Ainda não há uma previsão para que os radares sejam instalados e comecem a funcionar em Mogi das Cruzes. Os equipamentos foram retirados e desligados em agosto, quando o contrato com a antiga empresa que fazia o serviço foi encerrado. Agora, o consórcio Caminhos Seguros ficará responsável pela fiscalização eletrônica da cidade.

Inicialmente, a previsão era de que os equipamentos fossem instalados em outubro e, depois, foi adiado para este mês. Um atraso na assinatura do contrato postergou os trabalhos. O grupo está implantando as estruturas físicas em diversos pontos, mas aguarda a chegada dos equipamentos de fiscalização encomendados.

Das 108.838 autuações por equipamentos de fiscalização eletrônica que foram registradas de janeiro a novembro do ano passado, 41.977 foram aplicadas entre agosto e novembro. Ou seja, 38,5% das infrações foram flagradas nos meses em que, este ano, os radares não estão funcionando.

O número de multas, entretanto, vinha caindo na cidade. Entre janeiro e julho deste ano, foram registradas 54.357 autuações por equipamentos de fiscalização eletrônica em Mogi, enquanto no mesmo período de 2019 foram 66.861, número 23% maior.

As principais infrações registradas por equipamentos de fiscalização eletrônica na cidade são: transitar em velocidade superior à máxima em até 20%, infração considerada média; Transitar em velocidade superior à máxima de 20% até 50%, considerada grave; Parar na faixa na mudança do sinal luminoso, também média; Caminhões que são flagrados transitando em local e horário não permitido, outra infração média; Avançar sinal vermelho do semáforo, considerada gravíssima, assim como transitar em velocidade superior à máxima acima de 50%.

As infrações médias geram multas no valor de R$130,16, enquanto as graves custam R$195,23 e as gravíssimas R$880,41. Além disso, os motoristas perdem pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Novos Equipamentos

Para dar início à implantação dos equipamentos, serão instaladas 6 barreiras eletrônicas, 7 radares fixos, 1 equipamento de fiscalização de avanço de semáforo, 1 equipamento de fiscalização de restrições de caminhão e 1 radar estático (popularmente conhecido como móvel), que revezará entre 11 pontos de fiscalização.

Os locais de implantação no primeiro lote de medidor de velocidade são as avenidas Valentina Mello Freire Borenstein, Henrique Peres, Pref. Carlos Alberto Lopes, Francisco Ferreira Lopes, Francisco Ferreira Lopes x rua Alberto Alves, Anchieta e rua Dr. Deodato Wertheimer. Os medidores de velocidade com mostrador de velocidade ficarão nas avenidas Japão e Francisco Ferreira Lopes, dois na avenida Lourenço de Souza Franco e mais dois na rodovia Mogi-Dutra.

O equipamento que fiscaliza avanço de sinal vermelho e parada sobre faixa de pedestres será fixado no cruzamento das ruas Dr. Ricardo Vilela com a Dom Antônio Cândido Alvarenga. Um outro, que vai fazer a fiscalização de caminhões, também ficará na Mogi-Dutra.