Entrar
Perfil
INFORMAÇÃO

Proposta de vereador novato coloca políticos veteranos em sinuca de bico

José Luiz Furtado quer mudar o nome “Avenida das Orquídeas”, escolhido por votação, em 2016, para “Avenida Fumio Horii”, por meio de projeto de lei, apresentado na semana passada, na Câmara Municipal de Mogi

Darwin Valente
20/06/2022 às 16:13.
Atualizado em 20/06/2022 às 18:56

Vereador José Luiz Furtado quer mudar o nome de avenida para homenagear o empresário Fumio Horii, falecido no ano passado, vítima da Covid-19 (Divulgação- Diego Barbieri-CMMC)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
INFORMAÇÃO

Proposta de vereador novato coloca políticos veteranos em sinuca de bico

José Luiz Furtado quer mudar o nome “Avenida das Orquídeas”, escolhido por votação, em 2016, para “Avenida Fumio Horii”, por meio de projeto de lei, apresentado na semana passada, na Câmara Municipal de Mogi

Darwin Valente
20/06/2022 às 16:13.
Atualizado em 20/06/2022 às 18:56

Vereador José Luiz Furtado quer mudar o nome de avenida para homenagear o empresário Fumio Horii, falecido no ano passado, vítima da Covid-19 (Divulgação- Diego Barbieri-CMMC)

O vereador José Luiz Furtado (PSDB), ainda em primeiro mandato, conseguiu colocar seus colegas de Legislativo e outros políticos locais numa verdadeira saia justa ao propor, via Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, a substituição da denominação “Avenida das Orquídeas” por “Avenida Fumio Horii”, numa homenagem ao mega empresário, uma das vítimas da Covid-19, falecido em 16 de maio do ano passado, aos 87 anos.

Antes de apresentar sua proposta, por meio de um projeto de lei, considerado objeto de deliberação  e encaminhado para ser avaliado pelas comissões permanentes do Legislativo, o tucano teve o cuidado de mostrar sua ideia a familiares de Horii, os quais teriam dado sinal verde para tal iniciativa, segundo o próprio Furtado declarou, em suas justificativas, no plenário da Câmara.

Ou seja, o vereador tornou sua ideia praticamente irreversível, antes mesmo de apresentá-la a seus colegas, que inicialmente a acolheram, preocupados em não causar eventual confronto com os familiares do empresário. Afinal, disse Furtado, seu objetivo seria homenagear Horii durante as comemorações dos 114 anos da imigração japonesa para Mogi, ocorridas no dia 18 passado.

Furtado só pareceu não ter levado em conta o fato de que a denominação “Avenida das Orquídeas” foi resultado de uma consulta popular, realizada em 2016, durante a administração do prefeito Marco Aurélio Bertaiolli (PSD), que, juntamente com seu sucessor, Marcus Melo (PSDB), foram responsáveis pela obra.

Foi a oportunidade para que os jovens, da comunidade escolar mogiana e seus familiares indicassem o nome da futura  interligação entre Mogi das Cruzes e Suzano.

Como parte dos preparativos para a votação houve grande divulgação com o detalhamento da obra e dos objetivos da consulta junto às escolas mogianas para que ocorresse uma expressiva participação no processo de escolha. O que realmente aconteceu.

Apurados os votos, venceu “Avenida das Orquídeas”, numa referência à planta recordista em cultivo no município, especialmente nas regiões dos bairros rurais Itapeti e Taboão.

Dos 44.368 alunos matriculados na rede municipal de Educação, 34.116 votaram.

Desse total, 8.848 estudantes, equivalentes a 26% dos votantes, optaram pelo nome “Avenida das Orquídeas”.

Já outros 8.742 votantes (20%) preferiram “Avenida Mogi das Cruzes”; enquanto 12% (4.019 alunos), escolheram “Avenida do Caqui”. Outros 10% (3.480) optaram por “Avenida Itapeti”, e mais 10% (3.406), por “Avenida Tietê”.

A consulta mostrou ainda que 8% dos votantes (2.844) aderiram à “Avenida Braz Cubas”, enquanto outros 8% (2.754) preferiram o nome “Avenida Bandeirantes”. Por fim, os 6% restantes, equivalentes a 2.023 votantes, indicaram o nome “Avenida Gaspar Vaz”.

A denominação foi anunciada, durante a inauguração da via, pelo governador da época, Geraldo Alckmin, então filiado ao PSDB, que destacou o processo de escolha adotado pelo município.

Porém, até agora, ainda persiste a dúvida se tal denominação chegou a ser oficializada pelo governo de Marcus Melo, já que durante a administração de Bertaiolli, tal fato não ocorreu, pois o município ainda não havia tomado posse legalmente das áreas que haviam sido doadas pelas famílias Horii, Cardoso e por uma outra, que sequer estava registrada no cadastro municipal.

Pois foi justamente dentro dessa conjuntura que o vereador Furtado apresentou sua polêmica proposta.

Para os atuais vereadores, é uma incômoda situação terem de se posicionar diante de familiares do homenageado, caso desejem contestar a proposta do colega tucano.  Em situação ainda mais delicada estão os ex-prefeitos Bertaiolli e Mello. O primeiro, responsável pela consulta que resultou na escolha da denominação “Avenidas Orquídeas”; já o segundo, por ter acolhido, sem qualquer contestação, a ideia de seu antecessor, inaugurando a via com o nome vencedor na “eleição”.

A eles, certamente, deveria caber a defesa da atual denominação. Mas como fazer isso diante dos familiares de um homenageado, conhecido por seus investimentos na cidade e pelos atos de benemerência, em especial junto a entidades ligadas à comunidade japonesa regional?

Ou seja, o vereador Furtado, de primeiro mandato, acabou colocando veteranos políticos da cidade uma situação um tanto incômoda: apoiar a proposta ou validar a consulta popular? 

Vale, portanto, esperar os desdobramentos que virão por aí, a partir do momento em que o projeto de lei deixar as comissões permanentes da Câmara Municipal de Mogi e chegar ao plenário para ser discutido e votado pelos vereadores. 

Até lá, restará saber como irão se posicionar os integrantes da classe política local diante do delicado assunto.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por