Entrar
Perfil
INFORMAÇÃO

Moreira Ferreira assegurou prestígio ao Alto Tietê como presidente da Fiesp-Ciesp

Durante o período de Carlos Eduardo Moreira Ferreira à frente da Fiesp-Ciesp, setor empresarial da região teve maior participação nas entidades

DARWIN VALENTE
04/05/2022 às 07:08.
Atualizado em 04/05/2022 às 07:10

Carlos Eduardo Moreira Ferreira, que faleceu no último domingo, teve um grande parceiro de Mogi, quando foi presidente da Fiesp/Ciesp: Angelo Albiero Filho (Arquivo O Diário)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
INFORMAÇÃO

Moreira Ferreira assegurou prestígio ao Alto Tietê como presidente da Fiesp-Ciesp

Durante o período de Carlos Eduardo Moreira Ferreira à frente da Fiesp-Ciesp, setor empresarial da região teve maior participação nas entidades

DARWIN VALENTE
04/05/2022 às 07:08.
Atualizado em 04/05/2022 às 07:10

Carlos Eduardo Moreira Ferreira, que faleceu no último domingo, teve um grande parceiro de Mogi, quando foi presidente da Fiesp/Ciesp: Angelo Albiero Filho (Arquivo O Diário)

A morte do ex-presidente da Fiesp-Ciesp, Carlos Eduardo Moreira Ferreira,  aos 83 anos, no último domingo, em São Paulo, provocou lembranças em empresários e pessoas ligadas à indústria de Mogi e região. 
Afinal, foi durante a década de 90, quando Moreira Ferreira comandou as duas mais importantes entidades ligadas ao setor industrial da época, que o Alto Tietê teve uma efetiva participação junto a elas, graças à intermediação do dirigente do Ciesp local, Angelo Albiero Filho.
Albiero teve forte atuação na eleição de Moreira, como seu interlocutor junto aos delegados regionais do interior, que influíam diretamente na escolha do comando do Ciesp.
A eleição foi contra Emerson Kapaz, empresário do setor de brinquedos e, alguns dias antes do pleito, Albiero enviou uma carta a cada um dos eleitores do interior, mostrando as diferenças entre Moreira Ferreira e Kapaz e procurando apontar seu candidato como um “empresário assumido”, que “não admitia ambiguidades”.
Albiero fez, então, duras críticas à conduta de Kapaz. Era de conhecimento público que ele havia votado no candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Luís Inácio Lula da Silva, no segundo turno da eleição presidencial em dezembro de 1989, e, ainda, que comparecera a uma manifestação de trabalhadores em frente à Brastemp, ao lado de Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho, do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, para protestar contra as demissões na empresa.
Depois de expor o que na época podia ser considerado uma  grande fragilidade do empresário, ele ainda arrematou, com uma pergunta:
 “Você compraria um carro usado de Emerson Kapaz?”
A eleição para a Fiesp foi folgada: 95 a 24 para Moreira, mas no Ciesp, a situação se complicou: 1.731 contra 1.591, uma diferença de 140 votos pró Moreira, mas que levaria o pleito para um segundo turno.
Mais isso não houve.
 Bombardeado durante o primeiro turno, Kapaz simplesmente se afastou do pleito e não concorreu ao segundo turno, que, com isso, acabou suspenso. 
Moreira levou as duas eleições e o prestígio de Albiero cresceu, a ponto de ser indicado para assumir a coordenação geral das delegacias regionais da entidade em todo o interior paulista.
Foi neste cargo que Albiero conseguiu a transformação das delegacias em diretorias e a consequente elevação de seus titulares dos cargos de delegados para diretores regionais.
Embora vivessem sempre às turras, pelas exigências de Albiero  voltadas para ampliar o poder de decisão dos dirigentes regionais, ele e Moreira Ferreira mantinham uma aliança forte, demonstrada nos encontros regionais das entidades. Num deles, na Baixada Santista, os dirigentes regionais chegaram a presentear Moreira Ferreira, um apaixonado por cavalos, com um animal de raça, que lhe foi entregue  em pleno salão do evento, junto com um discurso, cheio de elogios e agradecimentos, do próprio Albiero.
Fortalecido junto ao interior por conta do trabalho do dirigente mogiano, Moreira Ferreira nem teve adversários para a disputa da reeleição.
Com chapa única, a vitória foi tranquila, assim como na eleição do sucessor de Moreira, Horácio Lafer Piva. 
Os problemas só vieram na disputa com Paulo Skaf, muitos anos mais tarde.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por