Entrar
Perfil
SEGURANÇA

Após furto, Prefeitura de Mogi informa que não há câmeras no Parque Centenário

Questionada por este jornal, a administração municipal disse que um processo licitatório para a aquisição de novas câmeras já está em andamento, mas não forneceu prazos

O Diário
27/06/2022 às 14:27.
Atualizado em 27/06/2022 às 15:55

(Imagem: Arquivo O Diário de Mogi)

Após reportagem de O Diário sobre furto ocorrido neste sábado (25) no estacionamento do Parque Centenário, em Mogi das Cruzes, a Prefeitura esclareceu a ausência de sistema de vigilância no local. “A Secretaria Municipal de Segurança informa que não há câmera de monitoramento no Parque Centenário. Está em andamento um processo licitatório para a aquisição de novas câmeras, que serão distribuídas por toda cidade, inclusive nos parques”, trouxe nota enviada a este jornal. O texto não cita prazo para a conclusão do trâmite.

A mogiana Camila Quartim, que foi até o local aproveitar a manhã de sábado, retornou ao carro e encontrou o veículo com sinais de invasão. Vários itens, como o rádio e também um suporte e um carregador de celular, foram furtados. Ela logo reportou a situação a um agente da Guarda Civil Municipal que estava no ambiente e foi atendida, mas recebeu a informação que a câmera não funcionava, pois quebrou e não foi substituída..

Além da presença de equipamentos para monitorar o parque, este jornal também questionou o poder público, na manhã de domingo (26), sobre outros fatores relacionados à segurança do local, como a quantidade de agentes municipais que atuam por lá, o número de câmeras de segurança disponíveis no endereço e a possibilidade de reforço na vigilância.

Em nota enviada à reportagem nesta segunda-feira (27), a Prefeitura respondeu que "a segurança no Parque Centenário é realizada pela Guarda Municipal, com agentes que realizam rondas no local e reforço de efetivo nos dias de maior movimentação de pessoas. Por questões de segurança e estratégia operacional, os números relativos ao trabalho não são divulgados”.

A Secretaria Municipal de Segurança lembra ainda que é "muito importante o registro da ocorrência na Polícia Civil" em casos como os de Camila Quartim, o que pode ser feito por meio do boletim de ocorrência online, para que se possa ter um "diagnóstico criminal mais preciso".

Dessa forma, por meio da Guarda Municipal poderá "desenvolver políticas de segurança nos locais de maior incidência de crimes e a Polícia Civil poderá "realizar a investigação dos casos", fazendo com que os bens subtraídos, se forem encontrados, sejam restituídos às vítimas e também sejam responsabilizados os autores do crime. 

Experiências como a de Camila servem como um alerta, como ela própria disse nas redes sociais. Por isso, a Pasta lembra que "em casos de urgência e emergência, os frequentadores podem contatar a Guarda Municipal diretamente no Parque Centenário ou pelo telefone 153".

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por