MENU
BUSCAR
COMÉRCIO

Contratação de temporários gera novas oportunidades em Mogi

Associação Comercial de Mogi das Cruzes avalia que abertura de vagas apontam para a retomada econômica

O Diário Publicado em 07/11/2021 às 15:54Atualizado há 19 dias
O mês de novembro, tradicionalmente, marca o início do aumento das vendas no comércio / Arquivo - O Diário
O mês de novembro, tradicionalmente, marca o início do aumento das vendas no comércio / Arquivo - O Diário

As contratações de temporários para as vagas de fim de ano no comércio mogiano já foram iniciadas. A expectativa é que o maior volume de postos de trabalho se concentre nos setores de vestuário e calçados, seguido pelos supermercados. O comércio mogiano deve abrir cerca de 400 oportunidades de empregos. A Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) avalia que as contratações são sinais da recuperação da economia. 

O mês de novembro, tradicionalmente, marca o início do aumento das vendas no comércio. No dia 26, acontece a Black Friday, data que antecede as festas de fim de ano e que muitos consumidores aproveitam para antecipar as compras de Natal. Além disso, o mês é utilizado por muitas empresas para pagar a primeira parcela do 13° salário, que injeta um volume importante de recursos na economia. 

De acordo com a presidente da ACMC, Fádua Sleiman, as expectativas para as vendas deste fim de ano são positivas. “O avanço da vacinação tem proporcionado o aumento da circulação das pessoas. A contratação dos temporários é um indicativo da recuperação da economia e uma oportunidade para as pessoas que perderam o emprego durante a pandemia, retornarem ao mercado de trabalho”, avalia. 

A projeção da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), é que a efetivação dos temporários seja de 12,2%, número muito diferente de 2020, quando apenas 0,2% das vagas temporárias foram convertidas em postos fixos. O volume é o maior desde 2016.  

A previsão é que as vendas deste ano no estado de São Paulo sejam 7,2% maiores que no ano passado.  “Neste ano o movimento nas vendas e de consumidores será mais intenso, pois o comércio está operando sem as restrições, que estavam em vigor em 2020. Agora, podemos operar com 100% da capacidade, mas adotando todos os protocolos sanitários, pois não podemos correr o risco de retroceder. A melhora da economia gera mais oportunidade de emprego e aumento de renda”, destaca Fádua.

ÚLTIMAS DE Notícias