Moradores do Világio Correia Lima, na rua João Batista Monteiro, 763, bairro Vila Melchizedec, em Mogi, enfrentam problemas com a entrada de ar na tubulação de água, que faz o hidrômetro contabilizar consumo, mesmo nos dias em que as casas do residencial estão com as torneiras secas, como aconteceu nesta terça-feira (12).

Segundo a empresária Patrícia Sarno Mendes, moradora do local, as contas de água dos meses em que ocorre falta de água vêm com valores muito mais altos do que o normal. “Hoje (ontem), não tínhamos água, mas o hidrômetro estava rodando e percebemos que era o ar que fazia com que ele funcionasse. Liguei no Semae e me disseram que sempre que houver falta de água é preciso fazer contato, mas não temos como ficar monitorando, porque todos trabalham”, explica, completando que normalmente as contas de água têm valores entre R$ 37,00 e R$ 54,00 por mês, mas que a última chegou no valor de R$ 173,00.

“Falei no Semae e a conta foi revisada, mas serve como alerta para outras famílias que veem a conta de água aumentar de uma hora para outra”, destaca Patrícia.

Procurado por O Diário, o Semae informa que o abastecimento foi interrompido devido a atos de vandalismo na estação elevatória de água do Conjunto Habitacional Thaysa, que atende a Vila Melchizedec. “O crime ocorreu por volta das 3 horas desta terça-feira (12), com arrombamentos, furto de equipamentos e danos nos painéis de energia e sistema de bombeamento. As equipes do Semae estão trabalhando para restabelecer o abastecimento o mais rápido possível”, trouxe a nota enviada ao jornal.

A autarquia explicou que estudará a instalação de ventosas na rede de distribuição do világio para solucionar o problema da entrada de ar na tubulação. “No caso específico, o Departamento Comercial da autarquia esclarece que das cinco casas do residencial, o consumo foi alterado em duas, que já tiveram as contas de água revisadas”, concluiu a nota.

O Semae informou ainda que em todas as situações de falta d’água na cidade, independentemente do motivo, as equipes trabalham para restabelecer o serviço o mais breve possível.