MENU
BUSCAR
MAR DE FÃS

Padre Alessandro cria Caixa Postal para receber presentes de fãs

Fãs dão status de pop star ao religioso

Darwin ValentePublicado em 07/01/2022 às 15:42Atualizado há 16 dias
Alessandro Campos precisou criar uma Caixa Postal na Central de Distribuição dos Correios de Mogi / Foto: arquivo pessoal
Alessandro Campos precisou criar uma Caixa Postal na Central de Distribuição dos Correios de Mogi / Foto: arquivo pessoal

Não faz muito tempo, a sede da Rede Vida, em São Paulo, passou a receber uma série de estranhas encomendas: num só dia, chegaram à emissora cem potes de um legítimo mel de abelha do cerrado; pouco tempo depois, alguns frangos caipiras, ovos e um pernil de porco já assado, cujo odor não era dos mais agradáveis, em razão do tempo de viagem desde o interior paulista até a Capital.

Todos esses inusitados presentes tinham um destinatário em comum: o padre cantor Alessandro Campos, que apresenta um programa falando de religião e músicas caipiras, todas as terças-feiras, pelo canal da rede católica de televisão.

A chegada de tais mimos coincidia com comentários feitos pelo religioso, dias antes, sobre suas preferências gastronômicas durante os programas. Tudo aquilo que padre Alessandro dizia gostar de comer, lhe era enviado, logo em seguida, por fiéis seguidoras e seguidores de todo o País, em especial as “velhinhas”, a quem ele dedica especial atenção, durante os programas, até mesmo com brincadeiras que chegam a assustar quem não acompanha com frequência as conversas, ao vivo, entre ele e suas fãs.

A verdadeira veneração das seguidoras pelo padre Alessandro, que lhe garante status de pop star, acabou criando um sério problema para a Rede Vida, que não tinha mais espaço para acumular os presentes – dos mais inesperados até os de maior valor – que chegavam, diariamente, vindos de diferentes pontos do País,  endereçados ao apresentador mais popular da emissora. Os mimos variavam de pedaços de carne, queijos, doces, perfumes, e outros do gênero, até dinheiro em espécie.

Diante do problema criado na sede do canal de televisão, o padre Alessandro resolveu o impasse da maneira mais prática. Numa parceria com os Correios de Mogi das Cruzes, ele bolou um endereço que passou a centralizar o recebimento de tudo aquilo que lhe era enviado por suas seguidoras.

LEIA TAMBÉM: As histórias de Ciné, amiga de longa data do Padre Alessandro desde os tempos difíceis

Estava criada a Caixa Postal 394, que após haver sido divulgada por ele no programa, logo passou a ser uma das mais concorridas do Centro de Distribuição da Empresa de Correios e Telégrafos, localizada na avenida Voluntário Fernando Pinheiro Franco, em Mogi das Cruzes.

É lá que a mãe de padre Alessandro Campos, Maria de Fátima Correia, estaciona uma camionete, toda a tarde de sexta-feira, recolhe as lembranças enviadas ao filho famoso e as conduz para a casa do padre, que atualmente passa por reformas, para a criação de um espaço especialmente dedicado a receber esses objetos. 

Às segundas-feiras, durante uma live transmitida da residência do religioso, em um condomínio de  Mogi das Cruzes, padre Alessandro vai abrindo e agradecendo cada um dos presentes, ao vivo, num evento que é acompanhado por milhares de homens e mulheres de todo o País.

“É mel, farinha, queijo, roupas, perfumes, botas, bichos de pelúcia, frutas, chapéus, fotos, sapatos e até batinas, numa quantidade que me deixa realmente impressionado”, conta ele.

Os mimos não são dirigidos apenas ao padre Alessandro, mas a outros membros de sua família, normalmente citados ou mostrados por ele em seu programa de tevê. A avó Joana, recentemente falecida, recebia sempre perfumes, além de peças de cachecóis, meias e blusas, geralmente de tricô e produzidas pelas próprias admiradoras do padre. Dona Maria de Fátima  é alvo de presentes.

Mas quem recebe um tratamento muito especial de fãs do padre Alessandro é a sobrinha Rebeca, prestes a completar 2 anos: para ela são destinadas muitas roupinhas e brinquedos. Foi pela saúde da pequena Rebeca, que o padre Alessandro se aventurou a percorrer a pé quase 900 km do Caminho de Santiago de Compostela, entre a França e Espanha,recentemente, numa viagem que durou perto de um mês. O religioso cumpria uma promessa feita por ele pela saúde da garotinha que é o xodó de toda a sua família.

O novo espaço da casa, já ampliado, deverá servir como uma espécie exposição particular, onde será guardada, permanentemente, parte de todos esses presentes, já que a outra, que o religioso e seus familiares não conseguem consumir, é dividida com os pedreiros e outras pessoas que trabalham em sua casa ou nas proximidades.

“É uma demonstração de carinho muito grande à minha pessoa e às pessoas de minha família, que eu só tenho a agradecer”, diz padre Alessandro, diante das manifestações de afeto das pessoas que aprenderam a admirá-lo pelo seu trabalho de religião e diversão, na televisão e em suas redes sociais. Um afeto que começou com os primeiros amigos em Brasília, como a Ciné (leia mais aqui)