Entrar
Perfil
INFORMAÇÃO

Rodovias paulistas precisam de obras no valor de R$ 32,63 bi

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) mostra uma queda generalizada na qualidade das rodovias brasileiras

Darwin Valente
11/11/2022 às 07:05.
Atualizado em 11/11/2022 às 07:05

Sistema Ayrton Senna -Carvalho Pinto ainda é considerado uma das melhores rodovias do País, segundo os levantamentos feitos pela CN (Arquivo O Diário)

Os investimentos públicos minguaram durante os dez últimos anos e, com isso, a qualidade das rodovias brasileiras piorou consideravelmente no decorrer deste ano, como mostra a nova pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), que acaba de ser divulgada. Segundo os números da avaliação, 34% das estradas analisadas em todo o País estão em ótima ou boas condições, número que era de 38,2% no ano passado e de 41% em 2019. Na outra extremidade da pesquisa, um quarto das rodovias (25,3%) foi classificado como ruim ou péssimo, enquanto a maior parte, 40,07%, apresenta condições apenas regular.

E desse quadro de terra quase arrasada, nem São Paulo escapa, ainda que as melhores estradas do País ainda estejam no Estado. Segundo a pesquisa, 23,2% da malha rodoviária pavimentada paulista apresenta algum tipo de problema, sendo considerada regular, ruim ou péssima. Porém, 76,8% da malha é considerado ótimo ou bom.

De toda a extensão da malha paulista avaliada, 28,9% apresenta problemas com pavimentação, enquanto 71,1% estão em condição satisfatória, enquanto 0,3% tem o pavimento completamente destruído.

Quanto à geometria ou traçado da via, 34,2% da extensão de toda a malha paulista apresenta algum tipo de problema, enquanto 65,8% está ótima ou boa, embora as pistas simples ainda predominem em 46,7% das vias e falte acostamento em 24,8% das vias. Já 12,3% dos trechos apresentam curvas perigosas não têm sinalização.

A pesquisa detectou ainda 29 pontos considerados críticos em rodovias de todo o Estado de São Paulo.

As deficiências detectadas indicam, conforme o cruzamento dos dados pesquisados, que as condições do pavimento das rodovias paulistas geram um aumento de custo operacional do transporte de 15,2%, o que reflete na competitividade brasileira e nos preços dos produtos por ali transportados.

Para recuperar a malha viária paulista serão necessários, conforme a avaliação da CNT, R$ 32,63 bilhões, a serem gastos com ações emergenciais, restauração e reconstrução.

Em 2022 estima-se ainda que haverá um consumo desnecessário de 53,9 milhões de litros de diesel devido à má qualidade do pavimento das rodovias. Um desperdício que poderá custar R$ 246 milhões aos transportadores.

 Quem vem aí

O conhecido cirurgião plástico e apresentador de televisão, Robert Rey, conhecido como Dr. Rey, virá a Mogi neste sábado (12) para inaugurar uma unidade da DermaRey, no ComVem Patteo Mogilar. Um dos criadores da rede, que hoje já conta com 30 franquias comercializadas pelo Brasil, 11 delas já em operação, o médico tornou-se famoso pelo seu trabalho de estética facial e corporal, dentro e fora do País. O evento será às 14 horas e o Dr. Rey já anuncia atendimento “a um preço justo”, mas que poderá ser pago em até 12 vezes no cartão ou em 24 vezes, no “Carnê Dr. Rey”.

 Justiça

A única referência feita a Mogi das Cruzes no Anuário da Justiça de São Paulo 2022, publicado nesta semana pelo Consultor Jurídico, está relacionada à instalação, no último mês de agosto, do Anexo de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, no âmbito criminal da Comarca da cidade. “É um marco porque possibilita oferta de melhor estrutura às vítimas de violência doméstica, em especial os serviços de assistência social e psicologia, previstos no termo de convênio firmado com a Prefeitura”, conforme destacou a juíza diretora do Fórum de Mogi das Cruzes, Ana Carmem de Souza Silva

 Saúde dos religiosos

O bispo de Mogi das Cruzes, dom Pedro Luiz Stringhini, vem enfrentando dias difíceis em razão de problemas de saúde envolvendo padres de diferentes paróquias da Diocese.

Com o padre João Paulo da Silva , da Vila Industrial, ainda distante das celebrações, por conta de uma cirurgia, realizada em São Paulo, em razão de infecção numa das pernas, acabam de receber alta médica os sacerdotes Nilton Sérgio Consoletti, da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na Vila Jundiaí, em Mogi ; e Paulo dos Santos Frade, vigário da Paróquia Nossa Senhora D’Ajuda, em Itaquá.

Ambos estão se recuperando em casa. 

O padre Paulo Frade foi hospitalizado, após um aneurisma na aorta, no Hospital Paulo Sacramento, em Jundiaí, no último sábado (5), mesma data em que o Padre Nilton foi levado para o Hospital São Luiz, em São Caetano do Sul, devido uma úlcera no intestino delgado.

 Luto

Todos esses fatos ocorreram em meio à consternação generalizada causada entre os católicos pela morte do padre Jefferson Calidonio André, de 27 anos, vítima de broncopneumonia. Ele também atuava em Itaquaquecetuba e esteve internado, durante algum tempo, no Hospital das Clínicas, na Capital.

 Só em 2023

Diante de um questionamento feito pela coluna sobre a situação da duplicação do trecho final da Mogi-Dutra e da construção da ponte sobre o rio Tietê, na Estrada da Volta Fria, na região do Rio Abaixo, o DER deu a seguinte resposta:

“O DER informa que os projetos executivos para duplicação de 1,3 km da rodovia Mogi-Dutra e de construção da ponte na estrada de Volta Fria estão em andamento. A previsão é que as obras comecem no ano que vem”.

 Cidadania

O atual secretário de Estado da Saúde, médico e professor universitário da UMC, Jean Carlo Gorinchteyn, deverá ser homenageado com o título de Cidadão Mogiano, em reconhecimento à sua atuação na área da Medicina, em especial durante a pandemia de Covid-19, em São Paulo. O secretário foi uma das vozes mais conscientes a se levantar em favor do isolamento e das vacinas e contra medicamentos inócuos que autoridades, como o presidente Jair Bolsonaro, tentavam empurrar como sendo milagrosos contra a doença. A ligação de Gorinchteyn com Mogi é antiga. Ele formou-se em Medicina pela UMC e, só depois, especializou-se em Infectologia pelo Instituto Emílio Ribas, na Capital. O vereador José Luiz Furtado (PSDB) foi quem teve a iniciativa da homenagem.

  

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por