Entrar
Perfil
ESCOLHA

De volta, Josmar Cassola será o festeiro do Divino de Mogi em 2023

Na missa de Corpus Christi, o bispo diocesano dom Pedro Luiz Stringhini anunciou o empresário Josmar Cassola e Maria Tereza Cassola como os novos festeiros; Ricardo e Maria de Lourdes Medina serão os capitães do mastro

Eliane José
16/06/2022 às 09:43.
Atualizado em 16/06/2022 às 14:46

Dom Pedro Stringhini apresentou os festeiros, Maria Tereza e Josmar Cassola, e os capitãs do mastro, Maria de Lourdes e Ricardo Medina (Reprodução/Johnny Alves Rodriguez/Facebook)

Novamente no comando da Festa do Divino Espírito Santo, o empresário Josmar Cassola da Silva, ao lado de Maria Tereza, responderá pela organização do evento de 2023. O festeiro foi anunciado na missa de Corpus Christi, nesta quinta-feira (16), na Catedral de Santana, onde tradicionalmente o nome dos futuros festeiros e capitães do mastro são apresentados à comunidade.

O segundo casal responsável pela organização e condução da Festa do Divino de Mogi das Cruzes será formado por Maria de Lourdes e Ricardo Medina.

Carregando...

A apresentação foi feita minutos antes da missa de Corpus Christi (que está sendo transmitida ao vivo no site do festejo). O bispo afirmou que o nome dos festeiros partiu dele próprio e dos capitães do mastro foram sugeridos pelos festeiros deste ano, Ricardo e Denise Lima da Costa.

A família Cassola sempre esteve ligada às atividades católicas na cidade. Josmar dirigiu a Associação Pró-Divino e conseguiu imprimir uma marca de gestão mais voltada à profissionalização na condução do evento.

Em 2010, Josmar e Maria Tereza foram os capitães do mastro escolhidos por dom Airton José dos Santos (Divulgação/Festa do Divino)

Em 2010, quando o bispo era dom Airton José dos Santos, o casal foi capitão de mastro, e os festeiros, Jefferson e Flávia Cassola.

Josmar e Jefferson são filhos de Joel e Neide Cassola, ambos já falecidos, e ex-capitães do mastro. Dona Neide faleceu no ano passado, após ter contraído a Covid-19. Em O Diário, ela foi entrevistada de domingo, quando contou a ligação da família com a Igreja Católica e a Festa do Divino (releia a reportagem).

A escolha dos festeiros mira a organização do evento no ano que vem, e já começa nas próximas semanas.

Espera-se que, em 2023, a Festa retome programas antigos, como a realização da quermesse e da Entrada dos Palmitos, caso as condições da pandemia permitam.

Neste ano, houve certo desconforto e pesar pela não realização da quermesse, que costuma reunir milhares de pessoas e auxiliar fortemente o caixa da própria Diocese e das entidades sociais responsáveis pelas barracas. A pandemia, a falta de recursos financeiros e o pouco tempo hábil para a organização levaram à decisão de não realizar esse festival cultural e gastronômico.

MATERIA EM ATUALIZAÇÃO.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por