Entrar
Perfil
MEIO AMBIENTE

Em comemoração ao Dia da Árvore, alunos plantam espécies nativas

Além da ação no Colégio Raízes, estudantes lançarão mix de sementes em pontos da Serra do Itapeti

O Diário
18/09/2022 às 08:40.
Atualizado em 22/09/2022 às 19:18

Alunos do Colégio Raízes participam de plantio na sede da escola, na Serra do Itapeti (Divulgação - Colégio Raízes)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
MEIO AMBIENTE

Em comemoração ao Dia da Árvore, alunos plantam espécies nativas

Além da ação no Colégio Raízes, estudantes lançarão mix de sementes em pontos da Serra do Itapeti

O Diário
18/09/2022 às 08:40.
Atualizado em 22/09/2022 às 19:18

Alunos do Colégio Raízes participam de plantio na sede da escola, na Serra do Itapeti (Divulgação - Colégio Raízes)

O Colégio Raízes intensifica as comemorações do Dia da Árvore, comemorado nesta quarta-feira (21) e realiza o plantio de árvores nativas na sede da escola. O evento, que contará com a participação de estudantes, professores e funcionários, acontecerá quinta-feira (22), com destaque para quatro espécies: Jacarandá-da-Bahia (ameaçada de extinção), Grumixama, Pitanga e Araçá.

O plantio de mudas nativas é altamente necessário pois promove a melhor qualidade de vida e proteção ao meio ambiente. E, além desta ação, os alunos estão produzindo bombas de sementes, que contêm argila, adubo orgânico e mix de sementes de espécies nativas, para lançamento em áreas estratégicas da Serra do Itapeti, com o objetivo de enriquecimento ambiental. 

O Jacarandá-da-Bahia é uma espécie que se enquadra no nível de vulnerabilidade, correndo sérios riscos de extinção. A árvore também é muito utilizada para a produção de móveis de luxo, bem como para a confecção de instrumentos musicais. Toda essa questão faz com que a exploração atual seja fortemente regulamentada pelo governo, tendo o desmatamento ilegal combatido por forças do Ibama e da Polícia Florestal.

Já a Grumixama é uma árvore brasileira da floresta pluvial da Mata Atlântica, que pertence à família das Myrtaceae e também pode ser chamada de grumixaba, grumixameira, cumbixaba, ibaporoiti e gurumixameira. Sua árvore está sendo ameaçada de extinção e pode atingir até 15 metros de altura.

A origem do nome Grumixama, segundo o vocabulário Tupi-Guarani, provém de “guamichã” que quer dizer: o que pega na língua. Seu fruto “pega na língua” por ser bastante palatável e com sabor inigualável, e ainda é uma mistura de doçura e acidez, um misto de pitanga e jabuticaba. Ainda é pouco conhecida, mas já foram identificadas propriedades como Vitamina C e do complexo B (B1, B2), Niacina, flavonoides e outros, presentes nessa fruta.

Já a Pitangueira atinge entre 6 metros e 12m de altura, dotada de copa pouco globosa, tronco tortuoso e liso medindo de 30 centímetros a 50cm de diâmetro. Tem folhas opostas, simples e brilhantes na face superior, flores solitárias ou inflorescências de cor branca e frutos vistosos, brilhantes e sulcados.

Outra e espécie, o Araçá, é um fruto utilizado na alimentação humana, podendo ser ingerido in natura ou utilizado na fabricação de outros produtos, como sucos, licores e sorvetes. A denominação araçazeiro é feita para indicar algumas plantas do gênero Psidium. O araçá destaca-se pela presença de um elevado teor de vitamina C, além de sais minerais, fibras e outros compostos.

As novas mudas se incorporam à coleção de espécies mantida pelo Colégio Raízes em seus quase 30 mil metros quadrados na Serra do Itapeti, garantindo a permanência de animais e aves.

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por