Entrar
Perfil
INFORMAÇÃO

Deputado André do Prado pode estar mais próximo da presidência da Alesp

Valdemar Costa Neto e Tarcísio de Freitas acertaram a indicação de um nome do PL para presidir a Assembleia Legislativa do Estado; Prado ainda terá de vencer oposição da ala bolsonarista do partido

Darwin Valente
22/11/2022 às 07:04.
Atualizado em 22/11/2022 às 07:05

Deputado André do Prado vê crescerem as suas chances de se tornar presidente da Alesp durante o início da próxima legislatura, em março do próximo ano (Divulgação)

Começam a crescer e se tornarem mais factíveis as chances de o deputado estadual do Alto Tietê, André do Prado (PL), vir a assumir o cargo de presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, durante o primeiro ano da futura legislatura, que terá início em março de 2023. Ao contrário dos cargos executivos, que tomam posse no primeiro dia do ano, em São Paulo, a posse dos novos deputados estaduais paulistas acontece somente em março.

Informa a imprensa de Brasília que o presidente nacional do partido, Valdemar Costa Neto, acertou com o governador eleito de São Paulo, Tarcísio de Fretas (Republicanos), o apoio a um nome do PL na eleição para a presidência da Assembleia Legislativa Paulista.

O encontro entre ambos teria ocorrido na quinta-feira (18), quando ficou acertado que o partido do presidente Jair Bolsonaro deverá contar com o respaldo do futuro governador. 

Tarcísio, no entanto, deixou claro que ficará equidistante em uma disputa que existe dentro do PL, envolvendo deputados mais ligados ao presidente Valdemar e os bolsonaristas.

Será um grande teste de força política e de articulação para Valdemar Costa Neto, cujo candidato preferido é o deputado André do Prado, a quem a ala mais radical do partido acusa de sequer ter dado apoio a Tarcísio de Fretas, no primeiro turno das eleições para governador.

 Realmente, André preferiu manter a palavra dada ao governador Rodrigo Garcia (PSDB), a quem devia um apoio muito grande para seus pleitos no decorrer de sua administração. 

Passado o primeiro turno, no entanto, com a derrota de seu candidato,  André do Prado e o deputado federal Márcio Alvino (PL) foram levados pelas mãos de Valdemar Costa Neto para manifestarem apoio  incondicional à candidatura de Freitas no segundo turno.

Os bolsonaristas, segundo se comenta, preferem o deputado Gil Diniz, que teria chegado à política por meio do deputado federal Eduardo Bolsonaro, um dos filhos do presidente da República, a quem assessorou, antes de se eleger pela primeira vez, em 2018.

Para os observadores políticos de Brasília, ao garantir o apoio do PL na eleição do presidente da Alesp, o governador eleito teria encontrado um meio de conter o incomensurável apetite da agremiação por cargos no primeiro time do governo. 

Para esses mesmo observadores, o Republicanos, partido de Freitas e o PSD, sigla à qual pertence o vice-governador eleito, Felício Ramuth, e que tem à frente o sempre poderoso Gilberto Kassab, esperam ficar com o maior número de secretarias onde forem permitidas indicações.

Freitas já disse que pretende colocar técnicos em algumas pastas-chave de seu governo, como a secretaria de Logística e Transportes, por exemplo.

Mas a força de Kassab no governo poderá abrir caminho para o deputado federal mogiano, Marco Bertaiolli (PSD), citado como possível secretário desde a noite da vitória no segundo turno das eleições deste ano. Pelo menos era esse o rumor que corria no comitê do  já governador eleito, conforme contou a este jornal o prefeito Caio Cunha (PODE), que lá estava, acompanhando a etapa final das apurações que confirmaram a vitória do republicano sobre o candidato do PT, Fernando Haddad.

 Rumores – 1

Apesar dos fortes rumores dando conta de sua possível saída do PSDB, como parte de uma estratégia para se candidatar novamente a prefeito de Mogi das Cruzes, nas eleições de 2024, Marcus Melo negou ontem para esta coluna que esteja de malas prontas no partido. 

“Está tudo certo comigo no PSDB. Os rumores sobre possível saída são mesmo boataria”, disse ele, respondendo à indagação que lhe foi feita pela coluna.

 Rumores – 2

Nos meios políticos locais, comentava-se que o prefeito Caio Cunha (PODE) estaria articulando para assumir o comando do Diretório Municipal do PSDB, hoje presidido por Marcus Melo. Caio também negou tal hipótese. Mas entre políticos da cidade comenta-se que a coordenação regional do tucanato estaria “à deriva” na cidade, já que Melo  pouco ou nada fez em favor da campanha do partido nas eleições passadas. A conferir.

 Sinais

Candidato ou não pelo PSDB, o certo é que Marcus Melo, que estava se dedicando exclusivamente às atividades no colégio de propriedade de sua família, estaria começando a circular mais pela cidade, fato que é visto como uma espécie de ensaio para avaliar suas chances de retornar à Prefeitura. 

Ele  estaria, inclusive, tomando cafés em alguns pontos de maior movimento de políticos, onde tem sido muito bem recebido, por sinal..

 Vice-prefeito

Mesmo sabendo que terá de se articular junto a Valdemar Costa Neto (PL) e a Marco Bertaiolli (PSD) para entrar com chances na disputa pela Prefeitura, Melo nunca negou o seu desejo de concorrer novamente ao cargo de prefeito em 2024. Por isso mesmo, já circulam rumores em torno da possibilidade de formação de uma chapa encabeçada por Melo, tendo o vereador Edson Santos (PSD) como candidato a vice-prefeito.A conferir...

 Inaugurações

A data exata ainda não está definida, mas o prefeito Caio Cunha anunciou em suas redes sociais que a abertura oficial do novo ginásio de esportes do bairro do Mogilar acontecerá na primeira quinzena de dezembro. 

O prefeito também marcou para o mês de janeiro do próximo ano a transferência da atual sede do Pró-Criança para as instalações, bem mais amplas, do antigo Pró-Mulher, na Rua Manoel de Oliveira, próximo ao Helbor Plazza, também no Mogilar. A ideia é praticamente duplicar o atendimento às crianças na futura unidade, que passará a se chamar Vagalume.

 Também não foi divulgada a data exata para a mudança, que o imóvel que abrigou também a Secretaria Municipal de Saúde está passando por uma ampla reforma para se adequar à futura utilização.

 ITBI

A Câmara de Ferraz de Vasconcelos deverá votar, nesta terça-feira (22), em primeiro turno, o projeto de lei que permite parcelamento em até cinco vezes iguais e sucessivas o pagamento do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), tributo que é gerado a partir de transação de compra e venda de imóvel e que é cobrado pelo município onde a propriedade negociada está localizada.

Por se tratar de imposto municipal, a alíquota varia de município para município. No caso de Ferraz, o valor é de 2,5% sobre o valor venal do imóvel e já garantiu, de janeiro a agosto, a arrecadação de mais de R$ 3,4 milhões. 

A Capital cobra 3% , em parcela única, enquanto em Mogi, o percentual é de 2%. O tributo é cobrado quando o comprador do imóvel vai até o Cartório de Registro de Imóveis para oficializar a aquisição do bem.

Se aprovado em primeiro turno, a Câmara de Ferraz deve marcar a data para a segunda e última votação da proposta.

           

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por