Entrar
Perfil
CONSCIÊNCIA NEGRA

Câmara de Mogi entrega medalhas Zumbi dos Palmares

Receberam a homenagem dez personalidades da região que se destacaram em ações contra a discriminação racial e na defesa dos princípios de promoção da inclusão social sem preconceito

O Diário
19/11/2022 às 08:49.
Atualizado em 19/11/2022 às 08:58

Câmara de Mogi entrega Medalha Zumbi dos Palmares nesta sexta-feira (18) (Divulgação - CMMC)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
CONSCIÊNCIA NEGRA

Câmara de Mogi entrega medalhas Zumbi dos Palmares

Receberam a homenagem dez personalidades da região que se destacaram em ações contra a discriminação racial e na defesa dos princípios de promoção da inclusão social sem preconceito

O Diário
19/11/2022 às 08:49.
Atualizado em 19/11/2022 às 08:58

Câmara de Mogi entrega Medalha Zumbi dos Palmares nesta sexta-feira (18) (Divulgação - CMMC)

Na noite desta sexta-feira (18), a Câmara Municipal de Mogi das Cruzes realizou sessão solene para entrega da Medalha Zumbi dos Palmares. A celebração é feita anualmente no mês de novembro em comemoração ao dia da Consciência Negra. A solenidade foi presidida pelo vereador Iduigues Martins (PT).

Receberam a medalha dez personalidades do Alto Tietê que se destacaram em ações contra a discriminação racial e na defesa dos princípios constitucionais fundamentais e de promoção da inclusão social sem preconceito, nas áreas de Esporte, Educação, Cultura, Saúde, Assistencial, Empresarial e Sindical.

Os homenageados do ano foram: Tatiana Cristina Cardoso Prestes Morais, Herbert Souza, Janes Kelly Palmeira Rodrigues, Cauê Vinicius de Oliveira, Leandro Michel Tomazzini, Vera Lúcia Lopes, Maria de Fátima da Cruz, Lohane Maísa Marques Pereira e Ruth Evangelista.

O vereador Iduigues Martins, em seu discurso, representando o Legislativo, enalteceu a luta antirracista e propôs uma reflexão sobre as necessidades de políticas públicas de inclusão social. “O racismo no Brasil sempre existiu de maneira muito forte, embora mascarado e maquiado e muita gente, ainda sem consciência, insiste em negar que no país tem racismo. Agora está ficando mais público por conta da luta dos movimentos sociais antirracistas”, afirmou.

Em nome da Prefeitura Municipal, o secretário-adjunto de Assistência Social, Tomás Magalhães Andretta, falou sobre unir esforços intersetoriais para combater o racismo. “Muitas das falas aqui hoje mencionaram as políticas públicas para a construção de uma sociedade igualitária. Acreditamos nessa proposta de transversalidade das políticas para romper com essas opressões que tanto atrasam e machucam a população brasileira”, disse.

O assessor parlamentar da Câmara Municipal de São Paulo, Albert Silva, que representou a vereadora Janaína Lima, alertou para a necessidade de reconhecer a notoriedade das pessoas negras na sociedade. “Hoje vejo o quanto é difícil as pessoas entenderem que é importante e relevante fazer notórias as pessoas que se destacam com a nossa pele”, pontuou.

Também estiveram presentes na sessão os vereadores Edinho (MDB), Zé Luiz (PSDB), Inês Paz (PSOL), Bi Gêmeos (PSD), que representou do deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) e Edson Santos (PSDB), além da presidente da Ong Recomeçar, Rosana Pierucetti.

Zumbi foi um dos líderes do Quilombo dos Palmares, o mais conhecido núcleo de resistência negra à escravidão no Brasil - morto em 20 de novembro de 1695 em uma emboscada na Serra Dois Irmãos, no Estado de Pernambuco -, resistência que culminou com a libertação dos escravos, concretizada em 13 de maio de 1888. Desta forma, Zumbi dos Palmares tornou-se líder e exemplo de resistência à escravidão, sendo que na data de sua morte, 20 de novembro, comemora-se o “Dia da Consciência Negra”, com a realização de eventos de cunho cívico e cultural, de conscientização comunitária contra ações de discriminação racial e de inclusão social sem preconceito.
 
Homenageados:

Nascida em 11 de abril de 1978 na cidade de Lorena, Janes Kelly Palmeira Rodrigues por muito tempo dedicou-se aos afazeres do lar, mas aos trinta anos de idade tornou-se advogada. Em 2009 ingressou na Faculdade de Direito da Universidade Braz Cubas e iniciou a carreira como advogada em 2014. Atualmente é diretora da 17ª Subseção da OAB de Mogi das Cruzes, membro da Comissão de Igualdade Racial em âmbito municipal e estadual. Vice-Presidente do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial – COMPIR e membro do Coletivo Diversidade Alto Tietê, onde é responsável pela pauta do movimento negro.

Lohane Maísa Marques Pereira, tem 27 anos e nasceu em Belo Horizonte. Mudou-se para Mogi das Cruzes com os pais em 1996, quando tinha 2 anos. A homenageada é militante do Movimento Nacional Quilombo Raça e Classe, e do Movimento Mulheres em Luta. Pedagoga cotista da Universidade Federal de São Paulo, trabalha na creche no município de Suzano e hoje é moradora da Ocupação Iluminados na Vila São Francisco, onde organiza os trabalhos sociais com as crianças.

Herbert da Costa De Souza é mogiano nascido e criado no bairro da Vila Natal. É umbandista praticante há 24 anos e ativista de religiões de matriz Africana. Amante do samba, Herbert é o idealizador do projeto que leva seu nome: O Samba do Herbert, que divulga a cultura do samba de raiz em Mogi das Cruzes.

Nascida em 16 de janeiro de 1981, Tatiana Cristina Cardoso Prestes Morais residiu nos bairros da Vila Natal e São João. Começou a trabalhar como empregada doméstica e babá aos 14 anos, atuando depois em vários setores e segmentos, como panfletagem, clínica de banho e tosa, programa de frente de trabalho, entre outros. Hoje representa o Instituto Sementinha em um grupo de empresários chamado BNI.

Natural de Osasco, Vera Lúcia Lopes é doutora em Saúde Pública pela Faculdade de Medicina da USP e formada em Pedagogia, Ciências da Religião, Gestão no 3º setor pelo Senac, Estudos Africanos, pela USP e Psicopedagogia social pela UNESP. Hoje aposentada, atua como voluntária na implantação da Lei 10.639/2003, que versa sobre a obrigatoriedade do ensino da História e cultura afro-brasileira nas escolas públicas e privadas do Brasil. A homenageada também é coordenadora da Pastoral Afro Brasileira Sul e presidente do COMPIR- Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial da cidade de  Osasco – SP.

Maria de Fátima da Cruz tem 68 anos de idade e é natural de Casa Grande, distrito de Biritiba Mirim, mas reside em Mogi das Cruzes desde 1970. A homenageada é funcionária pública, aposentada. Atuou na docência e gestão na rede estadual de ensino, em Mogi das Cruzes. Mária é formada em letras e pedagogia com pós graduação em psicopedagogia.

Ruth Evangelista, nasceu em Biritiba Mirim em 1947. Ingressou na Prefeitura de Mogi das Cruzes em 1985 e prestou 34 anos de serviços públicos até se aposentar em 2019. Inicialmente atuou como ajudante geral, em seguida passou a merendeira até chegar à supervisora das merendas.

Cauê Vinícius de Oliveira Maximiano nasceu em Mogi das Cruzes e atua como músico. O homenageado também é ativista nas causas antirracistas e de igualdade racial.

Leandro Michel Tomazzini tem 38 anos de idade e nasceu em São Miguel Paulista. Hoje, o homenageado atua como Pedagogo, pós graduado em Gestão Pública e Técnico em Regência. Trabalha como regente da Banda Sinfônica “Asas Para o Futuro” num Projeto Social em Biritiba Mirim e é professor de música de duas escolas Municipais em Mogi das Cruzes.
 
 

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2023É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por