Entrar
Perfil
Rio Jundiaí

Limpeza do Jundiaí depende de licença ambiental

O Daee concluiu o processo de licitação para realização das obras no trecho do rio entre Mogi e Suzano, com investimentos previstos de R$ 4,6 milhões

Silvia Chimello
26/10/2020 às 14:53.
Atualizado em 26/10/2020 às 20:03

Após concluir a licitação para as obras de limpeza do Rio Tietê, serviço não pode começar porque ainda não tem o licenciamento ambiental (Arquivo)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
Rio Jundiaí

Limpeza do Jundiaí depende de licença ambiental

O Daee concluiu o processo de licitação para realização das obras no trecho do rio entre Mogi e Suzano, com investimentos previstos de R$ 4,6 milhões

Silvia Chimello
26/10/2020 às 14:53.
Atualizado em 26/10/2020 às 20:03

Após concluir a licitação para as obras de limpeza do Rio Tietê, serviço não pode começar porque ainda não tem o licenciamento ambiental (Arquivo)

O Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE) não tem até agora uma data definida para a realização de limpeza do Jundiaí, motivo de preocupação para as famílias que residem nas proximidades do rio, especialmente com a chegada das chuvas, época em que moradores sofrem com os alagamentos que acontecem com frequência naquela região.   

O processo de licitação para a escolha da empresa que vai fazer o desassoreamento já foi concluído, mas ainda falta o licenciamento ambiental para realizar os serviços. As obras deveriam ser iniciadas em novembro, pelas previsões do Estado, com período de nove meses a execução de limpeza do Rio Jundiaí, entre os municípios de Mogi das Cruzes e na divisa com Suzano, numa extensão de cerca de três mil metros

A empresa ETC -Empreendimentos e Tecnologia em Construções LTDA foi a selecionada no pregão realizado pelo órgão para contratação de serviços de desobstrução, limpeza, adequação do desemboque do rio, no trecho compreendido entre Avenida das Orquídeas até as proximidades da rua José Pereira. A estimativa é que aproximadamente 37 mil m³ de sedimentos sejam removidos do fundo do canal e o investimento estimado é de R$ 4,6 milhões. 

Essa ação, segundo o Departamento, faz parte de um pacote de projetos para serviços e obras que visam combater as enchentes na região Alto Tietê. Os contratos assinados com recursos do Fehidro e do DAEE contemplam as cidades de Suzano, Mogi das Cruzes, Guarulhos, Poá e Itaquaquecetuba.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por