Entrar
Perfil
PORTAS FECHADAS

Alunos tentam recuperar dinheiro pago à academia que fechou sem aviso em Mogi

Após 21 anos de atividades, estabelecimento na Vila Cintra fechou as portas e as redes sociais, colocando apenas uma faixa na porta; de acordo com os alunos, o celular que consta neste comunicado não atende

Heitor Herruso
27/04/2022 às 08:14.
Atualizado em 27/04/2022 às 08:15

Sobre os motivos do fechamento, o texto da faixa afixada na porta da academia é vago: "por circunstâncias maiores não será possível dar prosseguimento aos nossos serviços" (Reprodução - TV Diário)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
PORTAS FECHADAS

Alunos tentam recuperar dinheiro pago à academia que fechou sem aviso em Mogi

Após 21 anos de atividades, estabelecimento na Vila Cintra fechou as portas e as redes sociais, colocando apenas uma faixa na porta; de acordo com os alunos, o celular que consta neste comunicado não atende

Heitor Herruso
27/04/2022 às 08:14.
Atualizado em 27/04/2022 às 08:15

Sobre os motivos do fechamento, o texto da faixa afixada na porta da academia é vago: "por circunstâncias maiores não será possível dar prosseguimento aos nossos serviços" (Reprodução - TV Diário)

Quando foram treinar na manhã desta segunda-feira (25) em uma academia na Vila Cintra, em Mogi das Cruzes, alunos foram surpreendidos por uma faixa dizendo que o atendimento havia sido suspenso. Sem informações sobre como ficam os pagamentos de quem contratou planos pré-pagos para musculação e outras atividades físicas, somente um celular foi deixado como contato. Mas, de acordo com os alunos, o número não atende ou responde mensagens de WhatsApp.

Os dizeres afixados na porta do local ainda lamentam o fim do negócio, 21 anos após sua inauguração, e agradece aos clientes pela "parceria" de quem "confiou no trabalho" prestado até aqui. No entanto, sobre os motivos do fechamento, o texto é vago: "por circunstâncias maiores não será possível dar prosseguimento aos nossos serviços".

A reportagem de O Diário foi procurada por um dos alunos, assim como a TV Diário, que mostrou o caso em uma reportagem no Diário TV 1ª Edição desta terça-feira (26). “O pessoal está todo vindo para ter atividades normais e não está tendo. Eles simplesmente colocaram uma faixa, não atendem o telefone desde cedo, está todo mundo tá ligando. A gente vai ter que tomar providência com isso, não pode ficar desse jeito”, disse uma das clientes lesadas.

Durante a matéria, a TV Diário também disse ter tentado fazer contato com a academia, mas sem sucesso. Já este jornal procurou o empreendimento nas redes sociais, mas encontrou links que não funcionam, tanto no Instagram quanto no Facebook. Aparentemente, as páginas foram deletadas. Ainda existe, porém, um link que parece ser uma versão antiga do Facebook da academia, mas sem atualizações desde 2012.

Especialista em direitos do consumidor, Dori Boucault falou à TV, sobre como os clientes podem proceder neste caso, em que o estabelecimento fechou e não se consegue contato para combinar um plano para devolução do dinheiro ora investido.

“Ninguém quebra da noite por dia. Já vem vindo esse processo de dificuldades, que acredito que estejam passando, e não devem querer ter este tipo de final para suas atividades”, diz ele, que mostra o que seria o correto: “explicar para seus clientes, seus consumidores, os planos que se deve fazer. Planejar a devolução do dinheiro”.

Para os alunos que já fizeram pagamentos, sobretudo via cartão de crédito, de planos antecipados, a recomendação de Dori “é verificar, no Código de Defesa Do Consumidor, dois artigos: o 14 e 20”, sobre falha na prestação de serviços.

“Você tem direito a devolução dos valores que não utilizou. Por exemplo, se pagou por 12 meses, fez dois e sobraram 10, pode cancelar e será cobrada uma multa, mas de no máximo de 10% do valor restante”, diz ele, que na sequência, faz um adendo: “se a academia fechou, deixou de prestar serviço, então não existe este tipo de multa”.

Enquanto a situação não se resolve, outra dica do especialista é que os prejudicados registrem boletins de ocorrência, e também comuniquem ao Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) da cidade. Ele fala em “preservação dos direitos”, e finaliza dizendo que, caso o / os responsáveis pela academia fiquem com o dinheiro dessas pessoas, podem responder por “enriquecimento ilícito”, o que “causa empobrecimento indevido ao consumidor”.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por