Entrar
Perfil
PESQUISA

Alunos do 5º ano tiveram perda de um ano no aprendizado de matemática na pandemia

Minitestes online e gratuitos foram aplicados a 14 redes de ensino em 2021 para montar o estudo Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede)

O Diário
16/08/2022 às 10:34.
Atualizado em 16/08/2022 às 10:34

Pesquisa ajuda a entender o impacto da pandemia e das aulas online na educação brasileira (Divulgação)

Olá, quer continuar navegando no site de forma ilimitada?

E ainda ter acesso ao jornal digital flip e contar com outros benefícios, como o Clube Diário?

Já é assinante O Diário Exclusivo?
PESQUISA

Alunos do 5º ano tiveram perda de um ano no aprendizado de matemática na pandemia

Minitestes online e gratuitos foram aplicados a 14 redes de ensino em 2021 para montar o estudo Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede)

O Diário
16/08/2022 às 10:34.
Atualizado em 16/08/2022 às 10:34

Pesquisa ajuda a entender o impacto da pandemia e das aulas online na educação brasileira (Divulgação)

O Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede) e a Primeira Escolha aplicaram, entre agosto e setembro de 2021, minitestes de Língua Portuguesa e Matemática a alunos do 5º e 9º ano do Ensino Fundamental de 14 redes públicas de ensino. O objetivo foi descobrir o nível de aprendizagem dos estudantes na panemia.  A comparação dos resultados dessas redes com a média geral do Brasil no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2019 mostra queda no percentual de alunos com aprendizado adequado tanto no 5º como no 9º ano, nas duas disciplinas avaliadas. 

Em Matemática, a situação foi mais crítica: apenas 11,7% dos estudantes apresentaram desempenho considerado adequado para o 5º ano contra 49,9% dos que fizeram o Saeb 2019. No 9º ano, o percentual é 9,2% contra 14,7%. Em Língua Portuguesa, pouco mais da metade dos estudantes (50,8%) do 5º ano que participaram dos minitestes alcançaram patamar considerado adequado. No Saeb 2019, foram 58,4%. No 9º ano, os índices são 21,9% contra 30,9%. 

Foram utilizados nos minitestes itens de edições anteriores do Saeb, divulgados na plataforma Devolutivas Pedagógicas do Ministério da Educação (MEC), hoje desativada, mesclados a itens construídos pela Primeira Escolha a partir das habilidades determinadas pela BNCC para o 5º e 9º ano do Ensino Fundamental. Para o cálculo das médias do Saeb, foi feita uma média das proficiências das escolas participantes. 

Os alunos responderam às perguntas por meio do portal de avaliações da Primeira Escolha, sendo que a responsabilidade pela aplicação dos testes foi de exclusividade de cada rede de ensino, não havendo aplicador externo. É importante esclarecer também que a amostra de redes foi constituída a partir de adesão voluntária a um edital publicado no site do Iede (sem nenhum tipo de custo às redes) e não pode ser considerada representativa da realidade do País. Ainda assim, é um estudo que traz insumos importantes para orientar as ações, mostrando quais são os conteúdos que os alunos demonstraram mais dificuldades, incluindo exemplos de itens.

No 5º ano, em Matemática, questões envolvendo perímetro de figuras e comparação de números racionais representados na forma decimal tiveram índices mais baixos de acerto. A questão abaixo teve só 17% de acerto. 

Em Língua Portuguesa, em geral, os estudantes foram piores quando o enunciado da pergunta trazia a palavra “inferir”. “O estudo foi um esforço de apoiar as redes no trabalho pedagógico durante a pandemia e gerar insumo sobre os impactos da pandemia na educação”, aponta Ernesto Martins Faria, diretor-fundador do Iede. “Precisamos de ações estruturadas para sanar essas defasagens de aprendizado acumuladas e também de outros estudos que se debrucem sobre a situação dos estudantes brasileiros no contexto atual”, conclui.

É possível detalhar os resultados acessando o seguinte link “Respostas pedagógicas sobre o impacto da pandemia na aprendizagem dos estudantes”

O que é o Iede
Fundado em 2017, o Iede é um centro de pesquisas em Educação que tem sua atuação sustentada por três grandes pilares: 1. Mapear e disseminar boas práticas de redes de ensino e escolas; 2. Diagnosticar e fazer análises que ajudem no combate às desigualdades educacionais; 3. Atuar para que indicadores e avaliações orientem as tomadas de decisões. Nossa visão é a de um sistema educacional de referência no Brasil, que utilize evidências de pesquisa nas tomadas de decisão e que ofereça um ensino de qualidade com igualdade de oportunidades para todos os alunos. Desde 2020, o Iede é o gestor do portal QEdu. 

Conteúdo de marcaVantagens de ser um assinanteVeicule sua marca conosco
O Diário de Mogi© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por