Entrar
Perfil
DEJA-VU

Aumento de casos de Covid em Mogi leva à retomada de medidas protetivas

Procura por testes também cresce na rede municipal e farmácias

Carla Olivo
03/06/2022 às 14:07.
Atualizado em 04/06/2022 às 16:48

Aumento de casos leva à volta da obrigatoriedade de medidas contra a Covid-19 (Foto: reprodução / freepik)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
DEJA-VU

Aumento de casos de Covid em Mogi leva à retomada de medidas protetivas

Procura por testes também cresce na rede municipal e farmácias

Carla Olivo
03/06/2022 às 14:07.
Atualizado em 04/06/2022 às 16:48

Aumento de casos leva à volta da obrigatoriedade de medidas contra a Covid-19 (Foto: reprodução / freepik)

A escalada de novos casos de contaminação pela Covid-19 leva à necessidade da retomada de cuidados preventivos para conter a disseminação da doença em Mogi das Cruzes, que apenas no mês de maio registrou 1.187 notificações da doença contra 269 em abril, um aumento de 341%. 

Com a maior incidência dos sintomas, a realização de testes na rede municipal de Saúde passou de cinco por dia, em abril, para 70 em maio e 100 nestes primeiros dias de junho. A procura por testes rápidos em farmácias cresceu 40%, assim como a demanda pelo autoteste. 

Diante deste cenário, na noite da última quarta-feira (1), a Prefeitura Municipal determinou, por meio de decreto, a volta da obrigatoriedade do uso de máscaras em todos os estabelecimentos de ensino da cidade, públicos ou privados, de educação infantil, ensinos fundamental, médio, técnico e superior, além de sua manutenção no transporte público e em unidades de saúde. 

O secretário municipal de Saúde, Zeno Morrone Júnior, atribui ao frio, quando as pessoas geralmente se confinam mais, além de variantes com alta transmissibilidade, a elevação dos casos de Covid-19, que não é um problema exclusivo de Mogi e ocorre em todo o país nas últimas semanas, e destaca a importância da vacinação e da manutenção da rotina de cuidados, o que pode contribuir para minimizar a gravidade dos casos.

Resultado do teste sai em 15 minutos (Foto: Mariana Aciolli / O Diário)

“Mogi tem altos índices de cobertura vacinal, mas é importante alertar para a aplicação das doses adicionais. Estamos realizando uma série de ações para facilitar o acesso dos munícipes à vacina, principalmente para quem precisa completar os ciclos com segunda, terceira ou quarta doses”, explica o secretário.

Zeno pondera que, apesar do aumento de casos da Covid-19, houve apenas uma internação sem gravidade por Covid-19 durante todo o mês de maio. “É preciso aprender a conviver com a Covid-19, como ocorre com a gripe, por exemplo, mantendo a atualização periódica da vacina, os cuidados com higiene e limpeza e o uso de máscaras para quem está com sintomas, como ocorre em outros países, contribuindo para redução do contágio”, orienta, destacando a importância da manutenção de medidas já amplamente divulgados, como evitar grandes aglomerações, manter a lavagem e higiene das mãos e os ambientes muito bem arejados, além de aumentar o consumo regular de água, frutas e verduras. 

A procura por exames aumenta, acompanhando o crescimento de casos, mas sua realização na rede pública, que aplica testes rápidos do tipo antígeno (coleta de material por via nasal), segue critério médico. Além disso, outros exames podem ser solicitados pelo profissional, conforme avaliação.  

A orientação aos pacientes é procura atendimento médico ao apresentarem dois ou mais sintomas da Covid-19, como febre, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, dor no corpo, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou gustativos.

De segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas, há atendimento e testagem em três unidades básicas de Saúde: Alto do Ipiranga, Vila Suíssa e Ponte Grande. Nos demais períodos e finais de semana, o paciente pode procurar as unidades de Pronto Atendimento 24 horas, como o Jardim Universo e as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Rodeio, Oropó e Jundiapeba. Para crianças, o serviço está disponível no Pronto Atendimento 24 horas do Hospital Municipal, em Braz Cubas, e no Pró-Criança, no Mogilar.

Internação

Com o abrandamento da pandemia, registrado desde o final do ano e com o avanço da vacinação, que tornou os novos casos diagnosticados mais leves, sem a necessidade de internação, o Hospital Municipal manteve 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com Covid-19. 

Desde a retomada segura, a Covid passou a ser tratada como outros doenças infectocontagiosas, como meningite, por exemplo, onde as internações são feitas em isolamento.

Na maioria das unidades da rede municipal, como o Pró-Criança, cerca de 80% dos atendimentos diários são direcionados a pacientes com sintomas gripais. 

Dias mais frios

Pediatra do Pró-Criança e do Hospital Ipiranga, Paula Russo explica que os meses de maio a julho correspondem ao período sazonal de maior incidência de casos de síndromes gripais e respiratórias, que incluem a Covid-19. “Cerca de 80% dos casos atendidos são de quadros gripais, com sintomas como tosse, coriza, febre acima de 38 graus, com duração de dois a três dias”,  diz.

Ela alerta para a presença também comum, neste período do ano, do vírus sincicial respiratório, especialmente em crianças prematuras, e aconselha a manutenção de medidas de prevenção adotadas durante a pandemia, como uso de máscaras em ambientes mais aglomerados, higienização das mãos e, principalmente, para as crianças menores de seismeses, evitar aglomerações. “As visitas devem ser evitadas em casos de síndrome gripal, tosse ou mesmo resfriado comum”, orienta.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, por conta do aumento desta demanda, que vem sendo observada desde o final de março, ainda antes da queda das temperaturas, houve a decisão de retomada do atendimento do Pronto Atendimento Infantil do Hospital Municipal, em Braz Cubas, e ampliação da equipe de pediatras na unidade municipal em Jundiapeba, com a contratação de mais dois profissionais desta especialidade.

No entanto, a pasta explica que a síndrome respiratória não é uma doença de notificação compulsória - exceto quando resulta em internação, o que não está ocorrendo -, sendo que entre dezembro/2021 e janeiro/2022, a Secretaria Municipal de Saúde fez o monitoramento excepcional dos casos em função do surto de gripe/Influenza. 

A secretaria informa, ainda, que dentro da síndrome gripal está a Covid-19, que possui notificação compulsória, porém a cidade não registra mortes em decorrência da doença desde o início de maio.

Questionada se haverá a adoção de ações específicas ou mudanças programadas para atendimento a pacientes com sintomas de Covid ou gripe, devido à proximidade do inverno, marcado pelas baixas temperaturas, a secretaria afirma que, por enquanto, a demanda está sendo absorvida.

Farmácias fazem 40% mais testes

Procura por testes rápidos para diagnóstico da Covid-19 aumentou 40% (Foto: Mariana Aciolli / O Diário)

A procura por testes rápidos na cidade cresce de acordo com o aumento de casos de Covid-19. Em farmácias que fazem o procedimento a preços que variam entre R$ 70,00 e R$ 120,00, a demanda é 40% maior nas últimas semanas, com a maioria dos resultados positivos para a doença. 

Estabelecimentos como as drogarias Kobayashi e Drogasil, que antes atendiam a quem chegasse ao local em busca do exame sem a necessidade de agendamento, agora adotaram a medida para dar conta do grande movimento.

Na tenda montada em frente à farmácia Mega Beauty, na área do posto de combustíveis da avenida Francisco Ribeiro Nogueira, a técnica de enfermagem Letícia Carneiro da Silva conta que a maioria dos pacientes com resultados positivos é criança ou adolescente. “A procura aumentou 40% nos últimos dias, principalmente porque os testes passaram a ser feitos nos hospitais e unidades de saúde apenas em casos de emergência ou em grupos prioritários, como idosos. Nos convênios, demora de 3 a 4 dias para encaixe, então, as pessoas pagam para fazer o exame mais rapidamente”, conta, acrescentando que o resultado sai em 15 minutos.

Na Farma Conde, a venda de autotestes também aumentou. “Nas últimas semanas, eles chegam e logo já acabam, porque têm muita gente com sintomas de Covid”, conta o balconista Alexsandro Batista de Souza, explicando que o exame é simples. “A pessoa faz um furo no dedo, assim como para detectar glicemia, e coloca o sangue na tira, que vai apontar o resultado negativo ou positivo”, diz. 

22.734 sem a 2ª dose

A vacina contra a Covid-19 está disponível em livre demanda para grupos prioritários, mas em Mogi, 22.734 pessoas que receberam a 1ª dose não voltaram para a 2ª. Na cidade, já foram aplicadas 389.048 primeiras doses, além de 366.314 segundas doses, 276.655 doses adicionais (terceiras doses) e 11.126 doses únicas.

Para facilitar o acesso, a Secretaria de Saúde realiza ações direcionadas ao público acima de 12 anos (a 3ª dose para adolescentes e jovens entre 12 e 17 anos deve ser agendada no Clique Vacina e crianças menores de 12 anos são imunizadas nos postos de saúde e unidades da Estratégia Saúde da Família). Neste sábado (3), as equipes estarão no Terminal Central. Na terça e quarta-feira (6 e 7) irão ao Terminal Estudantes; e de 8 a 10, ao Mercado Municipal.

No entanto, vale lembrar que, nestes locais, o atendimento será exclusivo para adultos e adolescentes com 12 anos ou mais (exceto terceira dose, que precisa ser agendada no sistema online do Clique Vacina). Além disso, as crianças menores de 12 anos continuam sendo imunizadas apenas nos Postos de Saúde e unidades da Estratégia Saúde da Família (ESF).

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por