Para dar um suporte às vítimas de violência doméstica nesse período de pandemia, a Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara Municipal de Mogi, sugere que a Prefeitura analise a possibilidade de disponibilizar vagas em hotéis, pousadas e hospedaria para que elas possam se abrigar se tiver que denunciar os agressores.

A proposta foi apresentada pelas vereadoras que integram a Frente – Fernanda Moreno (MDB), Inês Paz (PSOL) e Malu Fernandes (SD), e aprovada pelo Legislativo, que vai encaminhar a indicação ao prefeito Caio Cunha (PODE).

As vereadoras alegam que a medida é necessária diante dos números cada vez mais alarmantes neste período de isolamento social. No documento, elas observam que o Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgou que só no primeiro semestre de 2020, os casos de feminicídios aumentaram em 41,4% em todo o Estado, e que a média nacional de crescimento do de 22,2%.

Os dados revelam que durante quarentena da Covid-19, período em que os casais acabam ficando juntos por mais tempo na mesma casa, houve uma redução de 20% na procura pelos serviços de atendimento às vítimas de violência doméstica, já que muitas mulheres têm medo de denunciar os agressores por não terem abrigo e lugar para onde ir sem serem descoberta, motivo pelo qual muitas delas acabam tendo que suportar a situação.

Na indicação, as vereadoras observam que alguns municípios, como na Capital, adotaram essa medida emergencial de apoio às vítimas de violência, disponibilizando as vagas de hospedagem em hotéis, pousadas, hospedaria e assemelhados

Segundo as parlamentares, o atendimento do pedido é uma forma de o prefeito contribuir com o desenvolvimento de políticas pública de proteção às mulheres e reduzir a violência em Mogi”