O que a família mais temia aconteceu: passados alguns dias da morte da analista fiscal, Cátia Antunes dos Santos, de Mogi, foram confirmados nesta quinta-feira (25), os óbitos do pai e avó dela, que estavam internados há algumas semanas, em São Paulo, por complicações provocadas pela Covid-19. Ambos também residiam no Alto Tietê. 

LEIA TAMBÉM: Mogi das Cruzes e região retornam para a fase laranja

Cátia morava em Mogi e os familiares residiam em Itaquaquecetuba. Mario Antunes da Silva, de 65 anos, microempreendedor e proprietário de uma escola infantil no município, morreu na manhã desta quinta-feira, no hospital Savalos, em São Paulo. A avó, Carmelina Alves Pereira, estava com 82 anos de idade e faleceu na segunda-feira, no Santa Marcelina, em Itaquá.

Havia muita expectativa da família quanto ao restabelecimento do pai, mas ele teve uma primeira parada cardíaca às 6 horas e a equipe médica conseguiu reanimar, mas teve outra uma hora após e não resistiu. Dona Carmelina também respirava por aparelhos e não sobreviveu.

A mãe de Cátia, Doralice Antunes, muito abalada com a situação, também se contaminou, mas apresentou apenas sintomas leves e se encontra em fase de recuperação da Covid-19. Pessoas próximas estão sensibilizadas com a dor dessa mãe que perdeu a filha, o marido e a mãe em menos de uma semana.

O cinegrafista Luis Ricardo de Oliveira dos Santos, marido de Cátia, disse que a ficha está começando a cair agora e que o "sofrimento é imenso". Ele conta que todos estão arrasados. "A casa da família estava sempre cheia de pessoas, muita alegria e muita união e agora sobrou esse vazio", lamenta.

Tudo indica que a transmissão da doença aconteceu nas idas e vinda de Cátia ao hospital para se preparar para realizar um transplante de medula óssea, apesar de os familiares estarem seguindo à risca todas as normas sanitárias e de distanciamento social, por isso, faz questão de alertar a população sobre o perigo da Covid-19.

"Tem muita gente que não leva a sério a doença, e demonstra que não está ligando para a situação porque ainda não sofreu com a morte de alguém próximo. Só vai sentir a dor quando acontecer com alguém da família. A gente vê muitas festas, aglomerações, pessoas sem máscaras, fumando narguile, jovens bebendo no mesmo copo, brincando com o perigo. É preciso parar com isso, ter consciência e entender gravidade da doença, ainda mais diante da magnitude do problema que a nossa família está passando", alerta.

A esposa dele, Cátia morreu na noite de sábado, no Hospital de Clínicas (HC), na Capital, onde estava internada. A analista, digital influencer, que fazia campanha em defesa da doação de órgãos em suas redes sociais, se preparava para realizar o segundo transplante de medula óssea, quando foi contaminada e acabou perdendo a vida para o novo coronavírus.

Ela participou de reportagens da TV Diário em meados do ano passado, após ter feito o primerio procedimento, com a medula doada por seu irmão mais novo, Rubens Neto. Em junho de 2020, ainda em fase de acompanhamento, nas idas e vindas do hospital, ela havia sido infectada pela Covid-19, mas apresentou apenas sintomas leves.

Passados alguns meses, ela teve complicações com o transplante e se preparava para um novo procedimento contra a mielodisplasia. Foi internada para fazer o transplante da medula que iria receber de sua irmã, Bruna, também compatível, mas acabou contaminada novamente com o vírus, que chegou muito agressivo.  

A analista havia se casado em outubro de 2020 com Luis Ricardo, ex cinegrafista da TV Diário e diretor da produtora Trindade Cine, conhecido como ‘Morcego’, que também está fase de recuperação da Covid-19, após algumas semanas em quarentena. Ele conta que a esposa foi diagnosticada três vezes com a Covid durante esse último ano de tratamento.