MENU
BUSCAR
'ACEITA QUE DÓI MENOS'

Lançamento do livro do padre Alessandro lota a sala de cinema do shopping

Muitas pessoas participaram das quatro sessões de autógrafos, de 30 minutos cada uma, promovidas pela Livraria Leitura, onde o livro já está à venda desde a semana passada.

Silvia Chimello Publicado em 24/11/2021 às 17:55Atualizado há 5 dias
Foto: divulgação / Dora Santos / Igreja na Mídia
Foto: divulgação / Dora Santos / Igreja na Mídia

O lançamento do livro do padre Alessandro Campos, “Aceita que Dói Menos” (Editora Globo), levou dezenas de pessoas ao Mogi Shopping para o evento, que foi realizado na tarde desta quarta-feira (24), na sala do Cinemark. A maioria do público não foi ao local apenas para comprar o livro, mas também para poder estar perto do religioso que cantou, rezou, brincou e falou sobre o tema da obra com muito humor à plateia.

O livro está entre os mais vendidos desde o lançamento, segundo o próprio autor. Para participar do lançamento, as pessoas tiveram que comprar os exemplares da publicação antes de entrar na sala do cinema. Foram quatro sessões de autógrafos, de 30 minutos cada uma, promovidas pela Livraria Leitura, onde a obra está à venda desde a semana passada.

A primeira sessão lotou a sala do cinema e deixou uma grande fila à espera da próxima. O padre tem milhões de seguidores de todas as faixas etária em todo o País.

Ele fez uma espécie de talk show, entrou cantando para a plateia a música que o consagrou “O que é que eu sou sem Jesus” e passou a explicar o livro de autoajuda, que fala sobre aceitação, superação e aborda problemas atuais como a violência contra a mulher.

'Aceita que Dói Menos”, publicado pela Editora Globo, com 150 páginas, vendido a R$ 29,90, é uma publicação com reflexões sobre 30 assuntos diferentes, divididos em capítulos. São temas relacionados à vida de cada pessoa, como relacionamento matrimonial, perdas provocadas pela morte, família, responsabilidades pessoais, entre outros.

Entre as muitas formas de aceitação, ele falou sobre “aceitar a partida de alguém muito querido, uma situação difícil, sobretudo quando morre jovem”, enfatizou o padre, citando também o recente falecimento da avó dele, com 96 anos, e disse que aceitou “com serenidade a partida dela pelo sentimento do dever cumprido”.

Tem o aceitar o fim de algo, especialmente no que se refere a um relacionamento, especialmente quando é abusivo. “Não se deve seguir em frente com um relacionamento quando a pessoa é maltratada. Deus não fez as pessoas para serem usadas e sim para serem amadas. O livro é para conscientizar, te fazer pensar, mudar a sua vida,  fazer a diferença, entender que você é livre e é uma manifestação do amor de Deus. Espero que este livro transforme vidas.

A fila para conseguir um autográfo foi enorme. Os seguranças tiveram que organizar, porque as fãs queriam abraçar, beijar e tirar fotos com o padre.

A Editora Globo agendou novos lançamentos: no dia 1º de dezembro, no Shopping de Guarulhos, e no dia 8 de dezembro, em Campinas, onde também existem lojas da Livraria Leitura.

 Seguidores

O cantor e padre Alessandro Campos tem seguidores em diversos estados e para divulgar o livro ele já avisou que vai percorrer todo o Brasil. O que mais atrai no jovem religioso, que sempre se apresenta de jaqueta e chapéu brancos, segundo os seus fãs é “o carisma”, como diz Noeci Reis, que veio de Blumenau para o evento.

Ela relata que tem uma espécie de fã clube que sempre forma caravana para acompanhá-lo. “Passei por dificuldade e conseguiu superar com a ajuda das palavras do padre”, justifica ela.

Há muitos relatos de pessoas que superaram a depressão e outros males. Paciente oncológica, Patrícia Damasceno dos Santos, de 40 anos, estava “emocionada em poder estar próxima do padre que me ajudou em um momento tão difícil da minha vida”, segundo contou.

Cibele da Silva, de 34 anos, veio de São Mateus para que o filho de 7 anos, Davi Lucas, tivesse a oportunidade de conhecer Alessandro Campos. A mãe explica que o garoto acompanha os programas religiosos dele pela TV desde o primeiro ano de vida.

Maria Eva de Oliveira, professora de 65 anos, veio de Itaquaquecetuba, “para ouvir as maravilhas dos testemunhos do padre”. Acompanha as missas do padre e disse que passará a frequentar também a paróquia de Braz Cubas, que ele assumiu recentemente em Mogi.

Antes de ser nomeado vigário paroquial, Alessandro Campos esteve em peregrinação pelo Caminho de Santiago de Compostela. Clique aqui para ler o resumo dessa viagem.

ÚLTIMAS DE Cidades