Entrar
Perfil
PESQUISA

Farmacêutico de Suzano propõe o uso racional de remédios na rede pública

Rodrigo Hilário utilizou como base para pesquisa a automedicação e o uso dos remédios nas unidades de saúde

19/09/2022 às 10:30.
Atualizado em 24/10/2022 às 11:37

Pesquisa do farmacêutico Rodrigo Hilário toma como base a rotina de postos de saúde (Divulgação/Prefeitura de Suzano)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
PESQUISA

Farmacêutico de Suzano propõe o uso racional de remédios na rede pública

Rodrigo Hilário utilizou como base para pesquisa a automedicação e o uso dos remédios nas unidades de saúde

19/09/2022 às 10:30.
Atualizado em 24/10/2022 às 11:37

Pesquisa do farmacêutico Rodrigo Hilário toma como base a rotina de postos de saúde (Divulgação/Prefeitura de Suzano)

A Prefeitura de Suzano destaca a atuação do farmacêutico Rodrigo Hilário que trabalha com saúde pública há 13 anos, sendo que em 2012 passou a integrar o quadro de servidores da rede suzanense. Durante sua carreira, o profissional percebeu o crescimento do uso irracional de remédios por parte da população. Inadequada pelos riscos à saúde, a automedicação é um expediente comumente conhecido e foi o tema escolhido por ele para a dissertação de tese de mestrado defendida em junho passado. 

Rodrigo Hilário começou a pensar nos motivos desse tipo de comportamento após passar por vários postos de saúde. "Rodei várias unidades ao longo dos anos e ficou fácil perceber o uso irracional de medicamentos, pois a busca do caminho mais rápido e prático leva as pessoas a aportarem em ações medicamentosas, e pouco em ações de promoção e prevenção de saúde". Tal cenário levou Hilário a se perguntar: qual a efetividade das ações de uso de remédios na saúde pública? 

A questão rendeu um trabalho mais elaborado que, segundo o farmacêutico, tentou abarcar algumas situações. "A proposta foi avaliar a efetividade das ações de uso racional de medicamentos na saúde pública, permeando em três frentes comunicantes: os impactos da automedicação e medicalização da sociedade; como a assistência farmacêutica poderia promover qualidade na segurança do paciente; e o dimensionamento de recursos humanos em farmácias ambulatoriais públicas". 

Nos estudos que se seguiram, Hilário chegou a algumas conclusões para melhorar a utilização dos remédios. "Existe uma necessidade de uma regulamentação para a questão de política farmacêutica, com o uso racional do medicamento. Além disso, precisa haver uma efetividade dessa utilização, com o acompanhamento por profissionais qualificados", finalizou. 

A dissertação do farmacêutico foi publicada na Revista Científica Multidisciplinar (Recima21 - ISSN 2675-6218) em julho deste ano e também deve ganhar destaque no 2º Congresso Brasileiro de Ciências Farmacêuticas, que ocorrerá em novembro, na cidade de Foz do Iguaçu (PR).

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por