Entrar
Perfil
Gravidez e Bebê

Bebê pode comer biscoito de maisena?

A filha de Virgínia e Zé Felipe apareceu comendo nas redes sociais e gerou uma discussão na internet. Bebê pode comer biscoito de maisena?

BabyHome
14/07/2022 às 13:30.
Atualizado em 07/06/2022 às 21:15

Bebê pode comer biscoito de maisena? - BabyHome (Divulgação/Shutterstock)

Polêmica envolvendo bebê de casal famoso ganhou a internet nos últimos dias. Mas, afinal, será que bebê pode comer biscoito de maisena? Especialista explica

 Nos últimos dias, uma polêmica começou a gerar discussão na internet. Tudo porque Maria Alice, 8 meses, filha da influencer Virgínia Fonseca e do cantor Zé Felipe, apareceu em um vídeo nas redes sociais da mãe, comendo um biscoito de maisena. Uma nutricionista postou uma crítica, dizendo: “Meu coração morrendo ao ver um bebê com 8 meses com uma bolacha na mão. Sério. Não façam isso. Não repitam esse erro”.

 Vários internautas concordaram com a profissional, vários discordaram e até a criticaram por dar palpite na criação do filho alheio. Zé Felipe, o pai da criança, gravou vídeos retrucando. “Só para responder aqui: nós vamos dar bolacha, nós vamos dar carne para Maria Alice, arroz, feijão, nós vamos dar o que a gente quiser”, disse o cantor.

Polêmicas à parte, vamos ao que interessa para mães e pais: será que bebê pode comer biscoito de maisena? Faz mal? Para entender melhor, BabyHome conversou com a pediatra Renata Aniceto, especialista em alimentação infantil e nossa colunista. Confira:

 Bebê pode comer biscoito de maisena ou pais devem evitar?

“O biscoito de maisena é um dos alimentos do grupo de industrializados ultraprocessados. Isso significa que é totalmente criado dentro da indústria, com bastante conservante, bastante conteúdo químico e que, na realidade, não deveria estar no cardápio das crianças - nem dos adultos”, esclarece ela. 

“Esse biscoito é riquíssimo em açúcar e não tem valor nutricional algum na dieta, nem mesmo como carboidrato, porque o que ele traz é o carboidrato ruim, tanto do açúcar, quanto da farinha. É aquele carboidrato do qual tentamos nos livrar a vida toda”, complementa. Os carboidratos são, sim, importantes na alimentação, mas, de acordo com Renata, é preciso conhecer as fontes para escolher carboidratos de melhor qualidade. 

“Lembrando que o açúcar está proibido para crianças abaixo de 2 anos. Então, um bebê, em hipótese alguma, poderia consumir a bolacha maisena”, orienta.

 Como substituir, então, o biscoito de maisena nos intervalos das refeições?

Para a pediatra, no mundo ideal, os petiscos seriam sempre comida de verdade, como as frutas. Bebês adoram fazer aquele movimento de pinça com os dedinhos para pegar a comida. Segundo ela, a uva é uma ótima ideia. Mas atenção: sempre corte a uva no sentido longitudinal, antes de oferecer ao bebê, para evitar engasgos. Como ela é redonda e lisa, pode escorregar para o fundo da garganta, sem ser mastigada e bloquear a via. “Você também pode dar outras frutas, cortadas em pedacinhos”, ensina. 

Mas tem alguma opção que venha pronta, para momentos em que não temos frutas disponíveis? “Escuto de algumas mães que elas gostariam de ter algo industrializado. Para nós, médicos, principalmente dessa parte de alimentação, todo mundo comeria comida de verdade o tempo todo, mas sabemos que nem sempre é possível. Uma opção que às vezes dou para as mães para um horário de um lanche e que é muito menos nociva para a criança do que os biscoitos doces, como os de maisena, são aqueles biscoitos de arroz. É super tranquilo de achar no supermercado. O biscoito de arroz também tem uma caloria vazia, é um valor nutricional que não é importante e não acrescenta nada, mas também não prejudica, como o biscoito de maizena”, recomenda. 

 Quer saber mais? Assine a newsletter de BabyHome e receba toda semana mais matérias sobre como o seu bebê está se desenvolvendo. É rápido e grátis

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por