Entrar
Perfil
MUDANÇAS

Complexo viário é aposta para o trânsito de Mogi da Cruzes

Região da rotatória do Habib’s, no Nova Mogilar, passa por mudanças para melhorar a fluidez do tráfego, complicado em vários horários devido ao grande volume de veículos

Carla Olivo
29/01/2022 às 18:03.
Atualizado em 29/01/2022 às 18:03

O objetivo da intervenção, segundo a Prefeitura de Mogi das Cruzes, é melhorar o trânsito no local, um dos pontos mais críticos da mobilidade urbana na cidade. (Divulgação)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
MUDANÇAS

Complexo viário é aposta para o trânsito de Mogi da Cruzes

Região da rotatória do Habib’s, no Nova Mogilar, passa por mudanças para melhorar a fluidez do tráfego, complicado em vários horários devido ao grande volume de veículos

Carla Olivo
29/01/2022 às 18:03.
Atualizado em 29/01/2022 às 18:03

O objetivo da intervenção, segundo a Prefeitura de Mogi das Cruzes, é melhorar o trânsito no local, um dos pontos mais críticos da mobilidade urbana na cidade. (Divulgação)

Nesta semana, a região da praça Kazuo Kimura, popularmente conhecida como rotatória do Habib’s, no bairro Nova Mogilar, começou a receber uma etapa das obras que devem transformar o local em um complexo viário. 
O objetivo da intervenção, segundo a Prefeitura de Mogi das Cruzes, é melhorar o trânsito no local, um dos pontos mais críticos da mobilidade urbana na cidade.

Nesta fase, começaram as ações de preparação para a construção de uma nova via que ligará as avenidas Professor Ismael Alves dos Santos e Yoshiteru Onishi.

Inicialmente previstas para serem entregues até o final do ano passado, segundo anunciado pelo prefeito Caio Cunha (Podemos) em coletiva de imprensa, na sede da Prefeitura, as intervenções na rotatória foram iniciadas apenas no fim de dezembro, com os trabalhos de topografia e medição dos terrenos que receberão as obras. 

Segundo a administração municipal, em nota enviada a este jornal nesta sexta-feira (28), neste mês de janeiro, os dados coletados foram transportados para os projetos elaborados e já aprovados, para que as intervenções práticas pudessem ser iniciadas.

Nesta semana, começou a construção dos muros que dividirão a nova via dos terrenos particulares existentes na área que já recebeu a estrutura da antiga Companhia de Desenvolvimento de Mogi das Cruzes (Codemo). 

Ainda de acordo com a Prefeitura Municipal, a ação é necessária para que seja possível eliminar as atuais estruturas que isolam a área, abrindo caminho para a construção da nova via, que servirá como uma alternativa de tráfego para os motoristas que desejarem acessar a avenida Yoshiteru Onishi tanto em direção ao Centro Cívico quanto para o bairro Nova Mogilar.

De acordo com o projeto,  será construído um complexo viário com cruzamentos, novas vias e transposições sobre o córrego Lavapés, facilitando a circulação de veículos e do transporte coletivo. 

Serão disponibilizadas novas opções de tráfego, como a nova rua e três passagens sobre o córrego, na avenida Yoshiteru Onishi. 

Desta forma, a proposta da Prefeitura é transformar a rotatória existente atualmente em um cruzamento com semáforos e, para validar a medida, foram desenvolvidas simulações computadorizadas, com base em contagens sobre o fluxo de veículos feitas durante vários dias.

Ainda segundo o projeto da administração municipal, as conversões à esquerda para os veículos que circulam pela avenida Francisco Rodrigues Filho e desejam acessar as avenidas Manoel Bezerra de Lima Filho e Yoshiteru Onishi serão proibidas. Estes movimentos de tráfego serão possíveis com a utilização da nova via que será aberta unindo a rua Professor Ismael Alves dos Santos e a avenida Yoshiteru Onishi.

Haverá ainda outra opção: a transposição do córrego Lavapés que será construída na altura da rua Newton Straube e permitirá a saída de veículos da Vila Nova Mogilar pela avenida Yoshiteru Onishi em direção ao Centro Cívico. 

Além disso, duas outras passagens sobre o córrego serão implantadas para atender os motoristas que desejem chegar ao Nova Mogilar.
A Prefeitura informa que todas as obras serão realizadas por etapas, com planejamento para minimizar o impacto aos motoristas que circulam por esta região da cidade, bastante movimentada, principalmente no início da manhã, no horário do almoço e final da tarde, quando é grande o volume de pessoas em deslocamento rumo ao trabalho e estudos.

 Estação de tratamento passará por ampliação

A ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), instalada ao lado do Parque Centenário, em César de Souza, é outra obra do Programa Viva Mogi prevista para este ano. Com investimento de R$ 32,6 milhões, a obra já foi contratada e está na fase de conclusão dos projetos executivos. (Divulgação)

A ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), instalada ao lado do Parque Centenário, em César de Souza, é outra obra do Programa Viva Mogi prevista para este ano. Com investimento de R$ 32,6 milhões, a obra já foi contratada e está na fase de conclusão dos projetos executivos.

Entre outras obras de saneamento programadas para 2022, está a conclusão do esgotamento do Botujuru, que inclui 56 quilômetros de rede de esgoto e seis estações elevatórias. A finalização da obra depende de licenciamento ambiental e ligação de energia de uma das elevatórias.

Também em fase de conclusão, a Setorização Leste, que resulta na divisão de uma grande área de distribuição em sistemas menores para aperfeiçoar o fornecimento de água e o gerenciamento de pressão, agilizar manutenções e diminuir perdas, deve ser entregue neste ano. O investimento previsto é de R$ 10 milhões, incluindo os materiais, beneficiando os moradores desde Sabaúna até a Vila Oroxó, passando por Botujuru, todo o distrito de César de Souza, Jardim Maricá, Ponte Grande, Jardim Aracy e Itapety, ao longo da margem direita do rio Tietê.

O início da reforma e modernização da Estação de Tratamento de Água Centro, também programado para 2022, deve resultar em melhoria e ampliação da ETA, incluindo execução de unidade de tratamento de resíduos sólidos (lodo). O investimento: é de R$ 21.168.318,60.
Os reservatórios da Vila Oroxó (4 milhões de litros), Vila Moraes (8 milhões de litros) e Jundiapeba (7 milhões de litros) também devem começar  a operar neste ano.

Ainda no cronograma da Prefeitura está a conclusão as obras de esgotamento sanitário de Jundiapeba e Nova Jundiapeba, com investimento de R$ 9,5 milhões, provenientes de recursos do Governo Federal. Serão 17 quilômetros de rede e o projeto representará aumento de 6,9% no volume de esgoto tratado na cidade, passando dos atuais 64% para mais de 70%. Em Jundiapeba e Nova Jundiapeba, o índice de coleta e tratamento deve ser superior a 90%.

As obras de esgotamento sanitário no Parque das Varinhas devem ter início este ano. O Semae garantiu o repasse de R$ 15,1 milhões do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro). Somando a contrapartida da autarquia, o investimento total alcançará R$ 16,9 milhões. Estão sendo elaborados os projetos técnicos para a licitação da obra.

Outra obra com início previsto é a do coletor Parque da Cidade, com recursos do Fehidro, no valor de R$ 882.281,26, para construção de um coletor-tronco de esgotos que atenderá mais de 4,4 mil moradores da região da praça Deputado Paulo Kobayashi, conhecida como Praça do Oito, no Parque Santana. O investimento total previsto será superior a R$ 1 milhão - incluindo a contrapartida do Semae, de R$ 126.244,11.

  

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por