Entrar
Perfil
ANIMAL MISTERIOSO

Filmagem de suposta onça em Luiz Carlos provoca muita polêmica em redes sociais

A princípio, pensou-se tratar da onça-parda filmada em abril último num dos acessos a Guararema, que estaria caminhando na direção de Mogi; mas qualidade das imagens não permite conclusões.

Darwin Valente
08/05/2022 às 17:11.
Atualizado em 08/05/2022 às 17:12

Por ter sido filmada de longe e sem zoom, imagem tem causado dúvidas nos internautas (Reprodução - Redes Sociais)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
ANIMAL MISTERIOSO

Filmagem de suposta onça em Luiz Carlos provoca muita polêmica em redes sociais

A princípio, pensou-se tratar da onça-parda filmada em abril último num dos acessos a Guararema, que estaria caminhando na direção de Mogi; mas qualidade das imagens não permite conclusões.

Darwin Valente
08/05/2022 às 17:11.
Atualizado em 08/05/2022 às 17:12

Por ter sido filmada de longe e sem zoom, imagem tem causado dúvidas nos internautas (Reprodução - Redes Sociais)

A onça-parda que foi avistada, pela primeira vez, na madrugada de 7 de abril, em Guararema, quando foi flagrada atravessando um dos acessos à cidade pelo sistema de câmeras do Centro de Segurança Integrada (CSI) da Prefeitura,  pode ter sido vista e filmada novamente, à distância, por uma moradora, em Luiz Carlos, próximo à divisa com Mogi das Cruzes. 

A possibilidade de o animal estar a caminho de Mogi não é afastada por especialistas, já que uma das características da onça-parda é ocupar um território de aproximadamente 100 mil m², como admitiu o veterinário Jeferson Leite, em entrevista a este jornal, em abril. 

Não está descartada, no entanto, a possibilidade de se tratar de outro animal da mesma ou até de outra raça. A filmagem feita à distância não permite identificar se as características são as mesmas da onça-parda filmada atravessando a rua João Barbosa de Oliveira, durante o mês passado. Mas colocadas nas redes sociais pela autora do vídeo, as imagens já provocam polêmicas.

As imagens feitas no último sábado (7), de longe, atribuídas a Jamile Lacerda, moradora de Luiz Carlos, certamente com um celular, mostra um animal de cor escura percorrendo tranquilamente a parte superior de uma área de pasto, com vegetação rasteira, defronte à sua residência, segundo a postagem no Facebook. O vídeo já repercute intensamente:

“A Prefeitura tem que acionar os órgãos responsáveis para resgatar esses animais e levá-los a algum lugar mais seguro para eles e para a população, pois nos últimos dias, eles estão cada vez mais perto da área urbana. Tudo para que nenhuma maldade seja feita à eles e também para que não ataquem algum humano ou animais domésticos”, afirmou a internauta Janaína Diniz Hernandes.

“Onça é preta?... Será que passeou por minha chácara também?” – questionou Syneide Correia Leite, que teve seu post comentado, em seguida por Amanda Oliveira Silva:

“Se a mulher disse que é onça então é onça e pronto... Tô vendo só corajoso dando risada, mas não tava na frente da onça pra filmar. Imagino eu filmando uma onça: celular tremendo, claro, dedos e atitudes paralisados sem lembrar como dar zoom, vontade de correr e os pés ficam pregados no chão, dor de barriga, etc. Facinho filmar uma onça!!!”, diz ela.

Fábio Iório faz outra observação: “Vídeo infelizmente ruim. Mas enfim... Se for, é um presente para a região, sinônimo de preservação. Sensacional!”

Sylmar Bighetti concorda: “Isto mesmo: o desmatamento nesta região é muito grande , estamos perdendo nossas matas para o setor imobiliário. Deus proteja as onças”.

“Se for onça mesmo, é só deixar o bicho em paz; a onça tem o mesmo direito de habitar essa terra, assim como nós. Os bichos são lindos livres. Só não ficar enchendo o saco que ela vai viver a vida dela livre, feliz e em paz”, diz Salin Sallin. Já Eliete Souza afirma que tem “dó desses animais. Com tanta devastação, eles se aproximam cada vez mais das cidades!!!”

Roberto Mello duvida: “Onça preta? kkk... Nem zoom deu... É um gato ou cachorro!”, enquanto Joel Menezes tem outra opinião: “Gato do mato, gato marisco!”. Inúmeras outras pessoas preferiram desacreditar da existência da onça por conta da qualidade do vídeo. Até mesmo Juma Marruá, a misteriosa personagem da novela “Pantanal” que, segundo a lenda, se transforma em onça quando irritada, não deixou de ser lembrada por vários internautas.

Procurado por O Diário, o veterinário Jeferson Leite, após ver o vídeo, também não foi definitivo:

“Pelo celular, está difícil identificar, mas nesta região temos a onça-parda, que pode ser. Porém, o animal da imagem não dá para identificar corretamente”.

Onça famosa

A onça-parda de Guararema, filmada pela primeira vez pelas câmeras do CSI, no início do mês passada, já ficou famosa. Suas imagens, feitas a alguns metros do portal de entrada daquela cidade, já foram mostradas até mesmo no Globo Repórter para todo o País.

Confira a reportagem feita no dia 7 de abril último, por O Diário:

“Faltavam dez minutos para uma hora da madrugada desta  quinta-feira (7), quando os operadores do Centro de Segurança Integrada (CSI) de Guararema foram surpreendidos por uma imagem pouco comum, captada por uma das câmeras localizadas num dos acessos à cidade. Em lugar de carros roubados ou assaltantes em fuga, como acontece constantemente, eles puderam acompanhar a passagem de uma onça-parda, atravessando, de um lado para outro, a rua João Barbosa de Oliveira, alguns metros adiante do portal de entrada de Guararema para quem chega de São Paulo ou do Vale do Paraíba, pela rodovia Henrique Eroles, a SP-66, também conhecida como Mogi-Guararema.

O animal surge no vídeo vindo de um local situado próximo ao rio Paraíba, onde no passado eram realizadas as festas de peão da cidade, na altura do chamado Morro Branco, parte do bairro Freguesia da Escada. Calmamente, ela atravessa uma das pistas, passa pelo canteiro central, atinge a outra pista e, depois, mostra sua agilidade ao subir, com três saltos, um barranco gramado, desaparecendo na escuridão da madrugada e deixando para trás, extasiados, os operadores que acompanharam toda aquela cena pelas câmeras de vigilância daquela região da cidade.

Foi o acontecimento da noite. E logo que o dia amanheceu, o secretário de Segurança de Guararema, Edson Roberto Pinto de Moraes, ao tomar conhecimento do vídeo, tratou de encaminhá-lo para dois ambientalistas da região para que tomassem conhecimento da existência do animal naquele ponto.  O secretário se preocupava com a divulgação em massa para evitar um possível pânico entre os moradores da cidade ou até mesmo a ação predatória de algum caçador que saísse a campo para dar fim ao animal. No início da tarde, no entanto, o vídeo já viralizava nas redes sociais, como uma atração inédita para a região.

“ Esse bicho tem uma grande área de circulação, podendo chegar a um raio de 100 km². Não duvido que seja a mesma onça que circulou por Mogi, na região do mosteiro e na serra do Itapeti”, afirma o veterinário e especialista em animais desse tipo, Jeferson Leite.
Na opinião do secretário Edson de Moraes,o fato de a onça estar circulando pelas proximidades do rio Paraíba se deve ao fato de aquela ser uma região rica em animais como capivaras e ratões do banhado, que lhes servem de alimento. Segundo ele, “chamou atenção a passagem da onça por uma via normalmente movimentada, por ser um dos acessos à região central da cidade. Minutos após a passagem do animal, carros voltaram a circular por ali, conforme mostram as câmeras”.

O secretário garante que, na cidade, “todos ficaram maravilhados, principalmente por saber que a nossa região ainda preserva um animal como esse. Isso também é um sinal de nosso ecossistema está funcionando bem”.

A autoridade também alerta que não há motivo para pânico, pois animais como aquele não costumam se dirigir para a região central, mais urbanizada e de movimento mais intenso, principalmente de automóveis. “O instinto da onça é mais de fugir das pessoas que de atacá-las”, completa ele.

Além do mais, completa ele, “alimento não falta, pois a região próxima do rio é rica em animais da fauna que podem servir como comida para a onça”.

Edson de Moraes, porém, aproveita para fazer um alerta. Com a proximidade dos meses de maio até julho, com o período de seca, costumam ocorrer grandes queimadas em áreas de mata da região, o que força os animais a virem procurar abrigo ou alimentos nas cidades. Ele revela que tem sido comuns, nessas épocas, as pessoas encontrarem cobras e outros bichos nos quintais de suas casas, conforme atestam os chamados para o Corpo de Bombeiros de Guararema. 

O secretário pede que as pessoas atentem para evitar queimadas que podem atingir o habitat natural da onça e outros animais semelhantes comprovadamente existentes nas matas próximas de Guararema, como é o caso do lobo guará, por exemplo.

Classificando como “maravilhosa” a presença da onça parda nas matas da cidade, o secretário insiste em afirmar que o vídeo com a onça  é uma demonstração de que existe um ecossistema equilibrado e que, por isso mesmo, é preciso manter viva a consciência ecológica de preservar o meio ambiente para que tais animais possam continuar sobrevivendo e se reproduzindo.

Quem é ela

A onça-parda ou puma é também conhecida no Brasil como suçuarana ou leão-baio. Trata-se de um animal carnívoro da família dos felídeos , nativa da América. Foi originalmente classificada no gênero felis, mas estudos genéticos recentes  demonstram uma evolução da espécie em uma linhagem próxima à chita e ao gato-mourisco.

Com o nome científico de Puma concolor, a onça-parda chega a uma altura de 60 a 90 centímetros, alcançando o ombro de uma pessoa adulta, chega a correr até 80 km por hora e tem uma expectativa de vida entre 8 e 13 anos, desde que solta na natureza. A onça-parda  chega a alcançar um comprimento de 2,4 metros (macho, adulto) e 2 metros (fêmea adulta) e pesa entre  53 a 100 kg (macho adulto) e 29 a 64 kg (fêmea adulta). Chega a ocupar um território de até 100 km², como citou o veterinário Jeferson Leite.

Na internet existem muitas informações sobre a espécie e detalhes sobre o seu comportamento. Um biólogo afirma que essas onças não costumam atacar seres humanos, mas são curiosas. “Quando ela encontra alguém, geralmente é por acidente. O melhor é você ficar onde está e deixar que ela siga o caminho dela. Esses encontros são muito rápidos”, disse.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por