Entrar
Perfil
POLÍTICA

Haddad defende Mogi sem pedágio e o trem até César

Pré-candidato do PT ao governo do Estado, falou sobre política, plano para desenvolvimento da região e discutiu demandas locais da cidade durante a sua visita à Mogi, nesta sexta-feira (20)

Silvia Chimello
20/05/2022 às 16:33.
Atualizado em 21/05/2022 às 01:22

Fernando Haddad discutiu pautas locais e regionais durante visita à Mogi (Eisner Soares)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
POLÍTICA

Haddad defende Mogi sem pedágio e o trem até César

Pré-candidato do PT ao governo do Estado, falou sobre política, plano para desenvolvimento da região e discutiu demandas locais da cidade durante a sua visita à Mogi, nesta sexta-feira (20)

Silvia Chimello
20/05/2022 às 16:33.
Atualizado em 21/05/2022 às 01:22

Fernando Haddad discutiu pautas locais e regionais durante visita à Mogi (Eisner Soares)

O pré-candidato do PT ao governo do Estado de São Paulo, Fernando Haddad, líder nas pesquisas de intenção de votos, garantiu que “não vai ter pedágio em Mogi das Cruzes” se ele for eleito para o cargo em outubro deste ano. Ele também disse que quer estender a linha da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) até César de Souza. “Não vamos escapar desse investimento”, frisou o petista, ao ser abordado sobre esse tema, em entrevista à O Diário, durante a sua visita à cidade, nesta sexta-feira (20) para um encontro com as lideranças locais e regionais.

Segundo ele, o PT tem planos de investimentos em projeto de mobilidade que possibilite mais agilidade no transporte em toda área Metropolitana, incluindo Mogi e cidades vizinhas. Além de criticar o projeto para instalação de radares e a falta de interesse do governo Doria para renegociar valores das tarifas com as concessionárias das rodovias estaduais, Haddad explicou que o seu objetivo é desenvolver um plano de urbanização para a Zona Leste, que passa por um polo de geração de emprego e renda no eixo da avenida Jacu Pêssego, com conexões por via dos trilhos com os municípios do entorno. O Complexo Jacu Pêssego é um conjunto de pontes, viadutos e vias rápidas que se estendem por mais de 30 quilômetros entre o Rodoanel Mário Covas, em Mauá, e o Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos

“Estou falando de uma avenida que poderá ter uma preponderância em um futuro imediato da metrópole extraordinário, com conexão com toda essa região do Alto Tietê, que vai ter que receber investimentos para justamente criar essa centralidade, o que vai trazer economia para a gestão pública. Se isso for feito, muita gente vai economizar duas ou três horas de viagem para ir ao trabalho. Não faz o menor sentido se deslocar por 40 km por dia por falta de urbanização adequada nessa região da metrópole”, comentou.

Questões como segurança pública também foram tratadas pelo pré-candidato, que confirmou seu posicionamento favorável à manutenção das câmeras de filmagens nos uniformes dos policiais durante as ações e detalhou uma proposta para melhorar a segurança pública.  “Vou manter e vou ampliar as câmeras. O nosso plano de segurança vai incluir um plano de metas com redução de criminalidade e resolutividade, associado à valorização profissional:  carreira, formação e investimentos em tecnologia e inteligência. Os policiais tanto civis como militares têm que ser valorizados e entregar à sociedade não apenas a segurança, mas também sensação de segurança”.

Ele explicou ainda que o plano de governo do partido para o Estado prevê a realização de recuperação do rio Tietê, mas preferiu não detalhar quais os projetos com antecedência.

Política

Sobre as alianças para disputar as eleições deste ano, mesmo com os comentários que circulam pela imprensa de que já estaria praticamente acertado um acordo entre o PT e o PSB, com a possibilidade de o pessebista Márcio França, desistir de sua candidatura a governador para lançar ao Senado com o apoio do PT e outras siglas aliadas (Rede, PV e PSOL), Haddad preferiu não antecipar nenhuma decisão. O petista, que está na liderança de intenção de votos, com um percentual de 30% dos votos, alegou apenas que “essa é questão que tem que ser definida pelo próprio França”, o segundo colocado no ranking, com 17%, na Pesquisa Quaest em SP, divulgada na semana passada, que aponta ainda Tarcísio Freitas (Rep) , com 10%; e Rodrigo Garcia (PSDB),  5%.

Já existe uma aliança entre o PT e PSB para a disputa presidencial com a formação da chapa de Lula e Alckmin, o que poderia favorecer ainda mais um acordo entre os dois pré-candidatos ao governo do Estado. Essa é uma questão que deve ser definida nas próximas semanas, mas Haddad adianta que se Márcio França decidir manter sua disposição em sair candidato ao governo, “ele terá o nosso total respeito”.

A possibilidade participar da chapa como vice está praticamente descartada pelo próprio França em declarações à imprensa. Ele já ocupou esse cargo na gestão Geraldo Alckmin, e ficou à frente do governo, em 2018, quando o titular deixou a função para entrar na corrida presencial pelo PSDB. Na época, concorreu à reeleição pelo PSB, disputou e perdeu o segundo turno para o ex-governador João Dória (PSDB). 

O que está praticamente definido para a eleição deste ano, segundo o pré-candidato do PT, é que a sua chapa deve contar com um representante do PSOL como vice. Mas, não tem nada oficializado ainda.

Existe um otimismo dele, também com relação à eleição presidencial. Apesar das discussões envolvendo alguns partidos de centro, que após discussão em torno de nomes para representar a terceira via, cogita agora o lançamento de Simone Tebet (MDB), Haddad não acredita que isso seja uma ameaça ao pré-candidato do PT nessa corrida, que por enquanto segue polarizada, com vantagem nas pesquisas de intenção de votos para Lula na disputa com o atual presidente Jair Bolsonaro (PL).  

Agenda

Haddad passou o dia na região. Chegou cedo em Mogi para participar de um evento na Associação dos Aposentados da cidade, com a participação de cerca de 300 pessoas, fez uma visita à sede da TV Diário, acompanhado pelo vereador do partido, Iduigues Martins, pelo pré-candidato a deputado estadual, Rodrigo Valverde, pelo presidente do PV de Mogi, Romildo Campelo, entre outras lideranças que acompanharam a comitiva. De lá seguiu para outras agendas regionais.

À noite pré-candidato e também ex-prefeito de São Paulo, vai estar em Ferraz de Vasconcelos para participar de uma plenária com lideranças e militância petistas no Salão da Igreja Nossa Senhora da Paz, centro da cidade.  

   

  

  

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por