MENU
BUSCAR
SAIBA COMO AJUDAR

ONG Gerando falcões, de Poá, arrecada doações para a Bahia

ONG arrecada recursos para ajudar vítimas de enchentes na Bahia e também em Minas Gerais. Veja detalhes da campanha e saiba como participar

Heitor Herruso Publicado em 07/01/2022 às 15:10Atualizado há 17 dias
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Quase um milhão de pessoas foram atingidas pelas fortes chuvas na Bahia, segundo informações da Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec). Já são mais de 160 municípios em situação de emergência, muitos desabrigados e desalojados, muitos feridos e mortos. E em Minas Gerais a situação é parecida: somente 45 cidades deste Estado não estão sob alerta de chuvas intensas.

Para tentar ajudar e garantir o mínimo de conforto e itens necessários à sobrevivência de quem vive nestes dois locais, inúmeras grupos organizam campanhas para arrecadar recursos e alimentos. Um deles é a ONG Gerando Falcões, que tem raízes no Alto Tietê, com sede em Poá, mas abrangência nacional.

Nesta sexta-feira (7), um carregamento de doações foi encaminhado às vítimas das enchentes, contendo roupas, kits de higiene, alimentação e infraestrutura. A mensagem é clara: “Doe mais uma vez. A hora é agora. Ninguém solta a mão de ninguém”.

Para incentivar as doações, uma campanha foi publicada nas redes sociais: #cestou. “Sexta sempre foi o dia de festejar. Mas hoje é dia de ajudar. Dois dos estados mais festivos do Brasil, que sempre nos deram tanta alegria, agora precisam da nossa ajuda. Então, hoje o #Cestou é para doar recursos para as famílias baianas e mineiras que foram afetadas pelasenchentes”, traz o convite, que busca por doadores e conta com grandes nomes, como “a musa do axé baiano”, Claudia Leitte, o ex-jogador de futebol Kaká e a atriz Carolina Dieckmann.

Além disso, um site foi criado especialmente para este fim (https://site.gerandofalcoes.com/juntospelabahia). Lá, além dos objetivos, há diferentes opções de valores para ajudar. “A Gerando Falcões quer mobilizar a sociedade para arrecadar recursos financeiros para ajudar o povo baiano e mineiro. O valor arrecadado será destinado a compra de roupas, kits de higiene, alimentação e infraestrutura”.

Até o fechamento desta edição, R$ 1,4 milhão já havia sido arrecadado. O site contabilizava 227 doadores, entre pessoas físicas e empresas, e 21 cidades atendidas. Nos endereços que sofrem com a ação da água, há suporte de 11 ONGs que compõem a rede, tanto no sul da Bahia como no norte de Minas.  Aliás, quem estiver por perto pode fazer doações presenciais. A lista de endereços está disponível no link acima.

Como doar

Para doar, é fácil. Pelo site oficial é possível doar online, com opções de R$ 20 à R$ 100, ou então o campo “escolha outro valor”, que tem valores entre R$ 1 e R$ 300. mas também é possível enviar qualquer valor via PayPal ou ainda PIX, escaneando o QR Code ou digitando a chave 18.463.148/0001-28. E ainda é possível fazer uma transferência bancária utilizando os seguintes dados:  Instituto Gerando Falcões, CNPJ: 18.463.148/0001-28 - Banco do Brasil Ag: 9934-1, CC: 727-7.

Outras iniciativas

O leitor mais atento deve ter percebido que o convite para a doação pede que as pessoas doem “mais uma vez”, e vale a pena mostrar o por quê disso. Muitas ações compõem o portfólio da Gerando Falcões. Uma delas é a campanha ‘Corona no Paredão, Fome Não’, que entre 2020 e 2021 arrecadou recursos para ajudar os mais afetados pela pandemia.

Ao todo, R$ 95 milhões foram arrecadados para a compra de itens básicos, como alimentos e itens de higiene pessoal, e mais de 1,5 milhão de pessoas foram alimentadas até o momento. As doações ainda podem ser feitas em https://site.gerandofalcoes.com/coronanoparedao. 

Além disso, é possível contribuir para a própria Gerando Falcões, que tem foco em levar educação, cultura, esporte, qualificação profissional e geração de renda para crianças e adolescentes que vivem em favelas e comunidades. 

“Somos um ecossistema de desenvolvimento social que atua por meio da estratégia de rede em periferias e favelas de todo o Brasil. Através da Falcons University, Unidades Aceleradas, Oficinas e o Redesenho de Favelas, baseamos nossas ações em análise de dados e gestão eficiente, para interromper o ciclo de pobreza e transformar a pobreza em item de museu”, explicam os organizadores no endereço https://doe.gerandofalcoes.com/.

Há, ainda, outras opções de apoio à causa. Um dos muitos projetos sob o guarda-chuva do grupo são os bazares, de roupas e móveis, que trabalham o conceito de economia circular e vendem produtos por valores até 70% mais baratos, garantindo verba que é reinvestida em programas de transformação de periferias e favelas. 

Neste caso, doações de roupas, calçados, móveis, eletrodomésticos, eletrônicos e outros produtos em bom estado podem ser combinadas pelo e-mail bazar@gerandofalcoes.com ou pelo telefone (11) 3426-9800. 

Quem participa de qualquer uma das campanhas pode acessar, no site do grupo, relatórios de transparência com as atividades realizadas e auditorias das demonstrações financeiras. Entre os números disponíveis na internet, está o dado de que “a cada R$ 1 investido nas Oficinas de Esporte e Cultura e no Programa de Qualificação Profissional, houve um retorno social de R$ 3,50 em benefícios para a sociedade”.

Trabalho começa no Alto Tietê 

Na última edição impressa, O Diário mostrou que a ONG Gerando Falcões, que atende atualmente 1.550 comunidades em 23 estados brasileiros, foi criada em Poá, a apenas 15 quilômetros de Mogi das Cruzes. Mesmo 11 anos depois do início das atividades, o Alto Tietê continua sendo o laboratório do grupo. A região é tão importante que a comunidade Boca do Sapo, em Ferraz de Vasconcelos é a próxima a receber o projeto “Favela 3D”, que substituirá barracos por “moradia, com saneamento, saúde, qualificação sócio emocional e técnica para a comunidade”. 

Além disso, em Mogi há uma ONG da rede, a Associação Missão Intensidade, “do líder Rodrigo de Souza, localizada no Residencial Novo Horizonte, que atende as favelas da região. E Poá, além da sede do grupo, no bairro Cidade Kemel, abriga outro braço importante da Gerando Falcões: a Falcons University,  uma “universidade da favela para a favela” que desenvolve “crianças, jovens, educadores e lideranças para romperem o ciclo da pobreza intelectual, emocional e técnica”. Detalhes sobre estes temas estão no canal ‘Inspire-se’ .