Entrar
Perfil
OBRAS

Controle remoto do trânsito reduz lentidão na av. João XXIII, em César

Secretaria de Mobilidade acompanha o comportamento do trânsito para ajustar o tempo do semáforo existente entre a rua Júlio Perotti e a via de acesso ao distrito de César de Souza.

Eliane José
12/06/2022 às 19:10.
Atualizado em 12/06/2022 às 19:13

(Arte: O Diário)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
OBRAS

Controle remoto do trânsito reduz lentidão na av. João XXIII, em César

Secretaria de Mobilidade acompanha o comportamento do trânsito para ajustar o tempo do semáforo existente entre a rua Júlio Perotti e a via de acesso ao distrito de César de Souza.

Eliane José
12/06/2022 às 19:10.
Atualizado em 12/06/2022 às 19:13

(Arte: O Diário)

Aberta no início de maio passado, a licitação internacional para a contratação da empresa que irá fazer o projeto executivo e executar a obra do chamado Corredor Nordeste, em César de Souza, está suspensa desde o último dia 8, após recursos impetrados por duas das participantes. Essa concorrência contempla a execução de um dos braços do programa Viva Mogi e abrirá, no futuro, nova rota viária no distrito.

Quatro consórcios disputam a obra orçada em R$ 123,6 milhões para interligar as avenidas João XXIII e Francisco Rodrigues Filho, com a avenida Pedro Romero, além de um viaduto na linha férrea, que recebe o transporte de carga mas é cotada para ser usada por trens de passageiros até o distrito (no desenho, o traçado está na cor amarela).

As empresas habilitadas foram a Construtora Kamilus, Consórcio EE- Corredor Nordeste (formada pelas empresas ETC e Emparsanco); já o Consórcio Viva Mogi (DP Barros e Paulitec Construções) foi inabilitado. No site da Prefeitura é possível acompanhar a licitação.

Apresentaram recursos que suspenderam o processo e serão julgados, as concorrentes Kamilus (que está no páreo) e Consórcio Viva Mogi, que ficou de fora. Vencerá o participante que apresentar o menor preço global, para a execução do planejamento para descentralizar o trânsito hoje recebido pela Ricieri José Marcatto.

De acordo com o edital, o serviço deverá ser executado em três anos (36 meses) e terá de drenagem, pavimentação, estruturas, sinalização e redes de água e esgoto, além do pavimento do corredor, bem como o viaduto, que ficará ao lado da passagem de nível existente atualmente.

O desenho obtido por O Diário mostra outras intervenções que deverão compor o chamado de Corredor Norte, que será executado em continuidade ao anel viário. Em César de Souza, a conclusão da via perimetral que termina hoje na Mogi-Bertioga, chegará pela avenida Presidente Castelo Branco e está prevista uma nova via, paralela à linha ferroviária (em azul), além de conexões como a prevista na fase 1 do Viva Mogi na região da Julio Perotti, entre as avenidas João XIII e Francisco Rodrigues Filho (veja nas páginas 6 e 7).

Outras alterações, na região dos parques Airton Nogueira e Francisco Rodrigues Filho, além da área ampliada do Parque Centenário, serão duas alças de ligação que atingirão as vias Antonio de Almeida e Waldemar Costa Filho (em azul).

Para uma segunda etapa do Viva Mogi, a Prefeitura está buscando outro financiamento junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) no valor de 330 milhões. 

Outra obra esperada para a mesma área do Corredor Nordeste é a instalação de um terminal de ônibus, cujo projeto básico a Prefeitura já possui.

Contornando o caos

Prefeitura afirma que a lentidão na avenida João XXIII reduziu de 20 para 7 minutos (Foto: arquivo / O Diário)

Controle remoto de semáforo e a reversão de mão de direção são medidas adotadas enquanto obras saneadoras ainda estão no projeto do Viva Mogi 

Sem rotas alternativas para mitigar a lentidão nos dois corredores usados pelos moradores do distrito de César de Souza, a Secretaria Municipal de Mobilidade afirma que conseguiu reduzir o tempo médio de espera na avenida João XXIII de 20 para 7 minutos, nos horários de pico, com medidas como o controle remoto do semáforo da rua Julio Perotti e a inversão de mão na avenida Santa Rita, que passará a ser definitiva, em sentido único de direção, segundo conta a secretária da pasta, Cristiane Ayres.
A alternância do tempo deste semáforo, após estudos e as reclamações nos primeiros meses do ano quando a volta à rotina e fatores, como alguma quebra de veículo, aumentou o tempo da viagem entre César e o centro, segundo Cristiane, conseguiu reduzir a espera.

A medida é adotada entre 7 e 9 horas pelos técnicos da Secretaria que acionam o sistema remotamente, atendendo ao comportamento do trânsito em tempo real. “O trânsito é muito dinâmico e a medida tem dato resultado”, segundo a secretária.
Uma outra novidade no trecho, ainda a ser batizada com uma entrega oficial, foi a instalação do misto de ciclofaixa e ciclovia, que irá beneficiar os ciclistas na travessia.

 Não está prevista mudança na contagem do tempo da Julio Perotti que, mesmo durante as manhãs, tem um volume de tráfego bem menor do que o de moradores e trabalhadores que utilizam a João XXIII.

“A contagem e a programação semafórica são feitas de forma remota, de forma operacional, e nós tivemos um ganho significativo na fluidez. O tempo médio era de 20 a 30 minutos (para cruzar a avenida) e, hoje, nós temos uma média de 7 minutos, o que é um ganho extremamente importante”, contou.

Outra medida que deverá  ser fixa é a reversão da faixa na avenida Pedro Romero, na via perimetral, uma via que possui três corredores e, durante as manhãs, passou a atender os motoristas em dois deles.

Rotatória 

Em uma entrevista sem a oferta de prazos, a secretária comentou que segue em andamento o projeto para a eliminação da rotatória da Praça Kazuo Kimura, conhecida com Habib’s.

“Não podemos deixar de citar o projeto em andamento com previsão de retirada da rotatória em frente ao terminal rodoviário (Geraldo Scavone). Esse projeto impactará de forma positiva e, com a chegada de novas vias e a descentralização, nós vamos ganhar mais fluidez, tanto na região de César como como área central”. Esses estudos, declarou ainda, visam atender a “cidade como um todo”.
Diante dessa perspectiva, Cristiane opina que o programa Viva Mogi, deverá oferecer à cidade a implantação de obras de arte e, “cada intervenção pontuais, quando elas forem sendo implantadas, nós teremos, a olhos vistos, resultados muito positivos, com relação à mobilidade, quando você faz um viaduto,  você melhora não só a região onde está sendo feita a implantação desse sistema, mas a cidade como  um todo, você dará maior vazão e fluidez ao trânsito, o que acarreta diretamente e na oferta de mais segurança viária, melhoria da mobilidade e na meta de salvar vidas”.

Demora

A eliminação da rotatória do Habib’s foi anunciada no ano passado. O projeto, que ainda não foi divulgado detalhes, como o valor da obra, será feito pela empresa concessionária do terminal rodoviário. 

Prevê, segundo antecipado pela Prefeitura, intervenções como três pontes no córrego Lavapés, e a interligação entre as avenidas Ismael Alves dos Santos e a Yoshiteru Onishi - essa obra começou neste ano, mas ainda não foi dada uma data para entrega e abertura. (

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por