Entrar
Perfil
MUDANÇAS

Avenida das Orquídeas pode passar a se chamar Fumio Horii

Proposta foi apresentada na Câmara pelo vereador José Luiz Furtado, que aproveitou a semana da Imigração Japonesa, data comemorada neste dia 18 de junho, para sugerir a mudança

Silvia Chimello
17/06/2022 às 16:20.
Atualizado em 17/06/2022 às 18:02

O nome da avenida foi escolhido por concurso envolvendo alunos das escolas municipais da cidade (Arquivo O Diário)

A avenida das Orquídeas pode mudar de nome para avenida Fumio Horii, em homenagem ao empresário que doou a área ao município para construir a via que liga os distritos de Braz Cubas e Jundiapeba, com objetivo de desafogar o trânsito nas vias de acesso à rodovia SP-66 entre Mogi e Suzano.

A proposta foi apresentada na Câmara Municipal pelo vereador José Luiz Furtado (PSDB), que aproveitou a semana da Imigração Japonesa, data comemorada neste dia 18 de junho, para protocolar um projeto de lei sugerindo a mudança da denominação. O empresário, falecido em maio de 2021, aos 87 anos, por complicações da Covid-19, também era imigrante.

Apesar de ser uma figura muito conceituada o assunto pode gerar discussão na cidade, até pela campanha feita no município em 2016, na época da gestão do ex-prefeito Marco Bertaiolli (PSD), que realizou um concurso envolvendo os alunos da rede municipal de ensino para a escolha do nome da avenida das Orquídeas.

Aescolha por meio de um concurso foi sugerida durante a visita do então governador Geraldo Alckmin à cidade, no dia 11 de fevereiro daquele ano. Ele mesmo voltou à Mogi dois meses depois para receber o resultado do concurso e anunciá-lo ao público, durante o evento que marcou o início dos trabalhos, no dia 28 de abril. 

A obra inaugurada no governo do ex-prefeito Marcus Melo (PSDB), com a presença do ex-governador João Doria, em 2019, A referência às orquídeas ocorreu devido ao fato de Mogi das Cruzes ser um grande produtor deste tipo de flores, além de uma homenagem à comunidade japonesa, que se dedicou ao cultivo das orquídeas durante décadas.

Na justificativa do projeto, deliberado durante a sessão da Câmara de quarta-feira (15), o autor da proposta lembra de todo o processo que envolveu o concurso público, no entanto, ele alega que essa é uma forma de a cidade “reconhecer a contribuição decisiva” do empresário para a concretização da via, uma vez que boa parte da área por onde passa a avenida era de sua propriedade.

“Fumio Horii nos deixou, porém, seu legado na história de Mogi das Cruzes permanece, em razão da grande contribuição dada ao município, não somente na consolidação da avenida que liga os municípios de Mogi das Cruzes e Suzano, mas também por sua história como um dos empresários mais destacados da história recente da cidade, atuando nas áreas de mineração, hotelaria e imobiliária”, argumenta o parlamentar.

Furtado pediu agilidade na votação dessa matéria na Câmara por entender que “essa seria também uma forma de homenagear a família de um representante da colônia neste período em que se comemora o Dia da Imigração Japonesa.

Mesmo com as manifestações de apoio por parte de alguns vereadores ao projeto, que deve ser aprovado com nenhum voto contrário, até porque nenhum deles pretende se indispor com a família do homenageado, há comentários de bastidores de alguns que acham o empresário poderia ser homenageado dando o nome para outra obra da cidade, para não desconsiderar a participação dos alunos no concurso e todo o processo de escolha do nome da avenida.    

Trajetória

No projeto de lei, o autor lembra a trajetória do empresário Fumio Horii, que nasceu na cidade de Hiroshima no Japão em 23 de dezembro de 1933 e veio para o Brasil com os pais. Morou em outras cidades antes de morar em Mogi das Cruzes, onde construiu família e começou os negócios, inicialmente plantando alfaces, até que, em 1961, ao pedir um estudo de solo onde plantava hortaliças, descobriu jazidas de caulim, minério utilizado no branqueamento de papéis.

Nesse período ele fez muitos investimentos, principalmente, na área imobiliária. A Empresa de Mineração Horii foi a primeira a ser fundada, em 1968, para exploração mineral do caulim, seguido pela empresa Horii Comércio e Empreendimentos Ltda, voltada para gerir os negócios no seguimento de empreendimentos imobiliários, dentre eles a construção de um Resort que continua sendo do Grupo Econômico da Horii e que é operado do Club Med sendo uma referencia para a região.

O empresário também contribuiu com comunidade japonesa, ajudando na construção do Centro Esportivo do Bunkyo onde, segundo o presidente Frank Tuda, Horii construiu o ginásio e o campo de baseball. A vida dele rendeu um livro, intitulado “Rei do Caulim – Fumio Horii – Minha História de 80 Anos de Imigrante no Brasil”.

O casal Fumio e Fusako tiveram seis filhos: Hissao, Satie (in memorian), Kazuto, Mauro, Miriam e Marli, que juntos administram as empresas do Grupo Horii, e continuam o seu legado.

Pelo reconhecimento pelos inúmeros feitos a sociedade e a comunidade, Sr. Fumio Horii recebeu várias honrarias, e podemos citar duas como sendo as mais significativas: A comenda de “Grão Mestre da Ordem do Rio Branco” outorgada pelo Senhor Presidente da Republica Federativa do Brasil em 1o de Setembro de 1989 e a comenda “Ordem do Sol Nascente” outorgada pela Sua Majestade Imperador do Japão em 21 de Maio de 2019.

 Imigração

Durante a sessão de quarta-feira, a Câmara de Mogi das Cruzes, foi aprovado uma homenagem feita pelos vereadores que representam a colônia japonesa - Mauro Yokoyama (PL), Vitor Emori (PL), Pedro Komura (PSDB) e Eduardo Ota (PODE) -, com aplausos ao Dia da Imigração Japonesa no Brasil, instituído no dia 18 de junho.

São 114 anos desde a data que remonta a chegada do primeiro navio com imigrantes japoneses no Brasil, especificamente no porto de Santos, em São Paulo, em 1908. No requerimento de aplauso, os autores destacam que os japoneses contribuem diretamente para que a cidade seja destaque em diversos setores e esteja inserida no Cinturão Verde, que prevalece durante décadas como referência na produção de hortifrútis.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por