Entrar
Perfil
BLOQUEIO

Manifesto interdita meia pista na Mogi-Dutra, na entrada de Mogi das Cruzes

Motoristas enfrentam lentidão e insatisfeitos com eleição se aglomeram para fechar o outro lado da rodovia

O Diário e Agência Brasil
31/10/2022 às 23:03.
Atualizado em 31/10/2022 às 23:59

Rodovia fechada em dos lados da pista (Josué Suzuki)

Na noite desta segunda-feira (31), manifestantes bolsonaristas iniciaram um protesto na entrada de rodovia Mogi-Dutra, em Mogi das Cruzes, com o fechamento do trânsito que passou a ser feito em meia pista, no sentido Ponte Grande, por causa do bloqueio feito por caminhões e pneus. No sentido São Paulo, por volta das 23 horas, não havia interdição, mas já se iniciava uma aglomeração.

Na saída da cidade, Polícia Rodoviária chegou enquanto se formava uma pequena aglomeração (Josué Suzuki)

Uma viatura da Polícia Rodoviária, de Guarulhos, chegou ao local pouco depois das 23h. À reportagem de O Diário, policiais afirmaram que não haverá a interdição total do acesso, pelo menos enquanto a viatura estivesse no local. Porém, como caminhões estavam parados no sentido Mogi das Cruzes, um reforço de viaturas havia sido solicitado para garantir a liberação, ma sem previsão de quando isso aconteceria, já que a força-tática da polícia atendia outro trecho na região.

Pessoas de diversas idades, inclusive adolescentes, algumas usando camisetas verde e amarela ou com a bandeira do Brasil nas mãos, se mobilizavam para chamar novos participantes para o protesto em Mogi das Cruzes. Durante o ato, um veículo passou pelo local e um dos ocupantes gritou "Lula". Os manifestantes gritavam para que ele voltasse, com ameaças de agressão.

Mas alguns motoristas que cruzavam o protesto, já que a passagem estava liberada, buzinavam em sinal de aprovação à manifestação.

Manifestantes que gritavam palavras de ordem contra os resultados da eleição compunham o ato, que não foi o primeiro na região do Alto Tietê (confira aqui).

Em redes sociais da cidade, transmissões ao vivo convocavam a militância bolsonarista para as ruas em protesto contra o resultado do segundo turno das Eleições 2022.

Nos vídeos, lideranças afirmavam que a ideia era evitar a posse do presidente eleito, Luis Inácio Lula da Silva, e defender o presidente Jair Bolsonaro, que perdeu as eleições e se manteve em silêncio desde o resultado das urnas, na noite de domingo (30).

Na noite desta segunda-feira (31), uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) determintou o desbloqueio das rodovias federais que, durante parte do dia, permaneceram fechadas por pequenos grupos de manifestantes.

Decisão do STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou o total desbloqueio das rodovias federais que registraram paralisações de caminhoneiros. 

De acordo com a decisão, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e as policias militares estaduais deveriam garantir total trafegabilidade do trânsito de veículos. 

Para  Alexandre de Moraes, as paralisações “desvirtuam o direito constitucional de reunião”. 

“O quadro fático revela com nitidez um cenário em que o abuso e desvirtuamento ilícito e criminoso no exercício do direito constitucional de reunião vem acarretando efeito desproporcional e intolerável sobre todo o restante da sociedade, que depende do pleno funcionamento das cadeias de distribuição de produtos e serviços para a manutenção dos aspectos mais essenciais e básicos da vida social”, afirmou o ministro. 

Ontem (30), após o anúncio da vitória de Luiz Inácio Lula da Silva para a Presidência da República em segundo turno, grupos de caminhoneiros iniciaram bloqueios em diversos pontos do país. 

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por