Entrar
Perfil
INFORMAÇÃO

Jogo de futebol vai levar Caio Cunha para a mesa de cirurgia

Prefeito rompeu o menisco do joelho direito durante a partida de quinta-feira (14), entre Prefeitura x Câmaras, no Estádio Francisco Ribeiro Nogueira

DARWIN VALENTE
26/04/2022 às 19:47.
Atualizado em 26/04/2022 às 22:52

Uma jogada mal sucedida e o prefeito Caio Cunha rompeu o menisco do joelho, durante jogo entre integrantes da Prefeitura e da Câmara no Nogueirão: cirurgia à vista (Arquivo O Diário)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
INFORMAÇÃO

Jogo de futebol vai levar Caio Cunha para a mesa de cirurgia

Prefeito rompeu o menisco do joelho direito durante a partida de quinta-feira (14), entre Prefeitura x Câmaras, no Estádio Francisco Ribeiro Nogueira

DARWIN VALENTE
26/04/2022 às 19:47.
Atualizado em 26/04/2022 às 22:52

Uma jogada mal sucedida e o prefeito Caio Cunha rompeu o menisco do joelho, durante jogo entre integrantes da Prefeitura e da Câmara no Nogueirão: cirurgia à vista (Arquivo O Diário)

O jogo da noite de quinta-feira (14), no Estádio Nogueirão, na  Vila Industrial, entre Câmara x  Prefeitura tinha tudo para ser oportunidade para alguns acertos de contas entre eventuais desafetos. Em jogos desse tipo, apresentados como uma confraternização, sempre sobra alguma entrada mais dura, resultado de alguma mágoa guardada no fundo da alma.

Mas se alguém tinha a intenção de promover, em campo, algum ajuste com o prefeito Caio Cunha (PODE), se deu muito mal. No primeiro pique do chefe do Executivo em direção à bola, ele sentiu uma fisgada na parte posterior do joelho direito, primeiro sinal de uma forte dor que tiraria de campo um dos mais aguardados atletas da noite. 

Afinal, não é sempre que tem oportunidade de ver um prefeito em campo, defendendo a camisa da Prefeitura, contra os vereadores da cidade. 

A partida terminou naquele momento para Caio que, com dores cada vez mais intensas, acabou indo procurar o seu médico ortopedista, doutor Eduardo Sadao, que lhe deu o diagnóstico: rompimento do menisco.

Dizem os especialistas que “a ruptura do menisco ocorre na cartilagem macia do joelho que amortece a tíbia do fêmur. O menisco pode se romper devido a uma torção ou rotação violenta do joelho. E os sintomas incluem dor, inchaço, rigidez e dificuldade para estender o joelho. O tratamento inclui repouso, gelo, analgésicos e fisioterapia. Com menos frequência, a cirurgia pode ser necessária”.

No caso de Caio Cunha, a gravidade da contusão vai exigir uma cirurgia que deverá ser feita logo que forem eliminados os sinais de inflamação verificados no local.

Mas para quem acredita que desgraça pouca é bobagem, nas investigações para apurar a gravidade da contusão no joelho do prefeito, o médico acabou detectando um outro problema ósseo: uma deficiência na ponta do fêmur, que nada teve a ver com a lesão do menisco, mas que, certamente resultou dos esforços físicos realizados quando ele, ainda vereador, era lutador de judô, arte marcial que  exige muito do corpo de quem a pratica.

Ainda não se tem informação se o problema no fêmur vai exigir alguma medida cirúrgica, ou se o prefeito simplesmente passará a conviver com ele. O certo é que, desde o malfadado jogo, Caio passou a se locomover com o auxílio de uma bengala para evitar maior esforço sobre o joelho contundido.

Logo que tomaram conhecimento do ocorrido, nos meios políticos não faltaram especulações sobre os motivos do tal rompimento. 
Houve  quem dissesse que um certo sapo havia sido enterrando no campo, horas antes do jogo, por uma vereadora da oposição mais radical ao prefeito. 

Mas também houve quem  atribuísse  o caso a alguma praga de palmeirense, que ainda não engoliu o coro de "Palmeiras não tem Mundial", feito juntamente com  Marcelinho Carioca.

Não há confirmação de nada

Só uma coisa era certa: até a tarde de ontem, o prefeito não havia tomado conhecimento do placar final do jogo. “Se eu estivesse jogando, com certeza, a Prefeitura iria ganhar. Senão, eu levava a bola embora e desligava os refletores”, disse o bem-humorado Caio à coluna.

Na verdade, o prefeito não precisaria de medidas tão extremas. 
Sem ele em campo, a Prefeitura bateu a Câmara por 3 a 1. 
Não se tem notícia sobre os autores dos gols da Prefeitura, mas o solitário gol da Câmara teria sido de autoria do presidente  Marcos Furlan (União Brasil).

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conoscoConteúdo de marcaConteúdo de marca
Copyright © - 2022 - O Diário de MogiÉ proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuído por