ficaram um período sem energia elétrica nesta terça-feira (18), por causa da forte chuva que atingiu Mogi das Cruzes, permanecem temporariamente interditados. A Secretaria Municipal de Saúde aguarda orientações técnicas do Governo do Estado para manipulação das doses e informou que ainda não é possível avaliar se houve perdas em decorrência da falta de energia.

No entanto, nesta quarta-feira (19), a Secretaria recebeu novos lotes dos imunizantes contra o novo coronavírus para a reposição dos estoques na cidade.

Como reportado por O Diário, a tempestade que atingiu Mogi na terça-feira (18) ocasionou diversos problemas na região, especialmente a queda de energia que chegou a durar um dia inteiro em alguns lugares. O evento gerou preocupação sobre a conservação indevida das vacinas em razão do longo período sem energia em algumas unidades básicas de saúde.

Em nota, a Secretaria de Saúde afirmou que ainda não foi possível identificar perdas dos imunizantes, já que durante tempestade desta terça (18), algumas salas de vacinas apresentaram oscilações de temperatura, mas que continua aguardando orientações técnicas do Estado para essa avaliação.

A enfermeira Lilian Peres Mendes, chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica de Mogi, falou sobre o impacto das chuvas no estoque de vacinas contra a Covid-19 e demais imunizantes de rotina nesta semana. “O município segue uma orientação de contingência para situações de faltas de energia que envolvem diferentes procedimentos”, comentou a profissional.

De acordo com a enfermeira, as unidades de saúde da região contam um gerador de energia que abastece os equipamentos da Central de Estoque, Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos Municipal (CEADIM).

Existem câmaras frias para vacinas com autonomia de 12 a 24 horas sem energia elétrica comercial e, ainda, a disponibilidade de caixas térmicas e freezers com bobinas de gelo reciclável congeladas em quantidade suficiente para o armazenamento do estoque de vacinas em todas as unidades de saúde com salas de vacinas.

Com o objetivo de minimizar ocorrências por defeito nos equipamentos, a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica esclareceu também que existe contrato de manutenção preventiva e corretiva das câmaras frias de estoque de vacinas.

Nesta semana, com a ocorrência de fortes chuvas e a falta de energia elétrica em várias unidades, a secretaria informou que a maioria fazia uso dos recursos disponíveis e orientações técnicas já estabelecidas, garantindo dessa forma, a manutenção das vacinas em temperaturas adequadas, não sofrendo oscilação.

“Infelizmente, por defeito no equipamento, houve oscilação da temperatura em três unidades. Quando isso ocorre, as vacinas são recolhidas pela equipe da CEADIM, armazenadas em temperaturas adequadas, porém ficam indisponíveis para uso, devidamente identificadas”, explicou a pasta.

Ainda de acordo com nota enviada a O Diário pela secretaria municipal, é realizada a notificação aos níveis superiores da Vigilância Estadual e Ministério da Saúde sobre possíveis comprometimentos nos imunizantes e, após a análise das informações da notificação, é emitido parecer técnico com a conduta a ser tomada. Se não houver comprometimento na qualidade das vacinas, as doses estão liberadas para uso, ou se, conforme tempo de exposição à oscilação da temperatura, as doses precisam ser descartadas.

Estoque de vacinas contra a Covidd-19 que estavam armazenadas durante a queda de energia nas unidades básicas de saúde e aguardam resposta do Ministério da Saúde:

- Astrazeneca 450 doses;

- Pfizer (formulação adulto) 552 doses;

- Coronavac 690 doses;

- Janssen - 550 doses.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
Copyright © - 2022 - O Diário de MogiÉ proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuído por