MENU
BUSCAR
INFORMAÇÃO

Licenciamento ambiental atrapalha obras do "Viva Mogi"

Prefeito Caio Cunha diz que demora na obtenção de licença impede que se façam obras viárias antes do novo parque Airton Nogueira

Darwin ValentePublicado em 07/10/2021 às 18:05Atualizado há 20 dias
Eisner Soares
Eisner Soares

“Um verdadeiro parto”. Dessa forma, o prefeito Caio Cunha definiu as dificuldades que o município vem enfrentando para obter as licenças ambientais necessárias para as obras do projeto Viva Mogi (antigo +Mogi EcoTietê), especialmente no trecho que passa próximo ao rio Tietê.

Ele citou tal problema ao ser questionado por que, em lugar das obras viárias, que poderiam ajudar a destravar o trânsito entre César de Souza e Mogilar, a Prefeitura está iniciando o projeto com a instalação do futuro Parque Airton Nogueira. 

“À medida que as licenças forem saindo, nós daremos início às outras obras”, garantiu o prefeito, lembrando que a obra do Parque foi a primeira e ser liberada pela Cetesb. 

Terceiro turno

Ao participar da gravação do Caiocast  com este colunista, o prefeito atribuiu  a dois fatores a existência de uma oposição  a ele na Câmara Municipal. O primeiro seria a mudança na forma de se relacionar do atual prefeito  com os vereadores. Segundo ele, houve o fim do “toma lá, dá cá”, com a tentativa de se priorizar o que é bom a cidade e que deve merecer o apoio dos vereadores, independente de questões político-partidárias. O segundo fator seria a existência ainda de um “terceiro turno” na cidade, com antigos aliados do grupo que perdeu a eleição assumindo certas posturas que remetem à disputa do passado, “algo que eu, na minha inocência, jamais imaginei que fosse persistir, mas que, infelizmente, ainda  persiste em algumas pessoas”.

 Apoio a Valverde

Diante da inexistência, até agora, de um possível candidato a deputado estadual pelo PODE, o prefeito Caio Cunha admitiu a possibilidade de vir a apoiar a virtual candidatura de Rodrigo Valverde (PT) para a Assembleia Legislativa, nas eleições do próximo ano. 

Quanto à área federal,o prefeito considerou como “muito provável” a candidatura de sua atual vice, Priscila Yamagami (PODE), especialmente convidada pela deputada federal Renata Abreu, presidente nacional da legenda, para a disputa. 

O prefeito, entretanto, não bateu o martelo em definitivo com relação à candidatura da vice, o que pode ser um sinal de mudanças  antes do início das convenções e das campanhas eleitorais. 

ÚLTIMAS DE Informação